De Kikas a 26 de Setembro de 2010 às 10:27
É normal qualquer empresa ter segmentação de clientes, não acha? Um cliente estratégico, que factura 1 milhão/ano, tem necessariamente de ter um tratamento diferente de um cliente que factura 500. Embora muita gente gostasse ... a PT não pode ser a santa casa da misericórdia! Uma avaria pode implicar um prejuízo considerável num cliente enquanto noutro, pode simplesmente impedi-lo de ver lixo televisivo ou postar umas tretas num qualquer blogue.
E utilizar esse número privilegiado, cujo carácter de urgência ultrapassa até hospitais, não me parece uma decisão correcta. No fundo, todos denunciamos o sistema, mas também é verdade que o utilizamos em proveito próprio. É o típico portuguesismo do desenrascanço, intrínseco ao modus vivendi que tão bem nos caracteriza
De Anónimo a 26 de Setembro de 2010 às 22:44
O problema não está na urgencia mas na qualidade do serviço.

Quem paga tem direito ao minimo de qualidade e o 16200 com callcenters de biscateiros não serve os clientes.

Neste numero desde que seja um gajo rico, tem prioridade sobre tudo em matéria de avarias.

O Povo tem direito à qualidade, é muito bom que alguém divulgue estas coisas, para que se entenda que desta democracia " Todos os porcos são iguais, mas há uns mais iguais que outros"
De Kikas a 27 de Setembro de 2010 às 01:36
Olá anónimo,
Tem toda a razão ... mas também é verdade que a liberalização do mercado das telecomunicações nos dá o direito de opção.
Quando os porcos não estão satisfeitos com o serviço prestado, podem sempre mudar de pocilga.
De Anónimo a 27 de Setembro de 2010 às 19:48
Nas grandes cidades é verdade, mas na parvonia, no Portugal Rural há muitos sitios onde as moveis não chegam!
De Mentiroso a 30 de Setembro de 2010 às 04:09
O post tem toda a razão de ser e ver e admitir os abusos de maneira obtusa, isso é de «típico portuguesismo». É precisamente o que faz um país cheio de rascas que não passam da cepa torta por a mentalidade não lho permitir.