...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

subscrever feeds
tags

todas as tags

Pesquisa personalizada

30
Nov
07
Hoje este blog está de GREVE.
publicado por TC às 00:29
29
Nov
07
Todo o ser merece respeito, mas numa instituição ou grupo social, os chefes têm o privilégio de verem acatadas as suas decisões, tomadas segundo as normas em vigor e explicadas aos que as devem executar, depois de terem beneficiado de melhoramentos provenientes da participação dos colaboradores. Nestas condições, situam-se os detentores de cargos públicos e políticos, pelas consequências das suas determinações num vasto número de cidadãos.

Mas, para serem respeitados, têm que «dar-se ao respeito», evitando resguardar-se com o ditado «ouçam o que eu digo mas não olhem para o que faço».

É notório o espírito que preside aos discursos dos políticos e que traduz uma convicção arrogante de que só eles são inteligentes e todos os cidadãos são carentes de cérebro. Pura ilusão porque, para se candidatarem a eleições ou a nomeações, não são obrigados a apresentar prova de alto grau de quociente de inteligência

Mas o mais chocante é a falta de respeito entre os seus pares, também merecedores de respeito institucional. São exemplos desses despautérios os casos referidos em duas notícias de hoje. Alberto João Jardim é de opinião de que o Tribunal Constitucional deve ser extinto, porque rejeitou o pedido de fiscalização sucessiva da inconstitucionalidade do Orçamento do Estado 2007, suscitada pela Assembleia Legislativa Madeirense. O chefe do Governo regional considera que a Madeira está a ser objecto de "terrorismo de Estado em matéria de aplicação constitucional".

Outro exemplo vem do ministro da Saúde, Correia de Campos, que ontem no Parlamento contestou as conclusões do relatório do Tribunal de Contas (TC) sobre a contabilidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS), afirmando que aquela instituição "não está abrangida pelo dogma da infalibilidade" e que o documento parte de pressupostos "que não têm adesão à realidade". Será o Sr. ministro é infalível? E será que as decisões tomadas pelo Sr. ministro têm esse realismo? Antes ou de depois dos vários recuos que se viu obrigado a fazer perante a discordância das autarquias e dos populares acerca das medidas que tomou, quanto a maternidades , urgências, centros de saúde, etc?

publicado por TC às 17:47
28
Nov
07
O GRANDE Carlos Rocha (Beezz) do beezblog ofereceu a este nosso cantinho o prémio "Diz que até não é um mau blog" com a (des)culpa de que "é o desmascarar, e denunciar o que se vai passando neste Portugal".
OBRIGADO Beezz!!!
Assim ...., como manda o "protocolo" ...
1. Este prémio deve ser atribuído aos blogs que consideras serem bons. Entende-se como bom os blogs que costumas visitar regularmente e onde deixas comentários.
2. Só e somente se recebeste o prémio “Diz que até não é um mau blog”, deves escrever um post:
- Indicando a pessoa que te deu o prémio com um link para o respectivo blog;
- A tag do prémio;
- As regras;
- E a indicação de outros 7 blogs para receberem o prémio.
3. Deves exibir orgulhosamente a tag do prémio no teu blog, de preferência com um link para o post em que falas dele.
4. (Opcional) Se quiseres fazer publicidade à criatura com demasiado tempo livre para gastar em parvoíces, e que teve a ideia de inventar este prémio, ou seja – Skynet, podes fazê-lo no post que ele fica agradecido :)
Então cá vai:
RAFEIRO PERFUMADO - Um blog onde os seus "leitores" esperam sempre com ansiedade pelo post seguinte. Escrita excelente.
PASQUIM DO POVO - Este é um local que é parecido com o nosso pois luta pelas mesmas causas.
O JUMENTO - Aqui está tudo o que pode caracterizar os nossos políticos e suas políticas. Até o nome do blog o confirma.
GRANDE LOJA DO QUEIJO LIMIANO - Um blog revolucionário (como o nosso) que está sempre muito bem actualizado.
DESCULPE QUALQUER COISINHA - Para descontrair cá está o local ideal.
JOSÉ MARIA MARTINS - Pelo que tem lutado contra a pedofilia em conjunto com o António Do Portugal Profundo (que já nomeei noutros prémios).
MANHÃS DA 3 - Não é pelo blog em si mas por me fazerem excelente companhia todos os dias das 07:00 às 08:30 (tempo de viagem casa-escola)
publicado por TC às 23:04
Clica na imagem para aumentar
publicado por TC às 23:00
27
Nov
07

Vamos lá ver quanto tempo este vídeo estará disponível.
publicado por TC às 23:16
26
Nov
07
Vejam ISTO
publicado por TC às 22:49
Virgínia Melo, doméstica, deslocou-se aos HUC para fazer companhia a Conceição Carvalho, uma vizinha do Bairro da Conchada que estava nas urgências com uma filha menor.
Quando ambas esperavam pelas informações médicas, na sala de acompanhantes, entrou um indivíduo que “baixou o som da televisão e preparou uma cama para dormir”.
Segundo Conceição Carvalho, Virgínia teceu um comentário acerca da “falta de consideração” do homem e ele não gostou. “Começou a insultá-la e eu fui chamar o vigilante.” No momento em que as mulheres expunham as suas queixas, “ele deu um brutal pontapé na barriga da Virgínia e ainda lhe bateu com um livro na cabeça”, recorda Conceição.
A PSP foi chamada e o agressor foi identificado, pelas 06h00.
As autoridades abandonaram o local e aconselharam a vítima a ser consultada, para sustentar uma eventual queixa por agressão. Só que, pouco depois, “começou a sentir-se mal”. Os médicos ainda lhe fizeram manobras de reanimação, mas não a conseguiram salvar. Pelas 09h00 declararam o óbito.
“Como é possível acontecer uma coisa destas num dos melhores hospitais do País?”, interrogava-se ontem Telmo Melo, filho da vítima.
O caso está entregue à Polícia Judiciária (PJ) de Coimbra (ver caixa) e o Conselho de Administração (CA) dos HUC abriu um inquérito interno para averiguar as circunstâncias que rodearam esta morte. “Temos os meios de segurança que julgamos adequados, mas vamos avaliar. Se for possível fazer melhor, agiremos”, disse o presidente do CA, Fernando Regateiro.
PJ ESPERA POR RESULTADOS DA AUTÓPSIA
As causas da morte de Virgínia Melo só serão conhecidas depois da autópsia, que está prevista para hoje. Os resultados dos exames médico legais serão uma peça fundamental para as autoridades policiais, pois podem esclarecer se a morte derivou da agressão. Se as conclusões do Instituto de Medicina Legal não forem taxativas, cabe à Polícia Judiciária de Coimbra proceder à despistagem de todos os elementos de prova, para apurar se há motivos para avançar com uma acusação por homicídio involuntário. O autor das agressões está identificado: é um homem residente em São Martinho do Bispo, com 30 a 40 anos. Mas até à conclusão dos exames forenses, será difícil haver uma detenção. “Para já, o que sabemos é que houve uma agressão às 06h00, que a mulher se sentiu mal perto das 09h00 e acabou por morrer: Mas não é possível ainda estabelecer uma relação entre as duas situações”, explicou um elemento da PJ. Virgínia Melo tinha dois filhos, um deles o mágico Telmo Melo.
HOSPITAL INSTAUROU INQUÉRITO INTERNO
O presidente do Conselho de Administração dos Hospitais da Universidade de Coimbra, Fernando Regateiro, conta com as autoridades policiais para o apuramento das circunstâncias da morte de Virgínia Melo. A nível interno, mandou instaurar um inquérito para averiguar se o sistema de segurança funcionou e foi eficaz. Embora lamente o sucedido, o responsável salienta que a situação ocorreu numa sala de espera aberta ao público, contígua às Urgências, que é considerada “uma zona pacífica, onde as pessoas entram por bem”, sem segundas intenções. No exterior existem câmaras de videovigilância, mas Fernando Regateiro recusa revelar se as agressões foram registadas pelo sistema. “Está tudo nas mãos da polícia”, justificou.
COMENTÁRIO:
Porque é que a polícia não o prendeu? RIDÍCULO! Só cá! Porque é que o administrador do hospital não revelou se havia ou não vídeo? AINDA VÃO DECIDIR SE O VÍDEO COMPROMETE O HOSPITAL? E se assim for desaparece!!!

publicado por TC às 21:34
Um em cada dez profissionais de Saúde no Alentejo é estrangeiro. Dos 2365 médicos e enfermeiros em funções nos hospitais e centros de saúde da região, com vínculo contratual com o Ministério da Saúde, mais de 200 não são portugueses. Dos três distritos, Évora, Beja e Portalegre, é este último o que apresenta uma maior percentagem de ‘forasteiros’.
Só neste distrito existem 106 profissionais de Saúde distribuídos pelos centros de saúde e pelos dois hospitais, o de Elvas e o de Portalegre. Mais de metade de todos os estrangeiros que exercem funções no Alentejo.
Este dado é justificado, de acordo com fonte da Administração Regional de Saúde do Alentejo, pela proximidade com o país vizinho e a falta de médicos generalizada no Interior do País.
Cidadãos naturais do Brasil e dos PALOP também estão representados, mas em número bastante inferior, não chegando à dezena de profissionais.
O segundo distrito com mais representatividade de estrangeiros é o de Évora, embora com uma percentagem de apenas 5,7 por cento. Mais uma vez predomínio de profissionais oriundos de outros países da Europa, embora em número mais equilibrado com outras nacionalidades, incluindo países extracomunitários como a Moldávia. Ao todo, na região de Évora trabalham 59 estrangeiros, num universo de 1034 profissionais entre pessoal médico e de cuidados de enfermagem.
Dos três distritos analisados, é o distrito de Beja o que apresenta um número menos elevado de estrangeiros nos cuidados de Saúde. São apenas 45 profissionais, embora em termos de percentagem seja mais significativo do que o distrito de Évora (7,6 por cento). A estes números não estão somados os profissionais de Saúde contratados por empresas externas que cedem serviços ao Ministério da Saúde.
Maria Joaquina Dominguéz, médica espanhola de 30 anos, está há alguns meses no serviço de Cirurgia do Hospital de Portalegre. “Gosto muito de aqui trabalhar. Fui influenciada por uma colega, também espanhola, que me aconselhou a vir trabalhar para Portugal”, disse a clínica, residente em Badajoz (Espanha), cidade a 70 quilómetros do local de trabalho.
NACIONALIDADES
PORTALEGRE
Nos hospitais e centros de saúde de Portalegre predominam os profissionais espanhóis. Mas também trabalham técnicos oriundos do Brasil, Ucrânia e Angola. No total, são 106 os profissionais estrangeiros no distrito.
ÉVORA
Espanhóis e angolanos estão em maioria no distrito de Évora, mas também há profissionais brasileiros, moçambicanos e moldavos.
BEJA
A maioria dos 45 médicos estrangeiros em Beja é espanhola. Existem também alemães, holandeses, cabo-verdianos e moldavos.
TODOS OS DIAS DE BADAJOZ A PORTALEGRE
Maria Joaquina Dominguéz é uma das médicas espanholas a trabalhar no Alentejo. Reside em Badajoz, a 70 quilómetros do Hospital de Portalegre, onde trabalha.
COMENTÁRIOS:
- paula franca

No centro de saúde de Albufeira está uma médica Ucraniana de nome Maria Mota que além de ser uma excelente profissional é de uma simpatia fora de série quem me dera que fosse a minha médica de família.- www.paulodarcy.com
Com as médias de acesso a cursos de medicina que temos em Portugal, esta notícia não é de espantar. As universidades espanholas estão cada vez mais cheias de estudantes portugueses. E se estes decidirem ficar por Espanha, só revelam a sua inteligência!
- josé afonso

As politicas destes governos estão à vista. Falta tudo e fecham tudo, este é o país real. O outro país é o paíszinho onde os governantes se passeiam longe das realidades.
- Leitora CM

Eis uma prova de que existem médicos a menos em Portugal, daí aceitarem os estrangeiros que, de certo, farão um excelente trabalho sem snobismos. Só no nosso país com baixo nível cultural, se vê a classe médica, com rendimentos milionários e nem sempre pagando os impostos que deveriam, pois nem todos pedem recibo e eles não os passam sem ser solicitado. É claro que há excepções. (Leiria)
- alberto

Não vejo onde está o problema. Será ainda maior o número de estrangeiros em várias profissões quando os efeitos da baixa demografia se fizerem sentir. Mas acho de salutar o país ter outras mentalidades inseridas nos serviços públicos.
- P.B.

Já era tempo de se abrir um curso de Medicina no Sul do país.Se o governo quer aumentar para 2000 as vagas de medicina,há que tomar medidas.Não me parece muito sensato sobrecarregar os cursos existentes mais do que estão.O facto é que a falta de médicos é uma realidade em Portugal.Com os contratos milionários que se fazem com médicos contratados,não me parece que se resuma a má distribuição.
publicado por TC às 21:26
22
Nov
07
Hoje vou começar a dar prémios.
€€€€€€ - MILHÕES DE EUROS - €€€€€€
Brincadeira!!!
...
Todos os meses vou nomear um blog que no meu entender lute por um país democrático.
Este é um prémio que deve ser partilhado por quem o receber, nomeando os de sua eleição. Aqui ou no seu blog.
Vou já começar!

E o 1º premiado com o prémio "Blog Democrático" é:

Do Portugal Profundo
O blog Do Portugal Profundo é um exemplo de luta pela igualdade de toda a população. Neste mês de Novembro o António Balbino continuou a "nossa" luta contra a pedofilia nomeadamente denunciando o CASA PIA II.
É um espaço que eu visito diariamente. É um dos meus jornais diários.
Parabéns António.
Continua o bom trabalho.
tags:
publicado por TC às 22:24
21
Nov
07
Esta notícia que segue , vai direitinha daqui, do RCP.
O ministério da Educação contratou duas vezes o mesmo advogado para fazer o mesmo trabalho. No primeiro contrato, o advogado João Pedroso comprometia-se a fazer um levantamento das leis sobre a Educação e ainda a elaborar um manual de direito da Educação.
O trabalho deveria estar concluído até Maio de 2006, mas tal não aconteceu. Apesar de não ter sido concluído nos prazos previstos, o advogado recebeu a remuneração. Ainda assim, o ministério fez depois com João Pedroso um novo contrato com os mesmos objectivos, mas a pagar uma remuneração muito mais elevada.
Em vez dos iniciais 1500 euros por mês, João Pedroso passou a receber 20 mil euros/mês.
Perante estes factos, o ministério da Educação justifica-se dizendo que os objectivos do primeiro contrato não foram cumpridos por erro de avaliação. O secretário-geral do ministério assume as responsabilidades da tutela. Ao Rádio Clube, João da Silva Baptista diz que o ministério não soube avaliar o volume de trabalho que entregou à equipa liderada por João Pedroso da primeira vez. Por causa do erro de avaliação, o ministério da Educação acabou por ficar sem possibilidade de exigir a João Pedroso para acabar o trabalho pelo qual foi pago e decidiu por isso pagar mais e renovar o contrato.
João Pedroso, contactado pelo Rádio Clube, recusou comentar os contratos que assinou com o ministério da Educação, remetendo todos os esclarecimentos para o Governo. Uma notícia Rádio Clube investigada pelo jornalista Nuno Guedes.
Como refere a notícia, logo a abrir, João Pedroso ( irmão de Paulo Pedroso) é advogado. Formado em Direito, Mestre e "doutorando" (desde 2004) em Sociologia do Direito, pela faculdade de Economia da Univ. Coimbra, eventual especialista em questões de protecção de crianças e jovens, em nome do que lecciona em cursos de pós-graduação, na Universidade de Coimbra, no âmbito do Centro de Direito da Família - (uma Associação privada sem fins lucrativos, constituída em Novembro de 1997, composta por docentes da Faculdade de Direito de Coimbra e por investigadores dedicados ao estudo e ao desenvolvimento do Direito da Família e dos Menores).
É este indivíduo, com este currículo que o ministério da Educação do actual governo, contratou para elaborar um "manual de direito da Educação", pagando-lhe para tal, (segundo a notícia do RCP) do Orçamento do nosso Estado, 20 mil euros por mês, depois de lhe ter pago outra, pela elaboração do tal manual que deveria estar concluído em Maio de 2006, mas não estava. Atrasos, derivados certamente da complexidade extrema da nossa legislação sobre Educação. Temos por isso, uma avença.
Perfeitamente legal.
Os juristas, às dúzias, no ministério da Educação, entretanto, vão-se entretendo com os seus ofícios-circulares.
Não servem para compilar um "manual de direito da Educação", pelo que o outsourcing, vindo de tão singular especialista em sociologia do Direito, torna-se mais do que justificado. Obrigatório até.
Segundo Oliveira Martins, presidente do Tribunal de Contas, em entrevista à mesma rádio, em Portugal, os contratos com o Estado sofrem uma derrapagem de cem por cento, em média. Ou seja, uma boa parte, custa mais do dobro do inicialmente previsto... e tudo dentro dos conformes da lei
Como já se escreveu, a ética republicana, é a lei.
Este post foi copiado da Grande Loja do Queijo Limiano
publicado por TC às 17:27
É agora enfatizado que o Pinhal Novo é nova proposta para a localização do Novo Aeroporto de Lisboa (NAL). Esta notícia que cita um estudo do Engenheiro Pompeu dos Santos não deveria passar despercebida aos opinadores da Comunicação Social, porque encerra realidades que não podem ser ignoradas – a força dos lobis que não desistem perante uma eventual derrota e procuram escolher terreno mais favorável para nova batalha.

Já vai longe a data em que as duas alternativas eram a Ota e o Rio Frio. Como os terrenos da Ota eram mais baratos por não interessarem nem à agricultura nem ao urbanismo, várias pessoas se podem ter tentado a investir aqui em força para colherem boas «mais valias» no momento da expropriação, para a construção do NAL e as pressões para ali se orientaram. Soa que tais pessoas estiveram ligadas a idêntico investimento no distrito de Beja tendo em mira as construções da A-2, de um projectado centro de rastreio de satélites em Almodôvar e de um resort chinês com amplos campos de golfe e um centro logístico para abastecer toda a Europa a partir do porto de Sines.

Tendo, assim, sido desprezada a hipótese de o NAL ir para Rio Frio, ficou apenas a Ota para gáudio daqueles que ali investiram e o caso estava considerado encerrado, com o ministro Lino a dizer, com a sua pronúncia francesa, que no «deserto» da margem sul «jamais» seria construído. Com o «jamais» mostrou-se desactualizado quanto à geopolítica, pois, hoje é mais curial usar termos em inglês do que no obsoleto francês. Mas, como é iberista...

Porém, alguém não preso pelo pescoço ao Poder, nem ao grupo influente dos investidores prediais, alertou para os graves inconvenientes da Ota e para as variadas vantagens da margem Sul. E surgiu a hipótese de Alcochete onde o Estado possui terreno suficiente para instalar o NAL com todas as suas dependências. Os investidores não podiam encarar com bons olhos tal solução, por não haver hipótese de ali virem a beneficiar de mais valias, mas, na sua esperteza, viram que a lógica iria inclinar-se para a margem esquerda do Tejo, dadas as vantagens variadas daí resultantes para o País. Ora, naquela margem, no tal «deserto», dado que o Rio Frio já tinha sido excluído do campeonato, e Alcochete não lhes interessar, havia que deitar as garras à hipótese, já em tempos referida de fugida, do Pinhal Novo.

Agora vinda a público a notícia baseada em estudo elaborado por técnico credenciado, há todo o interesse em investigar o que consta ou venha a constar na Conservatória do Registo Predial da área quanto às transacções de terrenos efectuadas desde o início deste ano. Desta forma, à semelhança de igual pesquisa na região da Ota, ficará a saber-se quem tem originado tantos atrasos na decisão sobre a localização do NAL e causado tão vultosas despesas em sucessivos «estudos» e «comissões de estudo». É certo que os custos desses estudos não foram perdidos porque entraram no bolso de «estudiosos» amigos e da confiança dos detentores do Poder! Mas o erário público, o dinheiro dos nossos impostos, esse foi gravemente lesado, bem como os custos da demora da entrada em funcionamento do NAL e as sucessivas adaptações entretanto necessárias na Portela para poder manter a operacionalidade por mais tempo.

Esperemos para ver. Mas a lógica não trará grandes surpresas ao que aqui fica esboçado, à laia de profecia.
publicado por TC às 17:26
20
Nov
07
publicado por TC às 22:03
CLIQUE na imagem para aumentar
OBRIGADO SRA. MINISTRA!!! Agora sim, ser professor, é uma profissão com futuro.
publicado por TC às 21:58

Centenas de milhares de funcionários públicos paralisaram esta terça-feira em França e juntaram-se aos ferroviários em greve há uma semana, marcando um pico na contestação das medidas sociais consideradas indispensáveis pelo presidente Nicolas Sarkozy para reformar o país, escreve a Lusa.

Manifestações reuniram dezenas de milhares de pessoas em várias cidades de França, nomeadamente em Paris onde o cortejo desfilou encimado por uma faixa proclamando: «Juntos pelos salários, o emprego e os serviços públicos».

Em resposta, o presidente francês insistiu hoje na «necessidade de reformas» em França e prometeu «não ceder» aos contestatários.

«Não cederemos e não recuaremos», disse Nicolas Sarkozy no congresso dos presidentes de câmara franceses.

«A França precisa de reformas para ultrapassar os desafios que o mundo lhe coloca. Estas reformas demoraram demasiado tempo», afirmou na sua primeira intervenção pública desde o início do movimento social.

Segundo Sarkozy, «após tanta hesitação, tanto adiamento, tanto recuo, é uma verdadeira ruptura que se tornou necessária para impedir o declínio».

O presidente lembrou, a propósito, que foi eleito em Maio com um programa de «ruptura».

Retirado de Portugal Diário

Estamos perante as contestações sociais, os mais elementares direito dos cidadãos estão postos em causa, redução de salários, redução de regalias sociais, pior justiça, pior educação, tudo em prol do capitalismo e dos grandes grupo económicos.

Também hoje na "VALORSUL" em plenário os trabalhadores estarão empenhados em não ceder a uma administração MENTIROSA, e com falta às promessas anteriores, mas se na França de Sarkosy, a Função pública se juntou aos protesto dos transportes públicos, pondo a mesma a perder entre 300 a 350 milhões de Euros/dia desde o inicio da greve, aqui, nesta Republica de Bananeiros, quando havia um mote para se encalacrar o Governo, toda a gente critica os Grevistas...

Como somos pequeninos!!!

MAS A MIM NINGUÉM ME CALA!!! A LUTA CONTINUA...
publicado por TC às 19:48
19
Nov
07
METALLICA - One
publicado por TC às 17:28
No JN de hoje, com o título de "Interesse público", o jornalista Manuel António Pina aborda, com a sua subtileza e a perspicácia habituais, aspectos curiosos da corrupção. Por um lado, os jornalistas pegam com pinças deontológicas os casos criminais de corrupção que envolvem muitos zeros ou gente para quem os muitos zeros são triviais. O respeitinho é muito lindo e os jornalistas sabem tê-lo em atenção quando se referem aos detentores do poder, seja qual for o aspecto de este se evidenciar, político, económico, empresarial.

Por outro lado, à semelhança do touro manso que, inesperadamente, se toma de brios, encrespam-se em defesa do «interesse público», por causa de simples amendoins, o que foi notório há dias quando tantos «jornalistas correram para a porta de um tribunal onde eram interrogados uns árbitros e uns dirigentes do futebol regional, suspeitos de câmbio de 500 euros pelo resultado de um jogo». O "interesse público" da semana era o Lamego-Cinfães. E a notícia era que o resultado foi, mais euro menos euro, 2-2.

A volubilidade de conceitos jornalísticos, como o de "interesse público", seria tema interessante para uma tese de doutoramento em Comunicação Social. É que parece ninguém se ter interessado minimamente por saber quais são as "grandes empresas" que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais acusou de estarem envolvidas em crimes de fraude fiscal, provavelmente de valor superior a 500 euros! Bem tentou o secretário de Estado espicaçar a curiosidade de jornais e jornalistas com a lista das "1000 maiores empresas portuguesas" e bem o presidente da CIP deixou cair, como as senhoras púdicas de antigamente deixavam cair o lenço, a pista das construtoras civis. Em vão. Aqui os jornalistas não conseguiram descortinar o «interesse público», tal é a sua miopia. Ou haverá vantagem em tal conivência, do ponto de vista da segurança profissional e pessoal?

O tal respeitinho pelos poderosos caídos na tentação da corrupção ou a leve esperança de cada português poder vir a beneficiar com tais habilidades levou há meses o PGR a afirmar que o combate à corrupção é extremamente difícil porque o povo não a condena e não a denuncia. Quem, então, a pode eliminar dos costumes usados no enriquecimento fácil? Parece que ninguém está interessado nisso, porque quem era suposto realizar tal tarefa, não evidencia o mínimo interesse pessoal nela, antes pelo contrário. Recordem-se as reacções do poder político às propostas de João Cravinho.
publicado por TC às 17:05
No dia de memória pelos mortos na estrada, o propagandista do ministro da administração interna (nome pomposo para um ministro do interior – se não fosse administração, que seria? Máfia?) no seu estilo de cúmulo de cinismo, não quis desperdiçar a ocasião para mais um afronto aos mortos na estrada e às suas famílias. A sua propaganda enoja mais que os desventrados dos acidentes.

Que outra coisa se poderá dizer dum aborto que em lugar de providenciar para o fim da matança na estrada se aproveita para uma propaganda infame e abjecta e para roubar a população com multas que os construtores e sinalizadores deveriam pagar? Que demonstração de desonestidade e de malvadez mais descaradas! Se fosse honesto, em lugar de se aproveitar da desgraça dos outros para a sua propaganda asquerosa, proveria a que as cartas de condução fossem dadas apenas a quem soubesse conduzir, que os instrutores fossem competentes, que o manual fosse compreensivo. Se quisesse verdadeiramente terminar com a matança, além disto deixaria de ser cobarde e diria aos portugueses que se matam por serem selvagens incivilizados, que se comportam na estrada como na vida comum, mas que neste caso a consequência é a morte ou a invalidez.

Para que serve ter uma carta de condução quando a sua posse não tem qualquer significado nem garante seja o que for, pelo que nem justifica multar que conduza sem ela? Porque é que conduzem embriagados? Porque é que excedem uma velocidade razoável? Gente civilizada não o faz, nem nos países onde a velocidade não é limitada em auto estradas.

Que é isso da chamada Prevenção Rodoviária em Portugal, se não mais um acto propagandista para pretender justificar multas que para nada servem senão para o saco azul para os ministérios e outros comprarem veículos de luxo? Uma máfia podre que rouba e assassina os cidadãos.

Afinal, segundo o seu comportamento, este ministro não passa dum execrando cobarde depravado e nojento, um repugnante como todos os outros cobardes da sua laia, mas pior, pois que com a sua cobardia é o maior contribuidor nacional para o massacre, o assassino da estrada número um.
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Sobre o mesmo assunto:
Férias – Aproveite Para se Matar (artigo e diapositivos)
Os Assassinos da Estrada
Bloqueio dos Carros é Prova de Irracionalidade
A Estrada Espelha o «Civismo» dos Portugueses
Mortes na Estrada Continuam
Acabar com Mortes na Estrada
As Mortes na Estrada Continuam
A Tragédia Rodoviária Continua
O Trânsito, as Leis e a Realidade

publicado por TC às 01:47
17
Nov
07
Há um blog AQUI
publicado por TC às 14:20
16
Nov
07
CLICA EM BAIXO para veres melhor
publicado por TC às 18:57
In Publico online

O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, foi apanhado a conduzir em excesso de velocidade durante uma operação stop da PSP, que era acompanhada pelo governador civil de Viseu. Na Avenida da Europa, dentro da cidade, onde é proibido circular a mais de 50 km/h, Ruas foi o primeiro condutor a ser fiscalizado pelos agentes que controlavam a velocidade. O radar marcou 89 km/h.

De acordo com as ordens dos agentes, Ruas encostou a viatura, um jeep da câmara. Mas, no momento imediatamente a seguir, o governador civil de Viseu, Acácio Pinto, aproximou-se da viatura e conversou com o autarca. Pouco tempo depois, Ruas seguia viagem, sem ser identificado pelos agentes, ao contrário do que estava a acontecer com outros condutores fiscalizados noutro ponto da cidade, nomeadamente na circunvalação, junto à Universidade Católica.

Fernando Ruas, em declarações ao PÚBLICO, confirma que foi mandado parar pelos agentes, mas nega ter sido informado sobre qualquer infracção que possa ter cometido. "Fiz tudo o que os agentes me mandaram", sublinhou, adiantando que o governador civil de Viseu se limitou a informá-lo da operação que estava a decorrer.

A mesma versão é dada por Acácio Pinto, que garante não se ter apercebido de que o autarca foi mandado parar por conduzir com velocidade acima dos limites legais.

O comandante da PSP de Viseu, Almeida Campos, também se encontrava no local, mas na sexta-feira (noite em que decorreu a operação stop) não confirmou se Ruas tinha ou não cometido qualquer infracção, remetendo explicações para mais tarde.

Ao PÚBLICO, Almeida Campos garantiu ontem que Fernando Ruas foi fiscalizado, tendo o radar detectado uma velocidade 89 km/h. Posteriormente a esta confirmação, o autarca voltou a afirmar que desconhecia ter cometido qualquer infracção, não estranhando por isso que os agentes não o tenham identificado.

Ruas disse não perceber a razão por que estava a ser questionado, argumentando que "os jornalistas não são polícias". Se receber a notificação, assegura, irá agir como qualquer cidadão. "Irei pagar, ou não", adiantou, dizendo que ninguém tem a ver com o assunto.

Almeida Campos, da PSP de Viseu, justifica com uma "descoordenação entre agentes" o facto de Fernando Ruas não ter sido identificado pela PSP, assim que os polícias detectaram a infracção. Segunda relata, o agente que ordenou ao autarca para parar não informou o outro agente de que deveria ter pedido os documentos a Ruas. Como o governador civil se aproximou, um outro agente, com a função de manter a segurança, autorizou "indevidamente" que o autarca seguisse viagem, mal o governador civil de Viseu se despediu do autarca, adianta o comandante da PSP de Viseu. Quando o agente quis identificar o condutor "já era tarde", explica Almeida Campos.

Pelo facto de ter existido um "erro", Almeida Campos nega qualquer "tratamento especial" por se tratar do presidente da Câmara de Viseu. Apesar de Ruas não ter sido identificado no momento da infracção, o comandante garante que Ruas irá receber uma notificação, por forma a ser identificado o condutor responsável pela infracção. "Não restam dúvidas de que era o presidente da Câmara de Viseu", afirma Almeida Campos, tendo em conta que se encontravam no local vários agentes da PSP e jornalistas. Ruas deverá pagar entre 120 (mínimo) a 600 euros de multa. A infracção, considerada grave, prevê também a inibição de condução durante um mês.

publicado por TC às 16:55
Recebido por e-MAIL

Ex.mo Senhor Ministro das Finanças
Victor Lopes da Gama Cerqueira, cidadão eleitor e contribuinte deste País, com o número de B.I. 8388517, do Arquivo de identificação de Lisboa, contribuinte n.º152115870 vem por este meio junto de V.Ex.a para lhe fazer uma proposta:


A minha Esposa, Maria Amélia Pereira Gonçalves Sampaio Cerqueira, foi vítima de CANCRO DE MAMA em 2004, foi operada em 6 Janeiro com a extracção radical da mesma. Por esta "coisinha" sem qualquer importância foi-lhe atribuída uma incapacidade de 80%, imagine, que deu origem a que a minha Esposa tenha usufruído de alguns benefícios fiscais. Assim, e tendo em conta as suas orientações, nomeadamente para a CGA, que confirmam que para si o CANCRO é uma questão de só menos importância. Considerando ainda, o facto de V. Ex.ª, coerentemente, querer que para o ano seja retirado os benefícios fiscais, a qualquer um que ganhe um pouco mais do que o salário mínimo, venho propor a V. Ex.ª o seguinte:

a) a devolução do CANCRO de MAMA da minha Mulher a V. Ex.ª que, com os meus cumprimentos o dará à sua Esposa ou Filha.
b) Concomitantemente com esta oferta gostaria que aceitasse para a sua Esposa ou Filha ainda:


c) os seis (6) tratamentos de quimioterapia.

d) os vinte e oito (28) tratamentos de radioterapia.
e) a angustia e a ansiedade que nós sofremos antes, durante e depois.

f) os exames semestrais (que desperdício Senhor Ministro, terá que orientar o seu colega da saúde para acabar com este escândalo).

g) ansiedade com que são acompanhados estes exames.
h) A angústia em que vivemos permanentemente.

Em troca de V. Ex.ª ficar para si e para os seus com a doença da minha Esposa e os nossos sofrimentos eu DEVOLVEREI todos os benefícios fiscais de que a minha Esposa terá beneficiado, pedindo um empréstimo para o fazer.


Penso sinceramente que é uma proposta justa e com a qual, estou certo, a sua Esposa ou filha também estarão de acordo.


Grato pela atenção que possa dar a esta proposta, informo V.Ex.a que darei conhecimento da mesma a Sua Ex.ª o Presidente da República, agradecendo fervorosamente o apoio que tem dispensado ao seu Governo e a medidas como esta e também o aumento de impostos aos reformados e outras...


Reservo-me ainda o direito (será que tenho direitos?) de divulgar esta carta como muito bem entender.


Como V. Ex.ª não acreditará em Deus (por se considerar como tal...) e por isso dorme em paz, abraçando e beijando os seus, só lhe posso desejar que Deus lhe perdoe, porque eu não posso (jamais) perdoar-lhe.


Atentamente
19/Outubro/2007

Victor Lopes da Gama Cerqueira


Certamente, meu caro Victor que este assunto já correu os corredores da política, e ainda que façam os políticos olhar de escárnio sobre este tema, nós cidadãos jamais nos poderemos calar e temos o direito à indignação. Estou consigo meu caro, não é as atitudes mediáticas mais recentes do ministro (face a um problema de uma junta médica) que nada mais são do que propaganda do PS, temos de louvar este seu esforço em prol de todos nós. A MIM NINGUÉM ME CALA!!!
publicado por TC às 14:55
14
Nov
07
Olá a todos,

Na Quarta-feira dia 31 de Outubro, véspera de feriado, vim deixar os meus dois filhos do meio (tenho 4 filhos), de 5 e 4 anos, a casa por volta das 18.30 com a minha empregada que estava em casa com a mais pequena e voltei a sair para ir tratar de uns assuntos pessoais. Eram mais ou menos umas 19.00, quando recebo uma chamada de casa no meu telemóvel; era a minha empregada a perguntar-me se eu tinha pedido a alguém para vir buscar os meus filhos de 4 e 5anos, eu fiquei um bocado confusa na altura, e disse-lhe que não mas porquê, ela respondeu-me que estava um homem no intercomunicador do prédio a dizer que vinha buscar os meus filhos e que tinha mesmo dito o nome deles, comecei a ficar cada vez mais assustada e disse-lhe para lhe perguntar quem era ele e quem o tinha mandado ao que ele respondeu dizendo que era o João Pereira e que tinha sido a D.Marta (eu) que lhe tinha dito para vir buscar os meninos; ela ia-me contando tudo mas com o intercomunicador desligado, para ele não perceber e eu pedi-lhe para ela lhe perguntar para onde ele queria ir, porque estava na esperança que ele se tivesse enganado no andar e que por muita coincidência houvesse alguém com o mesmo nome que eu e com duas crianças com os mesmos nomes que os meus filhos, mas a minha empregada percebeu que era para lhe perguntar para onde ele ia com as crianças e quando ela fez essa pergunta, quem estava lá em baixo, não respondeu mais e ela ouviu um barulho que possivelmente era a porta da entrada a bater (talvez de alguém que tinha saído).
Claro que fui directa à esquadra mais próxima de casa, onde me disseram que não podiam fazer nada, nem tirar impressões digitais, nem sequer apresentar queixa porque, uma tentativa de rapto, não é considerado um crime e que a responsabilidade é toda dos pais, etc etc etc..basicamente além de me ter assustado ainda mais dizendo que estes casos são mais comuns do que se pensa, perguntaram-me a que Jardins públicos eu ia, ao que respondi ao Jardim da estrela e ao jardim da parada em campo de Ourique, e o Polícia disse-me que tem pedófilos referenciados nestes Jardins e que ele próprio já tinha visto um homem a tirar fotografias a crianças que não lhe eram nada.....Enfim isto para dizer que o perigo é bem mais real do que aquilo que eu pelo menos imaginava!

E é por isto que mando este mail com esta história inacreditável que se passou comigo e que como é obvio me deixou bastante assustada e muito preocupada.
Fomos aconselhados a ir directamente à polícia Judiciária e é o que vamos fazer amanhã, fora isto não há muito mais a fazer a não ser espalhar esta história pelo máximo numero de pessoas possível, 1º para estarmos todos com muita atenção porque pelos vistos isto não se passa só nos filmes e depois porque tenho esperança que alguém já tenha ouvido um caso parecido e me possa dizer alguma coisa ou ajudar de alguma maneira!

Peço por isso que espalhem este mail por todos os vossos conhecidos e amigos e que se alguém souber de alguma coisa me responda para o meu e'mail.

Obrigada,

Marta Lino


Não conheço a pessoa em questão, recebi por e-mail e achei interessante partilhar convosco, e mais vale prevenir que remediar, não vá o DIABO tecê-las.
publicado por TC às 22:11
O blog Epá Cum Catano atribuíu o "Fly Award" ao nosso Democracia em Portugal. Este prémio premeia os blogues que nos dão prazer ler e que são bem escritos.

Obrigado Zé Pedro. Adoro o teu blog. Só é pena seres benfiquista...

Cabe-me fazer a minha parte agora e nomear também alguns blogues, ora aí vai:

Do Portugal Profundo

Wehavekaosinthegarden

As Vicentinas de Braganza

Grande Loja do Queijo Limiano

A Sinistra Ministra
publicado por TC às 18:56


No primeiro diploma,
Congelam as progressões,
Acabam os escalões,
E não dizemos nada.

No segundo diploma,
Aumentam o tempo das reformas,
Mexem com todas as normas,
E não dizemos nada.

No terceiro diploma,
Alteram o sistema de saúde,
Há um controlo amiúde,
E não dizemos nada.

No quarto diploma,
Criam-se informações,
Geram-se várias divisões,
E não dizemos nada.

No quinto diploma,
Passa a haver segredo,
As pessoas vivem com medo,
E não dizemos nada.

Até que um dia,
O emprego já não é nosso,
Tiram-nos a carne fica o osso,
E já não podemos dizer nada.

Porque a luta não foi travada,
A revolta foi dominada,
E a garganta está amordaçada.

(de autor anónimo)

publicado por TC às 16:12

O Parlamento Europeu defendeu hoje, ao aprovar um relatório sobre o papel do desporto na educação por 590 votos a favor, 56 contra e 21 abstenções, que a educação física deve ser obrigatória na escola primária e secundária, com pelo menos três aulas por semana. O relatório da Comissão da Cultura e da Educação do PE refere que em Espanha, Portugal e Itália os níveis de excesso de peso e de obesidade são superiores a 30% nas crianças com idades compreendidas entre os 7 e os 11 anos.

O PE propõe que o horário escolar inclua, pelo menos, três aulas de educação física por semana, "embora as escolas devam, na medida do possível, ser incentivadas a ultrapassar este objectivo mínimo" para que haja um "equilíbrio" entre as actividades físicas e intelectuais durante o período escolar.

Os eurodeputados exortam os Estados-Membros a investir em instalações desportivas de qualidade nos estabelecimentos de ensino e nos centros de treino e afirmam ser favoráveis à "concessão de incentivos aos clubes desportivos" que celebrem acordos de colaboração com escolas, estabelecimentos de ensino, centros de jovens, e outras organizações comunitárias ou de voluntariado envolvidas em projectos no domínio da aprendizagem ao longo da vida.

O aumento da obesidade em toda a Europa, nomeadamente entre os jovens, é alarmante e constitui uma grande preocupação no domínio da saúde pública. O número de crianças da União Europeia com excesso de peso e obesidade aumenta em mais de 400.000 por ano, para além dos mais de 14 milhões de cidadãos europeus que já têm excesso de peso (incluindo, pelo menos, 3 milhões de crianças obesas), indica o relatório de Pál SCHMITT (PPE/DE, HU).

De acordo com os dados do relatório, a obesidade afecta actualmente 21 milhões de crianças na UE. Na UE-27, o excesso de peso afecta quase uma em cada quatro crianças. Em Espanha, Portugal e Itália os níveis de excesso de peso e de obesidade são superiores a 30% nas crianças com idades compreendidas entre os 7 e os 11 anos. As percentagens do aumento do excesso de peso e da obesidade na infância variam, com a Inglaterra e a Polónia a registarem os maiores aumentos. Em termos gerais, as crianças estão em pior forma física do que a geração dos anos 70 e 80.

"Não é tanto o aumento da dose de calorias que provoca o excesso de peso, mas a inactividade física: as crianças não comem mais, mexem-se menos", afirma o relator.

Nos últimos anos, o tempo atribuído à educação física em toda a UE diminuiu gradualmente: desde 2002, foi reduzido de 121 para 109 minutos por semana para a escola primária e de 117 para 101 minutos para a escola secundária.

Consultar
http://www.europarl.europa.eu/sides/getDoc.do?pubRef=-//EP//TEXT+REPORT+A6-2007-0415+0+DOC+XML+V0//PT&language=PT
Relatório do Parlamento Europeu sobre o papel do desporto na educação

Consultar
http://www.europarl.europa.eu/activities/expert/eStudies/download.do?file=16041
Dados sobre a educação física em cada um dos Estados-Membros da UE

COMENTÁRIO: Até que enfim que há gente a pensar no desporto como excelente remédio para a falta de saúde. Fico à espera SENTADO para ver quando é que serão tomadas medidas em Portugal...

publicado por TC às 16:05

links

Ganha dinheiro na Net

L-Image-4_1-216x54

tags

todas as tags

blogs SAPO