...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

subscrever feeds
tags

todas as tags

Pesquisa personalizada

29
Abr
07
Segundo notícias vindas a público hoje no Correio da Manhã, o estado português não vai recuperar 243 MILHÕES DE EUROS em impostos, devido a um erro burucrático. Estes impostos, estavam tentar ser cobrados a um grupo de empresas, ligadas a uma fraude fiscal com o Alcool. A ser verdade, enquanto tanto se pede aos Portugueses para apertarem o cinto, aumenta-se os impostos directos pagos pelos cidadãos, como IVA, ISP, IA etc., etc. E esta CAMBADA DE IMCOMPETENTES, ou não FAZEM NADA (fazem mesmo de propósito), mas aqui é um caso que a não ser de incompetência, será de MALVADEZ, CORRUPÇÃO e porque não as duas juntas, estes senhores da MERDA, andam a enganar quem? RUA JÁ!!!

Aqui fica um excerto da notícia, vinda a público hoje no CM:

"Segundo apurou o Correio da Manhã, as contas relativas aos montantes em falta foram feitas pelo Ministério Público com a ajuda de um consultor do Núcleo Assessoria Técnica (NAP) do DCIAP – Departamento Central de Investigação e Acção Penal – e os resultados não foram comunicados à Direcção-Geral dos Impostos para que fossem realizadas as liquidações adicionais dos impostos não pagos (IVA, IRC e Impostos Especiais sobre o Consumo).

Tal como estabelecem os artigos 45 e 46 da Lei Geral Tributária (LGT), o direito de liquidar os tributos caduca se a liquidação não for validamente notificada ao contribuinte ao fim de quatro anos.Os factos em julgamento ocorreram entre 1999 e 2003, pelo que o direito à liquidação dos impostos em falta caducou."

Ler mais aqui

QUE POUCA VERGONHA!!!
publicado por TC às 18:23
28
Abr
07

Este post foi roubadito ao Mote para Motim

Contos Proibidos – Memórias de Um PS Desconhecido de Rui Mateus (ex-companheiro de partido de Mário Soares) é um dos vários livros banidos e censurados pela actual república. Publicado há onze anos atrás, esgotou rapidamente graças à polémica que o envolveu – e diz-se que também devido a ter sido retirado de circulação. Teve sempre muita procura mas a sua editora, Dom Quixote, afirma que não o reedita. No entanto, há uns meses que ele circula pela Internet, numa versão em PDF que pode ser retirada clicando aqui.
(instruções para download aqui)

Quem não sabe porque é que este livro está banido, nada melhor do que começar por ler a série de crónicas sugestivamente entituladas O Polvo, publicadas entre Setembro e Outubro de 2005 na revista Grande Reportagem e escritas pelo na altura seu director, o jornalista Joaquim Vieira. Aliás, Vieira foi despedido da direcção dessa revista por ter publicado essas crónicas e, segundo a jornalista Felícia Cabrita, «por ter permitido a publicação de escutas do processo Casa Pia que envolviam dirigentes do PS». Esta é a primeira dessas crónicas (as restantes podem ser lidas aqui):

«O POLVO (1)
Com Soares, já não há moral para criticar Ferreira Torres, Isaltino, Valentim ou Felgueiras.
Além da brigada do reumático que é agora a sua comissão, outra faceta distingue esta candidatura de Mário Soares a Belém das anteriores: surge após a edição de Contos Proibidos – Memórias de Um PS Desconhecido, do seu ex-companheiro de partido Rui Mateus. O livro, que noutra democracia europeia daria escândalo e inquérito judicial, veio a público nos últimos meses do segundo mandato presidencial de Soares e foi ignorado pelos poderes da República. Em síntese, que diz Mateus? Que, após ganhar as primeiras presidenciais, em 1986, Soares fundou com alguns amigos políticos um grupo empresarial destinado a usar os fundos financeiros remanescentes da campanha. Que a esse grupo competia canalizar apoios monetários antes dirigidos ao PS, tanto mais que Soares detestava quem lhe sucedeu no partido, Vítor Constâncio (um anti-soarista), e procurava uma dócil alternativa a essa liderança. Que um dos objectivos da recolha de dinheiros era financiar a reeleição de Soares. Que, não podendo presidir ao grupo por razões óbvias, Soares colocou os amigos como testas-de-ferro, embora reunisse amiúde com eles para orientar a estratégia das empresas, tanto em Belém como nas suas residências particulares. Que, no exercício do seu «magistério de influência» (palavras suas, noutro contexto), convocou alguns magnatas internacionais – Rupert Murdoch, Silvio Berlusconi, Robert Maxwell e Stanley Ho – para o visitarem na Presidência da República e se associarem ao grupo, a troco de avultadas quantias que pagariam para facilitação dos seus investimentos em Portugal. Note-se que o «Presidente de todos os portugueses» não convidou os empresários a investir na economia nacional, mas apenas no seu grupo, apesar de os contribuintes suportarem despesas da estada. Que moral tem um país para criticar Avelino Ferreira Torres, Isaltino Morais, Valentim Loureiro ou Fátima Felgueiras se acha normal uma candidatura presidencial manchada por estas revelações? E que foi feito dos negócios do Presidente Soares? Pela relevância do tema, ficará para próximo desenvolvimento.
Joaquim Vieira»
publicado por TC às 01:42
27
Abr
07
Os impostos (ISP e IVA) pesam 50 por cento do preço dos combustíveis em Portugal, alerta Fernando Gomes, administrador da Galp Energia.
«Cobramos os impostos mais caros do mundo», afirma o responsável na conferência sobre Davos, organizado pelo PriceWaterhouseCoopers, no Porto.

O Governo português, de acordo com o administrador da petrolífera, deveria «ponderar este agravamento fiscal nos combustíveis».

Este aumento contínuo dos impostos está a levar, segundo o mesmo, «a levar muitos portugueses a abastecerem em Espanha».

Aliás, Fernando Gomes afirma que a petrolífera portuguesa encontra-se actualmente a desenvolver um estudo sobre as consequências destes aumentos dos impostos nos combustíveis assim como a competitividade e a concorrência vinda de Espanha.

publicado por TC às 20:14

O 25 de Abril de 1974 trouxe liberdade. É um facto. O 27 de Abril de 2007 trouxe uma demonstração de que a liberdade tem limites. Passo a explicar.

O direito à greve está consagrado na Constituição Portuguesa, sendo uma forma de luta que os trabalhadores têm para contestar medidas com as quais não concordam ou para tentarem obter condições que consideram justas ou merecidas. Até aqui tudo bem. Agora quando essa luta atropela os direitos das outras pessoas, aí meus amigos, alto e pára o baile.

Ontem fui surpreendido com a afixação de cartazes a avisar que hoje, dia 27, não iria haver comboios. O não cumprimento do prazo para o pré-aviso foi inteligentemente ultrapassado com a colocação da data de 23 nos mesmos, como se o pessoal andasse a dormir e não reparasse em cartazes a avisarem que terão de se amanhar para poderem ir trabalhar. Vai a malta a meio do IC19 quando ouve na rádio a dizer que a greve foi desconvocada, após uma reunião de 12 horas, greve que afinal não seria só dia 27 mas até 5 de Maio (sempre se apanhava o feriadito!). E agora? Quem me paga a gasolina que eu gastei? Quem me devolve um dia de passe que não usufrui? Quem me paga a porcaria do estacionamento que tive de arrotar?

Abril e Liberdade não foi só para alguns, meus palhaços! Tentem guiar a vossa vida não pelos vossos umbigos mas por outro tipo de ideias, ok? Como por exemplo A LIBERDADE DE UM INDIVÍDUO TERMINA QUANDO COMEÇA A DO OUTRO. Vão ver que não custa assim tanto e ajudaria a tornar este nosso País muito mais civilizado!


Um grande RAUF (revoltado) para todos!
publicado por TC às 13:32
Isto era em 2005. Agora ganham mais!!!
publicado por TC às 01:01
26
Abr
07

E como a mim ninguém me cala, aqui vai mais uma BOMBA!!!

O PROFESSOR QUE SÓCRATES NÃO CONHECIA, NÃO CONHECEU NEM QUER OUVIR FALAR; A BEM DA NAÇÃO

CHAMA-SE ANTÓNIO JOSÉ MORAIS E É ENGENHEIRO A SÉRIO; DAQUELES RECONHECIDOS PELA ORDEM (não é uma espécie de Engenheiro, como diriam os Gatos Bem Cheirosos).

O António José Morais é primo em primeiro grau da Dr.ª Edite Estrela. É um transmontano tal como a prima que também é uma grande amiga do Eng. Sócrates. Também é amigo de outro transmontano, também licenciado pela INDEPENDENTE o DR. Armando Vara, antigo caixa da Caixa Geral de Depósitos e actualmente Administrador da Caixa Geral de Depósitos, grande amigo do Eng. Sócrates e da Dr.ª Edite Estrela.

O Eng. Morais trabalhou no prestigiado LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil), só que devido ao seu elevado empreendedorismo canalizava trabalhos destinados ao LNEC para uma empresa em que era parte interessada. Um dia foi convidado a sair pela infeliz conduta.

Trabalhou para outras empresas entre as quais a HIDROPROJECTO e pelas mesmas razões foi convidado a sair.

Nesta sua fase de consultor de reconhecido mérito trabalhou para a Câmara da Covilhã aonde vendeu serviços requisitados pelo técnico Eng. Sócrates.

Daí nasce uma amizade.

É desta amizade entre o Eng. da Covilhã e o Eng. Consultor que se dá a apresentação do Eng. Sócrates à Dr.ª Edite Estrela, proeminente deputada e dirigente do Partido Socialista.

E assim começa a fulgurante ascensão do Eng. Sócrates no Partido Socialista de Lisboa apadrinhada pela famosa Dr.ª Edite Estrela, ainda hoje um vulto extremamente influente no núcleo duro do líder socialista.

À ambição legítima do político Sócrates era importante acrescentar a licenciatura.

Assim o Eng. Morais, já professor do prestigiado ISEL (Instituto Superior de Engenharia de Lisboa) passa a contar naquela Universidade com um prestigiado aluno – José Sócrates Pinto de Sousa, bacharel.

O Eng. Morais demasiado envolvido noutros projectos faltava amiúdes vezes ás aulas e naturalmente foi convidado a sair daquela docência.

Homem de grande espírito de iniciativa, rapidamente se colocou na Universidade Independente.

Aí o seu amigo bacharel José Sócrates, imensamente absorvido na politica e na governação seguiu-o “porque era a escola mais perto do ISEL que encontrou “.

E assim se licenciou, tendo como professor da maioria das cadeiras (logo quatro) o desconhecido mas exigente Eng. Morais. E ultrapassando todas as dificuldades, conseguindo ser ao mesmo tempo Secretário de Estado e trabalhador estudante licencia-se e passa a ser Engenheiro, à revelia da maçadora Ordem dos Engenheiros, que segundo consta é quem diz quem é Engenheiro ou não, sobrepondo-se completamento ao Ministério que tutela o ensino superior.

(Essa também não é muito entendível; se é a Ordem que determina quem tem aptidão para ser Engenheiro devia ser a Ordem a aprovar os Cursos de Engenharia; La Palisse diria assim).

Eis que licenciado o governante há que retribuir o esforço do HIPER MEGA PROFESSOR, que com o sacrifício do seu próprio descanso deve ter dado aulas e orientado o aluno a horas fora de normal, já que a ocupação de Secretário de Estado é normalmente absorvente.

E ASSIM FOI:

O amigo Vara, também secretário da Administração Interna coloca o Eng. Morais como Director Geral no GEPI, um organismo daquele Ministério.

O Eng. Morais, um homem cheio de iniciativa, teve que ser demitido devido a adjudicações de obras não muito consonantes com a lei e outras trapalhadas na Fundação de Prevenção e Segurança fundada pelo Secretário de Estado Vara.

(Lembram-se que foi por causa dessa famigerada Fundação que o Eng. Guterres foi obrigado a demitir o já ministro Vara (pressões do Presidente Sampaio), o que levou ao corte de relações do DR. Vara com o DR. Sampaio – consta – se até que o Dr. Vara nutre pelo ex-Presidente um ódio de estimação.

O Eng. Guterres farto que estava do Partido Socialista (porque é um homem de bem, acima de qualquer suspeita, integro e patriota) aproveita a derrota nas autárquicas e dá uma bofetada de luva branca no Partido Socialista e manda – os todos para o desemprego.

Seguem-se o Dr. Durão Barroso e o Dr. Santana Lopes que não se distinguem em praticamente nada de positivo e assim volta o Partido Socialista comandado pelo Eng. Sócrates E GANHA AS ELEIÇÕES COM MAIORIA ABSOLUTA.

Eis que, amigo do seu amigo é, e vamos dar mais uma oportunidade ao Morais, que o tipo não é para brincadeiras.

E o Eng. Morais é nomeado Presidente do Instituto de Gestão Financeira do Ministério da Justiça.

O Eng. Morais, homem sensível e de coração grande, tomba de amores por uma cidadã brasileira que era empregada num restaurante no Centro Comercial Colombo.

E como a paixão obnubila a mente e trai a razão nomeia a “brasuca“ Directora de Logística dum organismo por ele tutelado a ganhar 1600 € por mês. Claro que ia dar chatice, porque as habilitações literárias (outra vez as malfadadas habilitações) da pequena começaram a ser questionadas pelo pessoal que por lá circulava.

Daí a ser publicado no “24 HORAS” foi um ápice.

E ASSIM lá foi o apaixonado Eng. Morais despedido outra vez.

TIREM AS VOSSAS CONCLUSÕES!!!

Recebido por e-mail por pessoa devidamente identificada
publicado por TC às 19:45
25
Abr
07
O novo estádio da cidade de Al-Kahder, nos arredores de Belém, na Cisjordânia, cuja construção foi financiada por Portugal, através do Instituto Português de Cooperação para o Desenvolvimento, vai ser inaugurado na próxima segunda-feira. O recinto custou dois milhões de dólares, tem capacidade para seis mil espectadores, é certificado pela FIFA e dispõe de piso sintético e iluminação. A cerimónia de inauguração abrirá com uma marcha de escuteiros locais, conduzindo as bandeiras de Portugal e da Palestina, e a execução dos respectivos hinos nacionais. Segundo informações obtidas pela Agência Lusa, Portugal vai oferecer camisolas de Cristiano Ronaldo, Deco e Quaresma, que serão expostas numa sala do estádio Al-Khader. Os organizadores estão também a envidar esforços para a obtenção de mensagens vídeo de Luís Figo, Cristiano Ronaldo, José Mourinho e Luís Filipe Scolari, para serem difundidas durante a cerimónia.
Segundo o representante diplomático de Portugal, estas "seriam naturalmente, mensagens de apoio às esperanças e às alegrias bem conhecidas dos praticantes e adeptos do futebol e representariam mais uma forma de passar uma mensagem de paz à juventude palestiniana, na língua internacional, que é o desporto".Após a cerimónia inaugural, vai disputar-se um jogo entre a equipa local Al-Khader, reforçada com os melhores jogadores palestinianos, e a equipa Maccabi Akhi Natsrat (Nazareth), uma equipa da primeira divisão israelita, que integra jogadores árabes e judeus.Khalil Shahwan, director do Departamento de Juventude e Desportos de Belém, agradeceu, em entrevista publicada hoje pelo diário El-Quds, à "nação amiga portuguesa" pela sua importante contribuição, esperando que esta sirva de exemplo a outros países, para que ajudem o povo palestiniano a realizar as suas necessidades.
Não tenho nada contra a ajuda ao desenvolvimento, à cultura e desporto, que seja efectuada por quem pode.
Mas no caso português é uma aberração, "somos pobres com barriga de rico". Vêm estes senhores politiqueiros pedir apertos de cinto, para o nosso povo, sim porque o deles cada vez tem de ser mais alargado, falam em combate ao défice que é pago por todos menos os politiqueiros e esbanjam dinheiros públicos em ostentação de riqueza!
Um terço dos portugueses são muito pobres, e a classe média está de tanga... que país é este? Que Governos temos nós?
Vejam a conversa do Dr. Victor Constâncio
e pensem bem na moral que tem quem nos governa!
publicado por TC às 23:25
Passei há pouco por dois ex-libris de Cascais em adiantada fase de demolição – o Hotel Estoril-Sol e a Praça de Touros. Escrevo aqui a reflexão que essa observação me sugeriu por julgar de interesse para o Ludovicus, por me parecer ser, do pequeno grupo em que me movimento na blogosfera, o que mais se pode interessar por estas coisas em virtude da sua formação e profissão.

Devido à forma sistemática como estão a decorrer os trabalhos e demolição de que resulta um monte de areia e uma quantidade de ferro, concluo que os futuros arqueólogos não encontrarão ali o mínimo vestígio das obras que lá estiveram e que foram peças significativas da paisagem urbana durante muitas décadas. Os estudiosos que nos podem deleitar com relatórios sobre Conímbriga, Miróbriga, de antas, castros pré-históricos e tantos castelos de que sobram poucas pedras, ficam impossibilitados de se documentarem acerca da actual civilização. Tudo o que se constrói é rapidamente perecível e, quando se trata de demolir , nada se deixa para a história. Somos uma geração sem rasto.

Também nos arquivos documentais, poderá ocorrer facto semelhante. Hoje podemos ler manuscritos de vários séculos passados. Mas já temos dificuldade em ler aquilo que guardámos em disquetes, os CDs são substituídos por DVD e estes, dentro em pouco, após serem substituídos por sistemas mais modernos, também não terão máquina que os leia. Na música, os discos de gramofone, já não podem ser lidos, tal como os de 78 rotações e os de 33. Os leitores não são substituíveis quando se avariam. Na imagem, já não há rolos para máquinas fotográficas antiquadas, a máquinas de filmar de 16mm, 8mm e super oito já pertencem a museus e as de projectar saíram há muito dos mercados. Ter uma boa colecção de filmes, vai significar zero.

Parece que estou a exagerar, mas as dificuldades já são manifestas e, no futuro, tornam-se impossibilidades.

Gostava de ter um comentário do Ludovicus acerca deste tema que é da sua especialidade, ou pelo menos do seu agrado.
publicado por TC às 16:45
Hoje é 25 de Abril de 2007.
Hoje é o dia em que comemoram 33 anos de liberdade em Portugal.
Hoje é o dia em que todos os que viveram o Salazarismo comemoram o seu direito de viver sem medo.
Hoje é o dia da Revolução dos Cravos!

Eu nasci em 75.

Adoro poder escrever neste e noutros blogs sem ser preso.
Adoro poder manifestar o meu descontentamento para com os outros sem que seja amordaçado.
Adoro poder passear com as minhas filhas e saber que também elas poderão usufruir de liberdade de expressão.

Liberdade!!! Graças aos que tiveram a coragem de se revoltar, nós temos esse direito. Obrigado.
Mas que liberdade tem o povo Português? Eu respondo com a minha modesta opinião: tem a liberdade que merece!
Todos os dias ouvimos as queixas de toda a gente. É sobre o Sistema Nacional de Saúde com o encerramento de maternidades, urgências e maus cuidados. É sobre os salários precários e a falta de apoio aos desfavorecidos. É sobre os rendimentos mínimos dados aos que não podem nem querem trabalhar. É sobre os impostos sobre impostos sobre impostos, sem que se veja um aproveitamento desse dinheiro para dar qualidade de vida ao povo. É sobre a falta de justiça onde os nossos tribunais não são mais do que meros armazéns de processos e onde fica a sensação que convém que seja assim. É na Educação dos nossos filhos, onde os professores são desrespeitados sem que haja regras instituidas que obriguem os vândalos a serem cordeiros. E mais... e mais...
Eu não compreendo se é esta a liberdade que o povo quer. É?
Eu não quero esta liberdade.
Eu quero um governo que governe o país para favorecer o povo e não os seus bolsos. Que sirva o país e não se sirva dele.
Mas quem? Não vejo luz ao fundo do túnel. São uns piores do que os outros (políticos). Mas são todos muito maus. Gatunos, corruptos, sacanas, ladrões, mentirosos, aldrabões, burlões, incompetentes, burros, nojentos, cabrões...
HHHHHHHHHHHAAAAAAAAAAAAAAA LIBERDADE!
publicado por TC às 13:50
Salazar: Câmara Sta Comba Dão permite concentração nacionalista

A Câmara de Santa Comba Dão anunciou esta terça-feira que não vai impedir a realização de uma concentração comunicada à autarquia por um movimento nacionalista para sábado, 28 de Abril, data do nascimento de Oliveira Salazar.

A concentração, agendada para as 14:00, e anunciada pelo Movimento Nacionalista Terra Identidade e Resistência (MNTIR), tem como pressuposto a defesa da criação do «Museu Salazar», que a autarquia pretende criar no Vimieiro, na casa onde nasceu o ditador a 28 de Abril de 1889.

O vice-presidente da câmara de Santa Comba Dão, António José Correia, justifica, em comunicado hoje emitido, a decisão da autarquia de não proibir a iniciativa do MNTIR com o facto de não bastar a «prognose da violência, por parte da autoridade competente, para legitimar a ordem de proibição».

Para ler mais clique aqui
publicado por TC às 10:16
Tenho a certeza que todos os dias, em diferentes pontos do nosso Portugal, há alguém que se vira para o colega do lado e diz barbaridades como esta: Foste uma grande besta, se o Salazar ainda fosse vivo tenho a certeza que andavas na linha, levavas uma tareia, faziam de ti um exemplo e a seguir ias de cana!
E porquê? Não faço a mínima ideia e sinceramente, estou-me é perfeitamente nas tintas para os motivos. Desde que o apelidado de besta não seja eu e não me tenham feito nada que me leve a gritar assim, é evacuar no assunto e continuar em frente, ignorando aqueles que continuam sem acreditar que um dos motivos pelo qual Portugal não evoluiu mais no passado foi por causa de um dos períodos mais negros e bestializantes da nossa história, revivendo orgulhosamente não se sabe bem o quê, que ainda hoje prejudica também o nosso futuro.
O leitor perspicaz começa já a pensar “este gaijo está a tentar induzir-me na problemática da Universidade Independente”. Nada mais longe da verdade, o que vem demonstrar que não és assim tão perspicaz como julgavas. Onde raio foste encontrar nas minhas palavras alguma ligação à Universidade Independente?!? E eu só lá gaijo de induzir alguma coisa a alguém? Tem lá paciência de ler este poste até ao fim e não tentes provar que és esperto, ok?
Aquilo de que vos quero falar é desse maravilhoso concurso “O Maior Português de Sempre”, que terminou com a surpreendente vitória de António Oliveira Salazar, o ditador que governou os destinos do nosso país durante décadas, uma das épocas mais repressivas, fechadas e deprimentes do nosso país, a fazer lembrar a “gloriosa” Albânia de tempos não muito distantes.
Eu não sei o que mais me chocou, se foi a vitória de Salazar, se foi o facto de no segundo lugar ter ficado Álvaro Cunhal, se o facto de no pódio não ter ficado o nosso fundador, D. Afonso Henriques, sem o qual neste concurso estaríamos a escolher entre Cervantes, D. Juan Carlos ou o Raul do Real Madrid. Valha-nos que ao menos em terceiro lugar ficou Aristides de Sousa Mendes, responsável pela fuga à morte certa de milhares de judeus.
Claro que o valor deste concurso é muito relativo ou mesmo nulo, não nos podemos esquecer que em outros concursos do género, como a eleição da maior banda rock de sempre, culminou com a escolha dos Backstreet Boys, em detrimento de bandas consagradas como os Queen, U2, Pink Floyd, Aerosmith, entre tantas outras. O que é que eu quero dizer com isto? Pouco me importa que tenha ganho o Salazar, como pouco me importaria se tivesse ganho Álvaro Cunhal ou outro qualquer, apenas fico triste em constatar que o modo como os portugueses votaram no concurso demonstra o quanto ignoram ou desprezam o valor da nossa herança cultural e histórica.
Mas há uma questão que me perturba... conseguem imaginar como seriam canais como a blogosfera se ainda vivêssemos nessa época, onde a censura imperava, onde as reuniões eram proibidas e onde a segurança que se sentia era paga com a perda da liberdade? Acho que a leitura deste texto vos pode dar uma ideia aproximada, e muito me agradaria que todos tivessem consciência do perigo que representaria voltar a esses malfadados tempos.
Até sempre (presentemente a escrever-vos do Tarrafal),
Rafeiro Perfumado
PS: o presente texto foi revisto pelos Coronéis do Lápis Azul, pertencentes à Polícia Internacional e de Defesa do Estado. Estou a escrever esta explicação neste tamanhinho porque os gaijos já são velhotes e estão todos pitosgas!
publicado por TC às 00:31
24
Abr
07
Recebi por e-mail do meu amigo, fundador do PS, gestor e perito em estratégia empresarial, esta sua crónica já publicada no Jornal de Negócios. Que aqui coloco para melhor esclarecimento deste caso tão polémico.

A Estratégia ainda não aterrou na Ota

Por Manuel Pedroso Marques

Para quem ouviu dizer que a Ota era muito longe de Lisboa e, depois, tem de tolerar os defensores de Rio Frio invocar a maior proximidade de Badajós como factor preferencial, é duro! Que atraia uma comunidade de mais de um milhão de espanhóis…, quando Badajós tem 140 mil habitantes e é a maior cidade da Estremadura, é difícil porque, além do número exagerado, quem de lá vier a R. Frio, vem à Ota! Quando se vê na net os terrenos alagadiços da Ota, dando a impressão de que não servem para fazer mais nada em cima deles do que um aeroporto, preferir os terrenos planos de Rio Frio, de vocação agrícola, raros no país é raciocinar ao contrário!

Claro que a estratégia de defesa de Rio Frio tem outros argumentos: os de custo, indubitavelmente e os da exequibilidade, provavelmente.

Quem perguntar (e tem-se indagado) se a decisão sobre a localização de um aeroporto é técnica ou política desconhece os campos de actuação num processo decisório desta envergadura. Porque é as duas coisas. No âmbito técnico, os factores base das opções são essencialmente físicos. Parece que não deveria haver grande espaço de subjectividade na decisão, dado que esta se baseia em elementos objectivos, mensuráveis: distâncias, comprimentos, dimensões outras, dados meteorológicos, ambientais, geológicos, exequibilidades, custos, etc. Mas há! Há subjectividade logo que o processo de decisão começa a entrar no âmbito da avaliação social, ou seja, quando se introduzem as necessárias e diferentes ponderações de avaliação dos diversos elementos acima referidos, segundo concepções sociais, políticas e não apenas técnicas.

O estudo da consultora francesa (ver sítio da Naer.pt) que serviu para apoiar a opção da Ota atribuiu uma ponderação de 25% aos factores ambientais e 5% aos de custo da construção, além doutros. Ora, esta ponderação deveria ter sido adoptada segundo critérios políticos e não meramente técnicos. Critérios que, em matéria ambiental, já não pertencem só aos portugueses, pois, alguns parâmetros são impostos pela UE e outros órgãos internacionais. O que importa considerar é que, a partir deste momento, no percurso decisório, a subjectividade está instalada e as opiniões passam a ser muitas e não devem ofender ninguém. Pessoalmente, parece-me que andamos há muito tempo a pagar muito caro pelo ambiente, em Portugal. Candidatamo-nos à posição do país mais atrasado com melhor ambiente… no espaço europeu. Compreendo, contudo, que outros argumentem que se além de mais atrasado fosse o de pior ambiente, a situação seria muito mais grave…

O governo diz que está tudo estudado, com décadas de estudo (ou de estudos?) e que é altura de decidir. Se, se pretende com isto acabar com as discussões, temos má política… porque as questões sociais, por definição, não acabam por “decreto”. Se não se possuem argumentos para contrariar as opiniões opostas à Ota, estamos sem estratégia para defender a alternativa adoptada, o que é igualmente mau, senão pior.

“A ‘nossa’ estratégia só é pacífica depois da vitória”. O factor polemológico é ínsito a todas as decisões estratégicas, como é o caso do local do novo aeroporto de Lisboa (NAL). Há, portanto, que fornecer à opinião pública os argumentos que “contradigam as razões dos outros”, nomeadamente, das diversas opiniões políticas, esclarecendo os cidadãos. Fazer-se de uma alternativa estratégica uma opção indiscutível é negar a polémica, é desconhecer este pressuposto milenar da ideia estratégica. Sun Tzu, há 2800 anos, escrevia a palavra Estratégia com dois caracteres: um significava ‘ideia’ e o outro ‘guerra’. A Estratégia era a ideia da guerra, no caso, a ideia da localização do NAL. A ideia mais exacta, segundo a lógica probabilística da Estratégia, acrescente-se.
publicado por TC às 09:10
O 25 de Abril foi, realmente, uma grande data. Era necessário acabar com o regime e este não teve defensores que fizessem sombra aos capitães, que lhes dificultassem a revolta. Por isso foi pacífica e depressa se concluiu a acção militar.

Não perdi a minha isenção de análise, não mantenho fanatismo nem ressabiamento, detesto visões extremistas , neste como em qualquer tema. Recordo que fui nomeado para acompanhar Mário Soares, Almeida Santos e Jorge Campinos numa missão ao estrangeiro, pouco tempo depois. Recordo também a minha nomeação para adjunto do PR Costa Gomes para substituir um que deixou de merecer total confiança do MFA. Isso não significa que aplauda todos os resultados da Revolução de Abril, antes pelo contrário, assisti a muito desvario, à substituição da liberdade pela libertinagem que não é a mesma coisa!
Em Portugal nem tudo era mau e o PREC destruiu muita coisa valiosa do património material, humano e social dos Portugueses.

Dizem-se , agora, nas comemorações da data, palavras muito bonitas nos aspectos teórico, ideológico, e como expressão de uma fé. E a fé não se discute mas não deveria tentar-se espalhá-la por imposição.

Havendo liberdade, como é afirmado por muitos entusiastas, deve aceitar-se que os discordantes da revolução dos três DDD (democratizar, descolonizar e desenvolver), possam dissertar sobre a sua opinião, possam trazer a lume os muitos erros feitos em nome da Revolução da Liberdade. Houve-os, apesar dos bons intentos de quem preparou a Revolução e de muitos que se esforçaram por fazer vencer as ideias mais positivas, sensatas e patrióticas.

Neste momento, em que se evita que um grupo de pessoas possa colocar umas flores na campa do tirano, não se pode falar em compreensão e liberdade. Ainda há dias um amigo, professor universitário e fundador da UnI me enviou um texto que coloquei na Net, e me dizia, se quiser divulgar estas palavras, pode fazê-lo, mas peço que não diga o meu nome porque tenho medo por mim e pela minha família.

Os temas mais mediáticos dos últimos tempos evidenciam que a liberdade de informar está muito condicionada por diversas formas. O notável Pinto da Costa disse que a Pide foi extinta, mas foi substituída por instituições oficiais e por forças ocultas. A comunicação social está a ser «devidamente» controlada e o PM já mostrou interesse em amordaçar a blogosfera.
Não devemos cegar os outros. É preciso analisar seriamente os factos, para eliminar a poeira, a fumaça (de Pinheiro de Azevedo) e permitir que as pessoas possam raciocinar serenamente, usando a Liberdade de Abril.
publicado por TC às 06:55
23
Abr
07
Como não podia deixar de ser eu também vou dar prémios!
Eu também tenho os meus favoritos!
Não foi fácil mas consegui selecionar alguns blogues de eleição (para mim).
Cá vai disto:


Melhor blog de acção
Do Portugal Profundo
Um verdadeiro serviço público. A coragem de Balbino. Onde ninguém foi, ele foi. Desmascarou o Pinóquio e a comunicação social ficou-lhe com os louros. Os louros são teus.

Melhor blog de entretenimento
Epá cum catano
Para rir a chorar e chorar a rir. O Zé Pedro só tem um defeito = ser benfiquista!

Melhor blog de causas sérias
Ondas3
Grandes defensores do ambiente. Quando quero novidades sobre como salvar o planeta vou aqui. É um blog actual e com futuro.

Melhor blog de arte
Wehavekaosinthegarden
O Kaos brinca com as imagens como ninguém. Deste blog saem muitas imagens de fundo para muitos temas espalhados na net. Excelente!

Melhor blog de cultura
Só Verdades
Para quem gosta de poesia ou não. A boa escrita mora aqui!

Melhor blog do povo
A Voz do Povo
Este foi o blog que me trouxe para a blogosfera. Devo-lhes isso. Obrigado Victor. Mas este prémio não é de gratidão. Este blog dá vida a tudo o que se passa na nossa sociedade e sem amordaçar ninguém dá voz ao povo.

Melhor blog sem papas na língua
Braganza Mothers
Sexo, política, educação, clubite, comédia, drama, etc, etc... Nesta casa tudo se debate, tudo se critica e tudo se expõe ao ridículo. Cuidado com elas... elas "andem" aí!

Muitos mais há excelentes na blogosfera: Bezzblog, Violada mas não vencida, Retriever do labrador, E-konoklasta, Rafeiro Perfumado, Pérolas a Porkos, Pleitos Apostilas e Comentários...

... e muitos mais que eu agora (com sono) não me lembro. Peço desculpa aos que me esqueci de propósito!
tags:
publicado por TC às 23:42
Este nosso blog acaba de receber um "thinking blogger award".
Foi o Zé Pedro do Epá cum catano que nos ofereceu este prémio e passo a citar:
"Blogues que me fazem pensar, o que sinceramente não é uma tarefa nada fácil, pois saõ tantos os blogues que adoro, que tenho alguma dificuldade em nomear só cinco, mas regras são regras e então lá vai...
Democracia em Portugal ?

Porque sem dúvida e sendo um blogue mais ou menos da "idade do meu", ainda fresquinho, é daqueles que não engana, e daqueles que se precisam para se saber das cada vez mais grandes trafulhices que por esse País fora se fazem. E sem dúvida um Blogue que deve dar muito trabalho ao Tiago Carneiro."
Obrigado Zé
GANHÁMOS!!!
publicado por TC às 23:34
Desde 2006 até ao início de 2007, o Estado português perdeu 325 milhões de euros em receitas fiscais com os transportadores nacionais, indicou Abel Marques, secretário-geral da associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) ao «Jornal de Negócios».
Esta perda de receita para o País é justificada com a «ordem para abastecer em Espanha» que estas empresas decretaram. No país vizinho, sublinha Abel Marques, além do preço dos combustíveis ser cerca de 20 cêntimos por litro inferior ao que se pratica em Portugal, as empresas portuguesas podem também, desde o início deste ano, ser reembolsadas pelo Estado espanhol de parte do Imposto sobre Hidrocarbonetos, o equivalente ao ISP português, desde que solicitem um numero de identificação fiscal espanhol. O facto é que um terço das empresas do sector já o fez.
COMENTÁRIO: não sou economista mas...
... que burro faz política assim? Sr. Ministro da Economia, é burro ou faz-se?
publicado por TC às 14:32
22
Abr
07
Completo hoje 10 (dez) dias com o telefone avariado. Desde o momento em que detectei a avaria e depois de ter verificado que a causa era exterior ao apartamento, comuniquei à ONI, por e-mails sucessivos. A situação tem sido grave porque vivem em casa dois idosos com problemas de saúde, a precisar frequentes vezes de apoio urgente. Depois de recorrer a sugestões de amigos através de e-mails, de colocar um post em três blogues e de escrever para os jornais, em 18, ao 6º dia de avaria, telefonou um administrador da ONI a prometer enviar um técnico. Este veio e confirmou o meu diagnóstico, dizendo que foi comunicado à PT a avaria na linha, e que esta seria reparada em 48 horas. Já passaram 96 horas e tudo continua como há 10 dias. Conclui-se que a ONI não tem condições para honrar os contratos que faz com os clientes.
De um amigo bloguista recebi esta opinião, que pretende ser um sedativo para o stress.

Caro Amigo Bloguista,

Para ler mais clique aqui

publicado por TC às 22:15
Ola amigus! como vai isso" que vos garanto que é muito bom!? e pronto é tudo! como vai isso! as saudades sao tantas como as dividas!!!por isso vejam la na merda que estou!
amanha estarei em andorra! alguem quer alguma coisa de la? ou melhor...estara la?

do dia 28-02 de Maio estarei em Miranda do Douro, mais propriamente em Vimioso no festival "sons e ruralidadese se alguem quiser perder a cabeça pois sao 4 horas de viagem e estadia gratis (saco cama claro)... vale a pena pelo passeio boa gente e tudo mais!

um grande abraço.
publicado por TC às 19:21

Com a devida vénia transcrevo este texto do blogue uivomania, porque penso merecer meditação sobre a forma como os poderosos gerem o Mundo e as contradições entre os discursos e as realidades.

O pior cego...

O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional, dizem que estão preocupados com a pobreza.
É bom que se preocupem porque tresanda a merda!
...Diminuir as assimetrias, esbater as diferenças, combater a miséria com os impostos sacados aos pobres do mundo rico. Eis a fórmula!
Entretanto, escassas centenas de famílias detêm qualquer coisa como 70% da riqueza mundial. Dominam políticos, países, mercados... e, é pedido a 1/6 da humanidade para partilhar. Aceitarem ver reduzidos os direitos que julgaram adquiridos, e prescindirem do sonho de uma melhor qualidade de vida, num gesto nobre para acabar com a miséria.
A partilha é urgente. É comovente ver as manobras de bastidores para que os pobres dos países ricos partilhem com os miseráveis dos países pobres e se esbatam as diferenças.
Revoltante, é que fora destas nobres andanças, fiquem essas escassas centenas de famílias que detêm 70% da riqueza mundial e, directa e indirectamente exerçam 100% do poder.
Chato, é que pela lógica do dinheiro fazer dinheiro, ainda vão ficar mais ricos... sem necessidade.
Estúpido, é que não entendam que estão acometidos da doença da avareza e que as consequências, também para eles, é merda com fartura. Doentes como estão, não entendem os sinais. Mas, que os há... há. E que a pobreza alastra... alastra.
publicado por TC às 10:12
O artigo no Jornal de Notícias de hoje, de David Pontes, com o título «Um metro aos solavancos» fez-me recordar o post Governo sem bússola nem leme? e meditar nos fabulosos custos provocados pelo pára-arranca de muitos projectos e reestruturações que avança e recuam, devido à ausência de um completo, sério e isento estudo do problema que preceda a decisão que deveria ser seguida de um planeamento de cada fase da execução, por forma a reduzir substancialmente erros, indecisões, desvios e recuos.

A propósito do metro do Porto o autor afirma que «temos de concluir que «a geografia, o planeamento urbano, a gestão de transportes, são ciências desconhecidas dos nossos responsáveis políticos, incapazes de olhar para o mapa e determinar quais são as ligações que melhor servem os interesses da população e o desenvolvimento da área metropolitana».
Para ler mais clique aqui
publicado por TC às 10:05
21
Abr
07
O Governo foi ontem acusado pelo presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, de contribuir para a desertificação de "uma vastíssima área de mais de três quartos do território nacional", ao extinguir serviços públicos de saúde, postos da GNR e da PSP, tribunais, escolas, transportes ferroviários e rodoviários, correios e outros.
Esta acusação consta do documento que refere "exemplos da absoluta contradição entre a política desarticulada no terreno e o planeamento que é suposto existir a nível nacional" o qual mereceu a unanimidade dos membros do conselho geral da ANMP reunidos, ontem, em Coimbra. Segundo os autarcas, isto demonstra grave descoordenação e contradição dado que "este conjunto de políticas avulsas de encerramento do interior" é desautorizado claramente pelo Plano Nacional da Política de Ordenamento do Território, aprovado pelo Governo e em vias de ser votado pelo Parlamento

Naquele plano, apela-se, entre outras coisas, a "um maior equilíbrio na distribuição espacial da população", à "dinamização e diversificação económica e social das zonas rurais" e ao desenvolvimento de "uma rede nacional de prestação de cuidados de saúde", sendo tudo isso contraditório com o fecho de serviços em curso.
Os distritos mais afectados - ou "área a abandonar pelo cidadão", segundo prevê a ANMP - são Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Guarda, Viseu, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja, sendo raras excepções "uma ou outra capital de distrito ou núcleo urbano mais significativo".
Por tudo isto e pelo grave inconveniente de desertificar o interior do País, os autarcas do conselho geral da ANMP pedem ao Governo "que os encerramentos de serviços de interesse público passem a estar sujeitos a estudos de impacto social".
A Natureza é inimiga do vácuo e, perante o abandono de grande parte do País, pode ocorrer a sua ocupação por grupos ilegais e indesejáveis, com possibilidade de incluir elementos do terrorismo internacional, difíceis de expulsar dada a pouca atenção dada às Forças de Segurança e às Forças Armadas, como se deduz de recentes notícias sobre a substituição das G3 e a aquisição de helicópteros.

Sugere-se a leitura de (só é preciso fazer clique):
Autarcas acusam Governo de desertificar o país

publicado por TC às 16:14
20
Abr
07
...nacionais e estrangeiros
publicado por TC às 21:06

20.04.2007 - 09h17 José António Cerejo PÚBLICO
O arquitecto Fernando Pinto de Sousa, pai do primeiro-ministro, foi contratado pelo GEPI, no período em que este era dirigido por António Morais, para fazer a fiscalização de dez empreitadas adjudicadas por aquele serviço do Ministério da Administração Interna.
Na quarta-feira, o PÚBLICO noticiou que Pinto de Sousa, com escritório na Covilhã, foi responsável pela fiscalização do quartel da GNR de Castelo Branco, uma obra adjudicada em 1999 à Conegil - a empresa do grupo HLC que abandonou essa e mais sete empreitadas do GEPI sem as acabar, deixando, quando faliu em 2003, uma dívida de 1,6 milhões de euros ao MAI.
Em resposta ao PÚBLICO, o gabinete do Ministro da Administração Interna disse anteontem que, além de Castelo Branco, o GEPI entregou a Pinto de Sousa, de 1996 a 2002, a fiscalização das seguintes obras: postos da GNR de Teixoso (1996), Covilhã (1996), Seia (1997) e Fornos de Algodres (1997), parque de manobras da Direcção--Geral de Viação de Viseu (1998), posto da GNR de Aguiar da Beira (1999), esquadra da PSP de Gouveia (1999), quartel da GNR de Viseu (1999) e posto da GNR de Vila Nova de Foz Côa (2001). O gabinete de António Costa acrescentou que, "no mesmo período", aquele técnico "concorreu ainda à fiscalização de outras obras, nas quais não ganhou o procedimento, como por exemplo os postos da GNR de Santa Comba Dão, Custóias e Mogadouro".

E não se esqueçam disto

P.S. - Para quem está esquecido - António Morais foi o professor das 4 cadeiras (de 5) do Pinóquio na UnI.

P.S.2 - Sócrates e Armando Vara são grandes amigos do PS - Sócrates entra para a UNI - Passado um mês, o professor de Sócrates é escolhido para assessor de Armando Vara - Sócrates diz que não tem nada a ver com isso - O Vara diz que conheceu o professor num seminário, onde ele se veio apresentar. Passado uns tempos lembrou-se dele e escolheu-o. Grande forma de escolher os competentes. Um gajo que se veio apresentar e com quem se teve uma conversa de corredor - O professor (antes de saber das declarações de vara) diz que foi nomeado assessor através um conhecimento comum.
Diria eu, ao menos combinem as histórias!!!! Nós gostamos de ser comidos e aldrabados, mas não à desacarada!!!!

publicado por TC às 20:27
José Sócrates, no jantar do 34º aniversário do PS.
«Queremos uma democracia de valores, uma democracia fundada no respeito pela tolerância e pelo adversário político, na lealdade do confronto político, no livre confronto de ideias. Uma democracia que tenha decência, superioridade e elevação, porque esses são os valores e exemplo que queremos dar aos portugueses».

É tudo verdade!
Aleluia!!!
Ele disse a verdade.
Mas...
Como eu sou burro...
E não acredito em mentirosos...
Vou agora analizar as palavras do Pinóquio:
1º - "democracia de valores" - deve estar a pensar nos €€€ que eles e os boys dele metem ao bolso (apesar do povo estar a penar);
2º -
"respeito pela tolerância e pelo adversário político" - respeito entre eles há sempre. Só não respeitam é o povo e os compromissos que assumiram;
3º -
"lealdade do confronto político" - Basta ver o BE caladinho para ver a lealdade de cão preso com rabo de fora;
4º -
"livre confronto de ideias" - Onde??? Nos jornais??? Nas TVs??? Bastou ver a entrevista do Pinóquio para ver que só faltavam as trelas aos bóbis. E agora com os novos Média Capitalistas...
5º - "
Uma democracia que tenha decência" - basta ver os casos de pedófilia, do apito dourado, de corrupção nas autarquias, de favores políticos, de tachos amigos, etc, etc, etc, etc...
6º - "
superioridade e elevação" - este é o seu complexo. Por isso não descançou por enquanto não tinha o canudo (dado). Seguirá o doutoramento!
7º - "
valores e exemplo que queremos dar aos portugueses" - Livra!!! Ás minhas filhas não que eu não permito. Por estas e por outras é que esta Merda de país não vai para a frente. Com exemplos destes!!!

publicado por TC às 19:50
"... O PROBLEMA É QUE, HOJE, DIA 19 DE ABRIL DE 2007, TODOS VOCÊS SÃO MEROS FANTASMAS DO PASSADO, âncoras a arrastar no fundo, que nos impedem de navegar em direcção alguma, e o Sr. Dr., que já devia estar, consoladamente, a viver de uma vida inteira de negociatas, de falcatruas, e de abafos, de promiscuidade, de nepotismo, de favorecimento reles, sentado na poltrona de Senador da República, ATREVE-SE, mais uma vez, a sair a campo, para defender um cavalheiro que é o motivo da chacota de todos os Portugueses, que nem ele próprio sabe se é ou não é licenciado, que permite que uma instituição universitária portuguesa feche as portas a uma Inspecção do Estado, sem imediatamente fazer intervir a polícia (!), que defende que quer "transparência", "decência", "frontalidade", e legisla retroactivamente, nos feriados, nas tardes de sábado, nas férias, que, cobardemente, rouba os reformados e os inválidos, que lança lama sobre classes profissionais inteiras, e arrasta pelas ruas, entregue à ralé das claques futebolísticas, gente que andou décadas a estudar, às piores piadas sobre médicos, sobre advogados, sobre professores, que transformou a estrutura das pessoas que trabalham para o Estado numa espécie de bonecos de feira de atirar tiros, que desestruturou todos os amortecimentos sociais do nosso País, que se permite, diariamente, governar como nem Cavaco governou nos seus piores tempos, que logrou que toda a cambada de medíocres, os assessores de 9000 €/mês, os licenciados "à pressa", os engravatados do cérebro de serradura, do controle da informação, da POLÍCIA POLÍTICA PRIVADA -- coisa a que nem Salazar se atreveu -- vem aqui falar de DIREITA????...
O SR. DEVIA ERA TER IDADE E VERGONHA NESSA CARA, E AFASTAR-SE RAPIDAMENTE DO PANORAMA POLÍTICO, PARA NÃO ACABAR NO HABITUAL RELAMBÓRIO DAS ANEDOTAS, E QUE A HISTÓRIA ESQUEÇA O QUE PORTUGAL LHE DEVEU, ENQUANTO OBREIRO DA NOSSA INTEGRAÇÃO NA MODERNIDADE EUROPEIA!...
Sr. Dr. Mário Soares, onde é que o Senhor estava, quando o P.S. chafurdava, como um porco, na lama, enfiado até ao pescoço nas piores suspeiras de Pedofilia, ou achava que era tudo natural -- como até era -- já que aquilo tudo vinha lá muito de trás, dos tempos dos "Ballets Rose"? Lembra-se, não se lembra, de quem lá dançava, e de quem dançava com quem?... Olhe que eu sei de quem se lembra e SAIBA. Tambem gosta de ver Ferro Rodrigues na O.C.D.E.?... Portugal inteiro ADORA, como ADORA ter um cavalheiro, chamado PAULO PEDROSO, a organizar agora o funil das Pós-Graduações, no I.S.C.T.E., o cavalheiro Carlos Cruz a "recomeçar tudo de novo", o Ferreira Diniz a levar o lourinho aos Centros de Novas Oportunidades, o Advogado de Elvas a concorrer a Juiz, e mais os outros canalhas todos, cujos nomes NUNCA vieram claramenrte a lume, e eram tanto das suas hostes, como dessa DIREITA toda que agora acusa de estar a lançar lama sobre o Vigarista de Vilar de Maçada!... É assim, Dr. Mário Soares, no estado actual das coisas, o homem já não precisa de que lhe lancem mais lama em cima: ELE É A LAMA, UMA TRISTE HIPÓSTASE DA LAMA, enrolada num Fato Armani, como podia estar enrolado num saco de serapilheira, que era igual, agora, o Sr., que andou lá por fora, e que me conseguiu convencer, mais o Sócrates, mais o Vara, mais uma multidão de nomes que agora esqueci, que o PÂNTANO, de que Guterres fugiu, era afinal o SEU PRÓPRIO P.S., olhe que, para me convencer, a MIM, que sempre pensei que os cambalachos, atávicos, estavam nas fronteiras do P.S.D. de que verdadeiro lixo estava era paredes dentro do partido que o Sr. fundou há 34 anos, foi um looooooooooooooooooooooooooongo percurso, longo, mesmo muito longo, deixe que lhe diga, e que me trsnformou, radicalmente, a estátua interior. Hoje, ao vê-lo defender o traste que já ninguém suporta, e a dizer que ele equilibrou as Contas Públicas (!), cansei-me, e só me deu vontade de me passar pela frente uma daquelas venetas que passam pela cabeça dos estudantes sul-coreanos da Virgínia!... Se a Canalha que governa Portugal tem feito o que tem feito sem dinheiro, imagine-se a impunidade e a pouca-vergonha que será, quando vier a nova chuva de Fundos Comunitários, a cair direitinha no ralo da Ota e dessas merdas todas que vocês, especialistas no bicar dos dinheiros públicos já não estarão a preparar nas sombras, com terrenos a facturar a 5000%!...
Dr. Mário Soares, isto não é discurso de DIREITA, é discurso do MAIS PROFUNDO E SENTIDO DESPREZO POR TUDO O QUE O SENHOR E OS CAPANGAS SEUS SUCESSORES TÊM FEITO E REPRESENTADO PARA A DESTRUIÇÃO POLÍTICA, ECONÓMICA, SOCIAL E CULTURAL DO PAÍS EM QUE NASCI.
E por aqui me fico, para evitar mandar, como me apetece, um ancião de 80 anos, para a PUTA QUE O PARIU.

Bem haja." Arrebenta in Braganza Mothers
publicado por TC às 15:47

links

Ganha dinheiro na Net

L-Image-4_1-216x54

tags

todas as tags

blogs SAPO