...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

subscrever feeds
tags

todas as tags

Pesquisa personalizada

30
Jun
10




Imagem do Kaos

Pronto, acabou a praga das vuvuzelas, e acabou demasiado tarde, para o meu gosto.
Agora, é altura de cair na real, e a real é impiedosa.

Vou começar por vos mentir e escrever um pouco à Hans Christian Andersen, para que fiquem embalados, e depois apanhem ainda com mais força com tudo aquilo que vos vou despejar em cima.

Portanto, era uma vez um país decadente, governado por uma "Princesa" esquizofrénica e com tiques paranóides, que vivia isolada numa Torre do Héron Castilho, e tinha uma mãe muito boazinha, Jeová, que todos os dias lhe dizia que o Fim do Mundo era uma coisa "natural", portanto, podia continuar em frente, porque todo o desenrolar já vinha previsto nos números atrasados da "Sentinela". Essa "Princesa" era muito infeliz, porque vivia cercada de fadas que lhe faziam conspirações negras, quando o coração dela era puro e sucateiro, e tinha uma abóbora no duodeno, que se transformava em impostos, sempre que soavam as doze badaladas da meia noite. A "Princesa" sofria muito, porque não havia macho que a satisfizesse, e ela vingava-se nos seus súbditos, que, entretanto, já estavam tão fartos de golpes baixos, de vilania e de mentira que achavam todos que a "Princesa" se tinha de ir embora, e ser substituída por qualquer coisa, nem que fosse a Maya, em dia de profecias.

E aqui acaba o conto de fadas, e começa a História recente, que assim reza: o primeiro grande corrupto em grande escala que governou Portugal depois do 25 de Abril (excluo Soares, porque era de meios mais limitados) chamava-se Aníbal Cavaco Silva, e fez desaparecer, durante dez anos de Vergonha Absoluta, aquilo que a Europa para cá mandava, com o nome de "Fundos Estruturais", o que, se me não falham os conhecimentos etimológicos, eram dinheiros infraestruturais, para criar os alicerces sobre os quais se deveria erguer o novo Portugal, membro da abastada família europeia.

Cavaco, como todos os mentores da Corrupção, não roubava, fechava os olhos aos roubos, que eram tutelados por criminosos de lesa-pátria cujos nomes, entre muitos, aqui relembro: Torres Couto, Mira Amaral, Ferreira do Amaral, Miguel Cadilhe, Fernando Catroga, João de Deus Pinheiro, Dias Loureiro, Oliveira e Costa, e, só para pôr mais um, o pior de todos, Cardoso e Cunha.

Passados 10 anos, Portugal tinha destruído a sua infraestrutura ferroviária, tinha vendido os Têxteis, a Agricultura, a Metalúrgia, as Pescas, e tinha-se tornado num importador puro, ao nível das audácias do Sr. D. João V, só que este João não era João, era Aníbal, e era plebeu, e plebeu da plebe mesmo plebe, e natural de Boliqueime.

O sr. Aníbal, caso tenham esquecido, acabou num dia em que os Portugueses, povo com matriz de Toureiro, o resolveu tourear, a sério, no Garrafão da Ponte, acho que por causa de 25 tostões (!), se me não falha a memória...

Cavaco, um cobarde, sempre com as mãos transpiradas, teve medo de que os camionistas, os "motards", os audaciosos do volante, os anarquistas, a juventude, os peões e as padeiras exaltadas agarrassem em chuços e lhe fossem buscar a cabeça a S. Bento, pelo que, quando, pelo telefone laranja, o criminoso Dias Loureiro lhe perguntou, "Sr. Primeiro Ministro, posso mandar disparar?...", o Aníbal e a sua vergonhosa Maria de "Centro Esquerda" taparam os ouvidos, e responderam, em coro, "sim...", muito baixinho, mas semioticamente afirmativo, o que infaustamente fez relembrar aos Portugueses, e muito corretamente, os tempos negros da Ditadura.
Estavam, de novo, em Ditadura, e o Ditador, era, desta vez, o Gasolineiro de Boliqueime, que tinha de ser apeado, e o foi, passados uns poucos meses.

Portugal, anestesiado por estas porcarias em que vive permanentemente imerso, a morte do sinistro Saramago, a visita do criminoso Ratzinger, e os passeios da Seleção dos Narcisos pela África do Sul, esqueceu-se de que a boca se não alimenta diariamente dos reflexos dos vidros baratos das orelhas do Cristiano Ronaldo, senhor de uma pele que espelha gerações de fome e miséria, e com umas pernas iguais às do meu avô, antes de ir desta para pior, mas quis o Fado, primo do Futebol e de Fátima, que o sedativo da África do Sul tivesse terminado hoje, o que vai obrigar os Portugueses a olhar, de frente, para os presentes grandes responsáveis pela ruína do seu periclitante bem estar, dos seus escassos bens adquiridos em tempos de vacas ligeiramente gordas, e para o enorme montante de dívidas que tiveram de contrair, porque, em vez de serem aplicados nas estruturas de um país produtivo, culto e civilizado, tinham desaparecido em alcatrão roubado das estradas, em automóveis de grande cilindrada, em vivendas com piscina, em "Fundações", em "off-shores", em Bancos Suíços, em Universidades fantasma, em submarinos, em BPNs e BPPs, em paneleiros e putas de gabinete, pleonasticamente chamados de "assessores", entre 6000, 8000 e 10 000 € por mês, em Zeinais Bavas, em Mexias, em Vítores Constâncios, em Jardins e, sobretudo, em irreversíveis DESERTOS.

Num programa inacreditável, chamado "Prós e Contras", eu, que só vejo os noticiários da RTP2, a pornografia do Goucha e alguns concertos da madrugada, assisti a qualquer coisa de surreal, que era um merceeiro, a quem tratavam por "Sr. Secretário de Estado (!)", a defender que ia haver "des petites bestioles", em Inglês, "chips", que iam ser atracados às matrículas dos carros, para pagarem estradas que já tinham sido pagas várias vezes, com os dinheiros desviados para gerações de ladrões de Estado, inseridos no célebre Latrocínio Autónomo das Estradas.
A pergunta natural, porque desapareceram as fronteiras, é como é que iriam ser inseridos no sistema, em períodos de fluxo turístico, e em rotinas de fortíssimo tráfego mercantil de estrada, num país onde o Cavaco destruiu as vias férreas e o TGV se tornou obsoleto, mesmo antes de existir, todos os incautos que se aventuram neste retângulo de marginalidade, desrespeito pelo cidadão e pela Lei, a que insistem em chamar "Portugal".~

Ora, acontece que o merceeiro tinha resposta para tudo, mas num crescendo de calibre que haveria de pôr Kafka, se fosse vivo, a tirar de ali ideias para um excelente romance póstumo, que nunca se atreveria a escrever. Há limites para o Humor Negro, e para a crítica, através do discurso surreal.

Acho que já me alonguei demais, e vou, portanto, direito à mensagem.
Com os "Narcisos" corridos da África do Sul, o País sobreendividado, as famílias falidas, o Desemprego em rota crescente, a Classe Política a ser ocupada por criminosos, que, ou roubam gravadores ou roubam o que calha, mas roubam sempre e impunemente, o Sistema Judicial refém das cabalas secretas que nos governam, Maçonarias, Pedofilias, Lobbies Gay, Bilderbergers, Traficantes de Armas, Droga, Plutónio e Corpos, o Sr. Sócrates, uma pálida filigrana daquela mulher histérica, que berrava há três anos que estávamos no bom caminho, arrisca-se a ter o seu Garrafão nas Scut, mas um Garrafão em grande, disseminado pelo país inteiro, e com a rolha a saltar nas ocasiões mais imprevistas.

A isto chama-se "Direito de Indignação", e está constitucionalmente previsto.
É uma metáfora que diz que a alma de um Povo, quando esgotados todos os recursos democráticos, jurídicos e de negociação, tem o direito de obrigar o Poder a ajoelhar na rua.
Cavaco, um cobarde, teve um filho da puta que mandou disparar sobre a multidão.
Sócrates, um rato, cercado de ratos, arrisca-se a ver-se sozinho, quando a turba o decidir obrigar a pôr as rótulas na calçada portuguesa.

Os Portugueses vão entrar de férias, e estão forçados a ficar em casa, sem poderem espairecer fora de aqui. São muito e descontentes. Talvez encontrem o seu divertimento de Verão.
Por mim, podem dar já o pontapé de saída: será um dos melhores golos a que assistirei, na minha, não muito longa, mas profundamente desiludida vida.

(Em cada Scut, uma... Vuvuzela, a começar no "Arrebenta-Sol", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 02:14
29
Jun
10




Imagem do Kaos

O Augusto Santos Silva parece uma cadela nojenta, que, em tempos, deu o nó com a Lurdes Rodrigues, mas, depois de baldeado, aquilo rebentou, ficando ela com a cabecinha, e ele com os restos do pescoço... Quer isto dizer que, quando mandaram o cão de água português, para lamber as bordas da Michelle, já cá havia um sabujo, ainda mais rafeiro e servil, que devia ter ido, em vez dele, e não foi.

Eu sei que o Afeganistão tem as maiores reservas de ópio, e que, sem ópio, não há "cavalo", o que é fundamental para desmoralizar certas franjas da juventude, que, sem desvirilização, arriscavam-se a atacar o Pentagrama Mundial, ditado por Bilderberg: menos empregos, mais gente assustada, menos resposta, mais usura e mais miséria... para alguns.

A Cimeira dos G20, coisa que me interessa tanto como os golos da Seleção, na África do Sul, chegou a um consenso sobre um limite dos endividamentos das respetivas economias. Endividamento são números, e nesses números, não há qualquer margem para a balança das emoções reais em que tudo se move.
Eu explico: prefiro ter, nas mãos, um objeto que me dê prazer, e um buraco no cartão de crédito, do que ter o cartão de crédito, objeto que só me serve para me aumentar os prazeres, a zeros, e viver num vazio de emoções.
Eu sei que isto não é o cenário ideal, porque, na realidade, como Cidadão Europeu, eu deveria estar num Estado que me garantisse o suficiente para eu poder viver no grau de conforto que associo à Europa, porque, se assim não for, mais vale que vá para o Afeganistão, e ficar à altura da maneira como sou tratado, e esses G20, ou lá que merda é essa, em vez de andarem a fazer contas amealhadas, deviam olhar para os respetivos interiores e perguntar se tinham cumprido os sonhos de Igualdade, Fraternidade e Liberdade previstos pelo Iluminismo, e os indicadores todos de desenvolvimento humano que distinguem as sociedades avançadas daquelas que as avançadas não deixaram avançar. Aparentemente, numa lógica da estagnação, onde, quem já tinha de ter o que era para ter com ele ficou, e quem não tinha trata de o distribuir da forma mais desigual possível, o que não é crime, evidentemente, desde que não desiquilibre os défices.

Objetivamente, um russo mafioso pode acender um charuto do Fidel com uma nota de 100 dólares desde que esses 100 dólares não sejam retirados diretamente do Orçamento Americano, um orçamento de guerra, como nem Reagan, nem Bush II ousaram, e que é defendido pelo Nobel da Paz, grande organizador de bailes tribais, no seu Salão Oval do Quénia.
Sou grande apreciador de etnicidades, desde que não estejam à frente de uma das mais poderosas nações do Mundo, a comandar friamente o crime no outro extremo da Esfera, e a pedir ao Augusto Santos Silva que envie cobaias para as plantações do Ópio.

Os chamados "Americanos", na realidade, "riqueños", desesperadamente em busca de nacionalidade, alistam-se, para virem de lá sem uma perna ou duas, mas com as restantes americanizadas. Nós, Portugueses, felizmente não precisamos disso, e a história é ganhar mais uns milhares de euros, enquanto a barriga de retaguarda fica à espera de que o paizinho morra num bilhar de bombas, ou a despistar-se num caminho de cabras. O Augusto Santos Silva não pede mais, e felizmente que não, porque pouco mais temos para lhe dar.

Eu sei que os ortodoxos dirão que o Afeganistão está cheio de armas de destruição maciça, e está: basta que algumas levantem a burka, e mostrem os teclados desdentados, para imediatamente o pessoal se pôr a fugir...

Estão-me a perguntar onde é que isto encaixa no défice dos G20: encaixa e bem. Os países compradores de armas comprometem-se agora a não comprar armas nenhumas aos produtores, e os produtores de armas passarão a fazer diretamente plantações de ópio no Vale da Morte, para consumo interno e exportação, em vez de andarem a fabricar cada vez mais pernetas e mutilados, que a Michelle, a Maria de lá, costuma condecorar com um suspiro, como convem a uma ficção.
Suspíria.

(Quarteto dos G20 corridos com uma G3, no "Arrebenta-Sol", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:24
28
Jun
10

Um professor de economia na universidade Texas Tech disse que nunca havia reprovado um aluno antes, mas uma vez, reprovou uma turma inteira.
Esta classe em particular tinha insistido que um regime igualitário realmente funcionava: ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e "justo".
O professor então disse, "Ok, vamos fazer uma experiência igualitária nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos as vossas notas de avaliação nas provas.".
Todas as notas seriam concedidas com base na média da turma, e portanto seriam "justas" porque iguais. Isso quis dizer que todos iriam receber as mesmas notas, o que significou que ninguém iria ser reprovado. Isso também quis dizer que obviamente ninguém iria receber um "20"...
Depois das primeiras avaliações saírem foi feita a média e todos receberam "13". Nesta altura quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram felizes da vida com o resultado.
Quando a segunda prova foi feita os alunos preguiçosos continuaram no seu ritmo, pois que acreditavam que a média da turma continuaria a beneficiá-los. Já os alunos aplicados, entenderam que também eles teriam direito a baixar o ritmo, agindo contra a sua própria natureza. 
Resultado, a segunda média das avaliações foi " 8". Ninguém gostou. Depois da terceira prova, a média geral acabou por descambar e voltou a descer para o "5".
As notas nunca mais voltaram aos patamares mais altos, mas inversamente, as desavenças entre os alunos, buscas por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça' dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações e inimizades que passaram a fazer parte daquela turma. 
No final das contas, ninguém se sentia obrigado a estudar para beneficiar o resto da sala.
Resultado: Todos os alunos chumbaram naquela disciplina... porque todos eram «iguais».
O professor explicou que a experiência igualitária tinha falhado porque ela se traduziu na desmotivação dos participantes. Preguiça e mágoa foi o resultado. "Quando a recompensa é grande", disse, "o esforço pelo sucesso é grande, pelo menos para alguns de nós".
"É impossível levar o pobre à prosperidade através de acções que punam os mais afortunados pela prosperidade. Cada pessoa que recebe sem trabalhar, obriga a que outra pessoa deva trabalhar sem receber. O governo não pode «dar» a alguém aquilo que tira a outro alguém. Quando metade de uma população começa a entender a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustenta-la, e quando esta outra metade entende que não vale a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação. É impossível multiplicar riqueza dividindo-a." (Adrian Rogers, 1984)
publicado por TC às 21:15
26
Jun
10
publicado por TC às 23:26

Hoje, começou a ser ventilada a possibilidade de a Grécia vender algumas ilhas, como forma de pagar a sua dívida. Outros países, melhor, governantes activos, começaram já a equacionar o mesmo, como forma de resolver autonomias mal declaradas, bem como de resolver a continuidade da manutenção de territórios não lucrativos! Alguém disse, por brincadeira, no nosso País, que se podia vender a Madeira, que representaria um bom retorno do que lá se investiu! E talvez outros lugares, que nem usamos, como os Farilhões e talvez a ilha de Faro, que começou a ser "limpa"...!
A conspiração mundial dos accionistas das finanças, jogadores do casino bolsista, com a ajuda de políticos ingénuos, ou ignorantes, ou cúmplices, trouxe-nos até aqui!
Estamos a um passo acelerado de nos tornarmos escravos dos novos senhores do dinheiro, muitos novos ricos, que cresceram nos negócios paralelos e subterrâneos do mercado negro, alimentado pela ganância de pessoas socialmente recalcadas, egoístas, desumanas e anti-sociais, que encontraram um caminho de vazio, inundado apenas pela vontade de ser como os outros capitalistas, legalmente permitidos, mas também com o mesmo carácter de instinto animal de competição intra-específica destrutiva! O dinheiro é o explosivo e as pessoas são o detonador; tanto podem usá-lo para o bem, como para o mal, porque o rastilho pode ou não alimentá-las; o rastilho são todos quantos obedecem e se sujeitam! São todos quantos protestam, apenas por não terem o que os exploradores sonegam. São todos quantos, nos finais da década de 60, especialmente em Portugal, protestaram contra as ditaduras e vieram a instalar outras ditaduras, no regime do pós 25 de Abril, depois de se apoderarem do Estado, que partilharam entre amigos. Esventraram as reservas de ouro do nosso Banco e fizeram um crescimento, baseado em endividamento orçamental progressivo, para satisfazer a ganância dos donos do regime, que até voltaram a acolher os gananciosos de outros tempos. Hoje, ditadores antigos e protestantes deles estão geminados no mesmo interesse. O povo está mais pobre, em crise, para fazer a riqueza de mais novos milionários! Continuamos a ser uma mole passiva, obediente, prontos a sermos imolados ao canibalismo capitalista e condenados a ficarmos sem território. O neo-feudalismo vem ao nosso encontro e pagaremos a nossa vida com sangue, suor e lágrimas amargas, quando nos colocarem nas terras privadas dos senhores do mundo; para trabalharmos como escravos da sua ganância! Deixarão de haver o Bem comum e os bens comuns, que pouco são acautelados pelos nossos representantes políticos, por causa da tal corrupção, que permitimos e em que votamos! Seremos povo sem terra, sem felicidade, sem dignidade, por não termos sabido lutar contra a cobardia dos poderosos e por não termos aprendido que o Poder só existe quando há obediência. Os poderosos escudam-se atrás de militares, seguranças e polícias. Sem estas obediências não valem nada; são do mais frágil, inofensivo e cobarde que existe, em atestado da sua menoridade intelectual. Como é que as autoridades da nossa (in)segurança, protectoras dos piores interesses, vão posicionar-se? Vão estar ao lado do seu povo, de onde são extraídas, ou vão vender-nos a seres que, de humano, nada têm? Parece que até existem provas de que os extraterrestres nos visitaram e visitam, para se cruzarem connosco e produzirem uma espécie diferente da humana, que nos explora continuamente...!
É tempo de abrir olhos para realidades ocultas, mas plausíveis, para a realidade universal, que as religiões escondem!
Eu sou terrestre, sou feito do planeta que habito e vou continuar seguindo para, no fim, continuar a fazer parte desta grande casa, que é de todos os humanos; ninguém pode reclamar a propriedade exclusiva do que é de todos, por todos lhe pertencermos na mesma proporção! É aqui que começa a igualdade de direitos, deveres e garantias, que agora também querem diferenciar, em tributo aos donos das suas consciências políticas, que reclamam revisões constitucionais, apropriadas aos novos interesses das velhas mentalidades estúpidas!
É tempo de se reunirem e organizarem, cerrando fileiras contra quem não vos respeita, apesar de viver do vosso esforço e dos vossos parcos rendimentos, de que dependem em absoluto, até porque não sabem providenciar à sua sobrevivência biológica; não sabem produzir o que mandam fazer aos outros!
publicado por TC às 11:45
24
Jun
10
Isto acontece em vários países do 3º mundo...
...assim como por cá.
publicado por TC às 14:41
22
Jun
10




Imagem do Kaos

Andava eu desconsolado, sem saber onde votar nas Presidenciais, já que acho que, mesmo na Bancarrota, não nos devemos sujeitar a um bêbedo e a uma pessoa que sofre de... deixa-me lá ir confirmar o nome da coisa, na sms... sim, que sofre de "reflexo miotático da mandíbula... com ausência de reflexo de fecho", e que, para além disso, já está na fase de passar os serões a ver programas antigos, do tempo em que o Carlos Cruz era um garanhão, com os pés descalços, dentro de um alguidar de água morna, enquanto a sua Maria lhe cata os piolhos e lêndeas, com muito amor, que o Palácio de Belém já não sofre desinfestações desde que morreu o Marechal Carmona.

Bagão Félix é uma alternativa: conseguiu ficar a parecer razoável, depois daquilo que Sócrates fez ao Emprego, à Segurança Social e às Reformas.
Gosta de Futebol, coisa que eu odeio, mas pode ser que um bom Presidente da República, como ele, finalmente me ensine a metafísica do Esférico, que é ter gente abaixo das barracas, a correr atrás de uma coisa de borracha -- até os cães correm, e sem treinador... --, enquanto os cafres sopram numa coisa vendida nas Lojas dos Chineses, chamada "Vuvuzela", o que, etimologicamente, é um cruzamento de Winnie, uma gaja com quem o Mandela foi casado, enquanto estava preso, e era conhecida pelos crimes, escândalos públicos, e baldas que dava, enquanto o marido encornava silenciosamente no cárcere, com a "Venezuela", daquela fase do "por que no te callás?...", do gajo que subsidia o narcotráfico colombiano, e de quem Sócrates tanto gosta, e vice versa, mais magalhães, menos magalhães.

Bagão Félix é do tempo do "Casa Pia", e talvez tivesse chamado imediatamente ao Palácio Presidencial o "Chefe" do Partido daquele gajo que roubou os gravadores, para lhe perguntar se tencionava, ou não, fazer alguma coisa, ou se íamos continuar a ter "Ética" daquele calibre, como parece que vamos.

Entretanto, Manuel Alegre continua calado, porque sabe que o silêncio é de ouro, nestas ocasiões, e irá continuar calado, até por que houve uns passarinhos que me disseram que o país ia "passos coelhizar-se" mais depressa do que se pensa, e é mehor que não se agite muito, não vá rebentar-lhe alguma veia...

Eu sei que ainda não era o sonho de Sá Carneiro, mas a última vez que tivémos o Sonho de Sá Carneiro, o Sr. Sampaio deu um golpe de estado palaciano, abafou o "Casa Pia" e entregou-nos ao Polvo Internacional, alegremente, como se de um aventalinho, e não de um país, se tratasse.

Cavaco fez muito bem em ir comer cosido (?) à portuguesa para os Açores, enquanto o Saramago, que nunca passou de pó, em pó se tornava. Confesso que eu estava a comer salmão fresco, e a mudar constantemente de canal, para evitar aquela merda, com gente aos gritos de "a luta continua...", onde se provava que se tinham cerrado as cortinas sobre uma lúgubre operação de "marketing" político, muito aquém da literatura dos piores cartazes.

Felizmente, o Tempo já lhe está a apagar o nome da Literatura.

Dividida a Direita, poderemos ter uma Segunda Volta, coisa que é sempre saudável em Democracia, tanto mais que, em última instância, dá para votar em branco, e deixá-los eleger qualquer coisinha com uma base tão miserável que se possa dizer que são Presidentes, não de todos, mas de 100 a 200 000 Portugueses, assim honrando uma instituição que, à parte raras exceções, só produziu subprodutos, com especial incidência no período final.

Com sorte, o Partido Comunista avançará com Odete Santos, e toda a Esquerda, Centro e Direita se reunirão, então, em torno da Candidata da Segunda Volta -- seria a primeira vez, desde Carlota Joaquina, que teríamos uma mulher presidente... -- e será fantástico vê-la, nas Cimeiras da Nato, a Chefe Suprema das Forças Armadas, a pôr aquele ar de padeirona de aljubarrota, e a virar-se para aquelas altas patentes do Imperialismo e das máquinas de fabricar mortos e amputados, e a perguntar-lhes, naquele tom de métrica silábica martelada, que ela tem, "o sên-hôr, por à-cà-so sà-bêê que es-táá â-qui rêuni-doo, pâ-ra defen-dêer os inte-rêe-sses do Grande Câ-pi-tààl, e que por cââ-da àr-mââ que a Amééé´-ri-cââ fâ-bri-cââ há umââ criançââ que mòò-rreee de fòò-me no Uzbequistããõ?..."

Ao lado, pode estar a Ana Gomes, perdida de bêbeda, e o "Cherne", com ar de imbecil, a fazer que "sim" com  a queixola. É para isso que servem as Segundas Voltas, e os períodos terminais das... "Democracias".

(Quarteto do ó Bagão, Bagão, que vida é a tua, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:47
19
Jun
10
"Carlos Silva, 45 anos chamou as duas meninas, seis e nove anos, e manipulou os órgãos sexuais"
In C.M.


"Fernando Maurício responde no Tribunal de Sintra por 23 crimes de abusos sexuais... 61 anos... acusado de ter abusado sexualmente de dez crianças.... A uma menina 'passou-lhe a língua na vagina' e a outro 'tocou-lhe no pénis'.... 'Procurou crianças cujos pais têm fracos rendimentos, sem vida para outras ocupações... Apetrechou a casa com consolas de jogos."
In C.M.


"Francisco Oliveira cumpriu nove anos de cadeia por violar a filha, foi libertado em 2008 e voltou a abusar. Pode ser libertado dentro de dois meses porque, segundo o novo código de execução, Francisco pode sair ao fim de um quarto do tempo da condenação, ou seja 15 meses."
In C.M.



"Juiz deixou José, 52 anos, com apresentações periódicas à polícia, onde nunca apareceu... abusou da neta da companheira, menina de apenas sete anos... levou a menina para o quarto e abusou dela... O pedófilo deixou o emprego e fugiu... possuía já antecedentes criminais por crimes contra o património e burla."
In C.M.


"começou a abusar da menina quando aquela tinha apenas sete anos... Márcio Gomes, 32 anos... penetrado a menina e ejaculado na sua vagina enquanto a beijava... cinco anos de prisão com pena suspensa"
In C.M.
 
 ...
 
 Que nojo de justiça!!!!!!!!!
 
 
publicado por TC às 14:01
18
Jun
10
Presos recebem rendimento mínimo
Muitos presos, que aguardam julgamento em prisão preventiva, recebem do Estado o Rendimento Mínimo de Inserção (RSI). Estão detidos por roubo, furto, tráfico de armas e até mesmo violação, a maioria até é reincidente, mas nada impede que continuem a receber.
A notícia é avançada pelo «Correio da Manhã», um dia depois de se saber que o Governo vai antecipar para 2010 o corte das prestações sociais, entre elas o RSI.
De acordo com o jornal, só quando a decisão do tribunal transita em julgado é que a Segurança Social pode retirar os subsídios. Até lá, os presos têm o direito de continuar a receber mensalmente 96 euros por cada elemento do agregado familiar. Existem mesmo casos em que os apoios chegam aos 400 euros.O caso está a chocar os tribunais de Norte a Sul. Uma das situações mais ilustrativas dos últimos meses foi a de 23 traficantes de armas detidos em Maio pela PJ do Porto. Proprietários de uma enorme fortuna, a maioria tinha direito ao rendimento mínimo. Por cada metralhadora vendida, os membros do grupo recebiam cerca de 5 mil euros.

Mário Lino nomeado para cargo na CGD
Mário Lino, ex-ministro dos Transportes, é o novo presidente do conselho fiscal das seguradoras da Caixa Geral de Depósitos (CGD). A informação foi avançada na edição de hoje do «Diário Económico» e foi confirmada junto de fonte oficial do grupo à Agência Financeira.
O responsável vai assim substituir José Saldanha Sanches, falecido a 14 de Maio deste ano, que presidia aos conselhos fiscais da Fidelidade Mundial, Império Bonança e Caixa Seguros e Saúde, esta última a holding que agrega as várias marcas de seguros da CGD.
Lino, que chegou a ser falado para chairman da Cimpor e para presidente da REN, foi nomeado no final de Maio para completar os mandatos ainda a decorrer nas várias companhias.

Comentário: 
As leis estão feitas para os criminosos. Quem faz a lei sabe o que faz e para quem. Talvez para eles próprios no futuro.
Um Engenheiro no lugar de um Fiscalista??? É só para passear e receber o dele... os escravos trabalham. E nas empresas públicas pode-se dar prejuízo...
publicado por TC às 23:14
17
Jun
10
Sócrates (P. prós amigos) disse:

«Portugal não tem nenhuma intenção de recorrer a nenhum fundo de ajuda. Portugal tem a capacidade para resolver os seus problemas»  
CONCLUSÃO LÓGICA - Vamos ter necessidade de recorrer ao fundo.

CONCLUSÃO LÓGICA - Lá vamos nós entrar pela madeira dentro outra vez...

CONCLUSÃO LÓGICA -Daaaaaaasssssssssssss


Espero não ter razão nos prognósticos. No fim do jogo é que devem ser feitos (já dizia o poeta) mas eu não me contenho a avisar os meus amigos para se precaverem reforçarem o mealheiro no colchão. Abraço amigo.
.
publicado por TC às 23:17

URBANO TAVARES RODRIGUES                                                                                                                                   

POIS!!!!!!!
publicado por TC às 23:12
16
Jun
10
Não posso conceber, nem aceitar, que alguém me venha com a história do "Patriotismo", por da cá aquela palha. Eu, que jurei Bandeira, defender a pátria, nem que fosse com o sacrifício da própria vida, a mim, não.

Sua Excelência, o Prof. Aníbal Cavaco Silva, Presidente da Republica Portuguesa, numa visita, à bem pouco tempo, ao Algarve, dizia e apelava ao "Patriotismo" dos Portugueses, em passarem férias cá dentro, pois dando o exemplo, de que as férias passadas fora do país seriam consideradas "Importações", que bela aula de economia, parecia um professor que tive nos tempos de liceu, dando exemplos concretos da vida cotidiana das pessoas, para explicar essa tão afamada "Economia", outra coisa não era de esperar, vindo de um Professor catedrático na matéria.

Mas, eu pergunto-me, se não são consideradas "importações", os productos hortícolas que compramos forçosamente à UE, se não são "Importações" o pescado que compramos à UE, se não são também "Importações", todos os bens essenciais, como medicamentos e produtos farmacêuticos, que somos obrigados a comprar aos lobbies Europeus dos Farmacêuticos?

Patriotismo, para mim, é defender o que é Português, com unhas e dentes, é defender as pescas, o tecido insdustrial (arrasado pelas sucessivas políticas de desinvestimento), o sector das pescas, onde se pagram fortunas para abater froats de Pesca, na Agricultura onde fortunas também foram gastas para não se cultivar, etc, etc e tal...

Ser Patriota, cmo faz questão o senhor PR, é dar estes problemas como factor principal para a saída da crise, e ter em conta, que em casa, mandamos nós, não ter medos dos lobbies europeus e dos magnatas do capitalismo, olhar de frente para os problemas do país, e resolvê-los, e deixar-se de lamechisses folclóricas, para mostrar que anda preocupado, só porque temos eleições presidenciais daqui a um ano.

Para mim, Cavaco está já em adiantado estado de campanha, e como apanágio do que os políticos nos tem habituado, com promessas falsas e mentiras pegadas.
Haja coragem de levar Portugal para a frente, mas com esta gente, os medrosos da UE, só teremos mais fome e mais miséria.

Carlos Rocha
@Beezz
publicado por TC às 15:57
Um livro “censurado”… A desmistificação de Mário Soares como herói nacional e a apresentação de provas de alguns dos seus crimes “não provados”, por um dos seus homens de confiança, entretanto deixado cair.

Data: 1996
Formato: PDF
Língua: Português (PT-PT)






LINK NA WEB: Download
publicado por TC às 00:58
14
Jun
10
"picado" do Kaos

caso BPN

CASO BPN: ESCÂNDALO E IMPUNIDADE
A burla cometida no BPN não tem precedentes na história de Portugal.
O montante do desvio atribuído a Oliveira e Costa, Luís Caprichoso, Francisco Sanches e Vaz Mascarenhas é algo de tão elevado, que só a sua comparação com coisas palpáveis nos pode dar uma ideia da sua grandeza. Com 9.710.539.940,09 € (NOVE MIL SETECENTOS E DEZ MILHÕES DE EUROS.....) poderíamos:
  • Comprar 48 aviões Airbus A380 (o maior avião comercial do mundo).
  • Comprar16 plantéis de futebol iguais ao do Real Madrid.
  • Construir 7 TGV de Lisboa a Gaia.
  • Construir5 pontes para travessia do Tejo.
  • Construir 3 aeroportos como o de Alcochete.
  • Para transportar os 9,7 MIL MILHÕES DE EUROS seriam necessárias 4.850 carrinhas de transporte de valores!
  • Distribuído pelos 10 milhões de portugueses, caberia a cada um cerca de 971 euros !!!
Então e o Dias Loureiro e o Arlindo de Carvalho por onde andam? E que tamanho deveria ter a prisão para albergar esta gente?
E mais, tínhamos a crise resolvida.

Este foi um mail, (mais um), que mostra bem que a razão da crise que atravessamos não é devido à lei laboral, à baixa produtividade, a salários demasiado elevados, (para os trabalhadores, claro) ou a feriados a mais. A crise foi criada pela gula de alguns e a mama de muitos. A crise existe por culpa dos mesmos que agora são deixados de fora nas medidas de austeridade para a resolver. E, tudo isto com a conivência da União Europeia que continua a defender a globalização capitalista sabendo que só nos condena a uma cada vez maior pobreza e a complacência dos povos que tardam em exigir justiça.
publicado por TC às 22:55
12
Jun
10
Caros amigos deixo-vos aqui um link de 30 videos para abrir o apetite, e que explicam muitissimo bem o que é a máfia que nos governa e os seus objectivos loucos:


http://casa-real-portuguesa.ativo-forum.com/os-inimigos-da-liberdade-f5/a-chegada-youtube-t5.htm

Vão perceber a relação de parentesco entre Obama, Bush e a rainha Isabel...incrivél não é?

As mensagens subliminares dos filmes.

A verdade por detrás do ataque de 11 de Setembro, etc.

Tem tiver a coragem de ver estes videos nunca mais será a mesma pessoa!
publicado por TC às 07:17
11
Jun
10
Que é isto?
Eduardo Catroga? Não me é estranho este nome...
publicado por TC às 20:32
10
Jun
10
In C.M.
A agressão aconteceu "porque a professora apanhou uma aluna a copiar", contou ao CM uma testemunha, que preferiu manter o anonimato. A docente anulou o teste à rapariga mas "deu-lhe uma segunda oportunidade, dando-lhe um outro exame, em que a aluna acabou por ter nota negativa", explica a mesma fonte.
Na quarta-feira da semana passada, a mãe da aluna, que não terá gostado da nota da filha, "deslocou--se à escola e esbofeteou a professora", refere ainda a testemunha. A agressão terá ocorrido em frente a elementos do conselho executivo da Afonso III.
Há menos de dois meses, a vítima foi uma directora de turma que deu início a um processo disciplinar a um aluno após o ter apanhado a bater noutro. A mãe do rapaz em causa foi chamada à escola e, ao ouvir o que se passava, esbofeteou a docente e puxou-lhe o cabelo.
A Escola Afonso III garantiu ao CM que foram tomadas "todas as medidas que a lei permite", e mais não esclareceu.
publicado por TC às 17:39

Cara Inês de Medeiros; depois de lida a sua publicação ("Nem realpolitik, nem irrealpolitik, mas politik.pf."), no seu blog "Jugular", constatei que fez um exercício de defesa do estatuto partidário do parlamentarismo e dos próprios políticos representantes e militantes, contra um certo Poder económico perverso e subversivo, que instrumentaliza opiniões e coloca-as na comunicação social! Deixa a preocupação de que os movimentos (cívicos?) frenéticos e ideologicamente confusos têm pouca experiência política e que as extremas do espectro partidário são indesejáveis. Indicia sinais de fim de sistema, de que a crise, não meramente económica, é seu corolário! Por fim, quer ver a luz da social democracia verdadeira! Pois bem; a desconfiança ideológica é que é o problema. A ideologia subjacente a cada Partido não se cumpre, apesar do real valor das propostas, encerradas em cada programa partidário. Governo após governo, os cidadãos, que agora se movimentam, para substituir políticos e políticas, organizando-se em movimentos, já adquiriram grande experiência política, na condição de espectadores, que é muito mais virtuosa e reflexiva! Que dizer das promessas não cumpridas, das mentiras, das aldrabices, das negociatas, da corrupção e das traições cometidas pelos gestores políticos? Parece que o Poder político tem a responsabilidade exclusiva no compadrio com o tal Poder económico egoísta, e que visa controlar as vontades, submetendo toda a sociedade à ganância dos mais espertos, onde os senhores políticos se encaixam, na qualidade de subornados, ou instigadores, ou cúmplices passivos!
Os Partidos governantes são responsáveis pela afirmação de radicalismos e pelo crescimento de alternativas. Portanto, você e os Partidos, que quer defender, queixam-se de si mesmos! Face a esta realidade, ressalta aos olhos do eleitorado a manifesta falta de bom carácter dos seus representantes políticos mais activos e determinantes, na condução dos destinos do País! Portanto, esta crise, não de fim de sistema, mas de pensamento e conduta política, ou seja de carácter das novas burguesias, é que dita o fim do regime actual, apelando para o fim de um ciclo político. Esse fim, porque os fazedores de revoluções estão também comprometidos pelos altos salários que os senhores políticos lhes oferecem, já que aprenderam as causas do último movimento militar revolucionário, será ditado pelo movimento popular. Se os que pagamos para nos defenderem, nos traem, temos de fazer-nos representar no parlamentarismo da República, na proporção dos votos brancos e abstenções, para que a nossa desconfiança nos parlamentares partidários seja transformada em confiança nas organizações cívicas de cidadãos! A revolução tem de ser de mentalidade e de carácter, ao nível da concepção da democracia participativa, para que as decisões sejam ratificadas pelo povo, numa base mais alargada e fidedigna do interesse colectivo. Assim, será mais difícil ao Poder económico corromper o universo dos cidadãos, a não ser que queira salvaguardar o interesse de todos, e então veremos, de facto, a social democracia. Porque os actuais Partidos da alternância governativa meteram a sua ideologia na gaveta e preferem atender, apenas, às pressões dos mais fortes, sempre eminentemente económicas! A falta de um projecto social, enquadrado na missão do Estado, desvirtuam o próprio Estado, comprometendo a sua viabilidade e afirmando apenas o avanço do poder privado, entregue aos jogadores bolsistas, que só visam lucro, e exploração desenfreada das nossas necessidades básicas, como saúde e protecção, que nos colocam sempre preocupados quanto à nossa sobrevivência, num clima de injustiça, fraca remuneração e humilhação pelos mais ricos! Reveja pois o papel do seu Partido, sobretudo na liberalização progressiva dos serviços de sobrevivência do povo, nomeadamente quando encerram urgências, escolas, maternidades, ou privatizam, e quando favorecem o Poder económico para a extorsão da riqueza colectiva! Esforce-se por emprestar melhor carácter aos seus colegas de bancada e aos restantes parlamentares, para que defendam bem quem vos paga! Para finalizar, as grandes empresas e accionistas gananciosos vivem do que roubam ao povo consumidor, na forma de preços inflaccionados; vocês, como políticos, vivem do que roubam aos contribuintes, na forma de impostos exagerados. Comecem todos por serem mais humildes e agradeçam a dádiva que os pobres fazem a todos os ricos e privilegiados! Se não merecermos isso, então a crise de sistema será o fim da civilização, como tantos fins já feitos em todas as civilizações, que se finaram! Lembro-lhe o recapitular do fim da civilização Maia, em que o povo sacrificado se revoltou contra os príncipes do regime, matando-os a todos e fugindo das cidades! Não querem ficar sem escravos, de quem extraem o sustento, pois não?...
Já agora, e porque é uma pessoa amiga do saber, que não seja apenas do sopro nos ouvidos e comece a reflectir sobre o que lê ou ouve; recomendo-lhe a leitura de outras verdades!
publicado por TC às 12:54
Amigos finalmente aparece alguém disponivél para trabalhar de borla para endireitar Portugal, leiam a mensagem de 10 de Junho do duque de Bragança D. Rosário

http://casa-real-portuguesa.ativo-forum.com/d-rosario-xxii-duque-de-braganca-f4/mensagem-de-10-de-junho-2010-sar-d-rosario-t56.htm


Recomendo também que vejam os tópicos neste forum que é recente e colaborem http://casa-real-portuguesa.ativo-forum.com/forum.htm tem assuntos importantes como saúde, alimentação e a denuncia dos inimigos da democracia onde recomendo verem " A chegada" e o " Club de Bilderberg"
publicado por TC às 11:25
Imagem do Kaos

Dedicado a um comentário apagado no "Expresso on-line", que vem aqui em ponto grande...

É bom saber que Sócrates está rodeado de Ambrósios, como de moscas estão cheias as chocas da Golegã. Sou mau em contas, mas dizem os emails que o número oscila entre 12 e 20, e todos com apelidos de família.
A minha querida Isabel, que me está aqui a ler, atesta que, pelo menos, um existe, aquele que enfia na garagem do Héron-Castilho o topo de gama de vidros foscos, enquanto, mais ronceira, e proletária, a alibi do Sistema, Fernanda Câncio, calças de ganga dois números abaixo, com as pregas todas à mostra, e as raízes dos pelos a despontar, por debaixo do blusão sebento, subia as moitas envenenadas daquela rua, dizia a Jeová que era para matar os ratos, mas só matava os cães das vizinhas.

O que me censuraram no "Expresso" rezava assim: "3 dos motoristas são cumprir os 3 pratos, o quarto, para a dupla penetração, e os restantes, puramente ditados por parafilias"...

Se estiver atento, prezado leitor, verá que errei, e que teve razão a mão que censurou o meu texto: havendo José Sócrates só duas bocas do corpo, nunca poderia fazer os três pratos, pelo que a conta estava errada e obrigado ao meu, ou minha, corretora ortográfica, porque eu realmente errei...

Não errei todavia, quando relembrei que, em tempos idos, quando o traste andava a fingir que fazia cadeirões de Engenharia, numa Universidade fechada à pressa, para não haver provas, o motorista ficava à porta à espera de que "suxelência" acabasse as Estruturas Especiais, e os postalecos de Inglês Técnico, como poderá alegremente rever aqui.
Até aqui, eu estou-me a borrifar, porque também havia uma Secretária de Estado, uma tal de Leonor Coutinho, das Mulheres de Aventalinho, que adorava apanhar a trancada do preto, até que um dia o preto acabou numa cena de naifadas, e ela passou a ter de fazer o número do "ambrósio, hoje apetece-me qualquer coisa de especial..." com a alavanca das mudanças do carro do Estado.
Também não sou contra, até por que, se a alavanca das mudanças lá está, pode dignamente ser usada, quer pela Leonor Coutinho, quer pelas nalgas de José Sócrates, mas já me chateia isso sair dos meus bolsos, como, afinal, também saem os Diretores Gerais, os Subdiretores, os Assessores e os Chefes de Gabinete, quando toda a gente sabe que essa corja é filha, não do mérito, mas do empochanço político, e avanço já para o meu PEC personalizado: RUA IMEDIATA com essa gentalha toda, e só podia prestar serviço nos gabinetes pessoal de currículo já comprovado e vínculo seguro na Função Pública. Tudo o que fossem amantes, amigalhaços, filhos e primos de, meninas de apelido com e o raio que as parta, iam direitinhos empacotar grão, massa e farinhas, no Banco Alimentar Contra a Fome, para se sentir, desde logo, a diminuição desses milhares de euros por cabeça no Deficit do Estado.

A questão dos motoristas era só um aperitivo cómico para uma mensagem que tem de ser passada: todos nós sabemos que é muito difícil descortinar uma notícia, no meio do bombardeio de intoxicação de que diariamente somos vítimas. Sempre me preocupou a verdadeira razão de manter em lume brando um Primeiro Ministro que estava mais do que queimado, através de umas porcarias, com PTs, TVIs, Armandos analfabetos Varas, Sucateiros, "Robalos", ladrões de gravadores, bichonas açorianas da Opus Dei, monhés e coisas do género à mistura.
A razão, afinal, era simples: A Telefonica, um gigante espanhol, estava a preparar-se para dominar o mercado das telecomunicações brasileiras, um continente de telemóveis, caso ainda não se tenham apercebido, e nada melhor que fragilizar, em Portugal, a sua concorrente, PT, e o Governo decisório. Enquanto nós temos tudo o que caracteriza o Imbecil, os Espanhóis têm tudo, menos o que caracteriza o Parvo, e perceberam que ser senhores das chamadas para tóquio do Mundo Brasileiro era muito mais do que tudo aquilo com que as nossas pobres caixas craneanas poderiam, alguma vez, sonhar.
Chamam-lhe "OPA hostil", eu chamo-lhe golpe de génio, e é mais uma prova da nossa irredutível menoridade histórica, 6 500 000 000 €, dizem eles, e andam a discutir isso em Assembleias de Acionistas, daqueles que guardam o dinheiro no colchão.

Vá lá, "deiem" mais um pouquinho e a gente até aceita... :-)

Até eu, que sou completamente antizeinalbaviano, estou à espera de que a "mente brilhante" nos desenrasque deste pavoroso crime de lesa pátria.
Um Regime onde figuras como esta, completamente amorais, crêem poder vir a desempenhar os lugares de Pais da Nação e da Virtude só dizem em que estado realmente está a virtude da Pátria...

Povo de merda: muito em breve, estaremos a falar da janela para a rua, com telefones de fio encerado, como no tempo do "Pátio das Cantigas".

Telefone para fora cá dentro, como diz o Saloio de Boliqueime...

(Quarteto  de trompas mórbidas, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:49
09
Jun
10
Miguel Portas versus Deputados europeus... sem vergonha
 

  POR QUE RAZÃO ISTO NÃO PASSOU CÁ NAS TELEVISÕES? ….
Os nossos Deputados nacionais deviam seguir o exemplo do Miguel Portas
Vejam o vídeo em

publicado por TC às 20:43
08
Jun
10

Por se afigurar uma notícia curiosa e escandalosa, notícia esssa veiculada pelo Expresso de 29 de Maio de 2010, abaixo transcrita na totalidade conforme pagina 40 do 1º Caderno, lado direito, no final da coluna "Últimas"...
E como se constata pela notícia, a Mota-Engil é uma das felizardas, ao ser contemplada com a construção da dita aldeia olímpica... Jorge Coelho, presidente do Conselho de Administração da Mota-Engil, deve estar orgulhoso com a escolha da "sua" empresa para a edificar a prometedora obra... Mas uma dúvida me assalta: terá havido concurso publico decente, para escolha das empresas seleccionadas para a construção do empreendimento?... Portugal a caminho da miséria e o seu Estado a gastar dinheiro alegremente... Dinheiro de todos nós! (114 milhões de euros correspondem a cerca de 22,9 milhões de contos).

"Portugal paga aldeia olímpica em Moçambique.
As obras da aldeia olímpica para os X Jogos Africanos, em Setembro de 2011, começaram ontem pelas construtoras Mota-Engil e Soares da Costa. O projecto, nos arredores de Maputo, está orçado em 114 milhões de euros, financiados totalmente por Portugal". 


publicado por TC às 23:27
transcrição

(foi traduzido de um original em francês, recebido por e-mail)

Você já reparou que os políticos europeus estão a lutar como loucos para entrar na administração da UE ? E por quê?

Leia o que segue, pense bem e converse com os amigos. Envie isto para os europeus que conheça! É escandaloso.

Foi aprovada a aposentadoria aos 50 anos com 9.000 euros por mês para os funcionários da UE!!!. Este ano, 340 agentes partem para a reforma antecipada aos 50 anos com uma pensão de 9.000 euros por mês.

Sim, você leu correctamente!

Para facilitar a integração de novos funcionários dos novos Estados-Membros da UE (Polónia, Malta, países da Europa Oriental ...), os funcionários dos países membros antigos (Bélgica, França, Alemanha ..) receberão da Europa uma prenda de ouro para se aposentar.

Porquê e quem paga isto?

Você e eu estamos a trabalhar ou trabalhámos para uma pensão de miséria, enquanto que aqueles que votam as leis se atribuem presentes de ouro. A diferença tornou-se muito grande entre o povo e os "Deuses do Olimpo!" Devemos reagir por todos os meios começando por divulgar esta mensagem para todos os europeus.
É uma verdadeira Mafia a destes Altos Funcionários da União Europeia ....

Os tecnocratas europeus usufruem de verdadeiras reformas de nababos ...
Mesmo os deputados nacionais que, no entanto, beneficiam do "Rolls" dos regimes especiais, não recebem um terço daquilo que eles embolsam.

Vejamos! Giovanni Buttarelli, que ocupa o cargo de Supervisor Adjunto da Protecção de Dados, adquire depois de apenas 1 ano e 11 meses de serviço (em Novembro 2010), uma reforma de 1 515 € / mês. O equivalente daquilo que recebe em média, um assalariado francês do sector privado após uma carreira completa (40 anos)..

O seu colega, Peter Hustinx, acaba de ver o seu contrato de cinco anos renovado. Após 10 anos, ele terá direito a cerca de € 9 000 de pensão por mês.

É simples, ninguém lhes pede contas e eles decidiram aproveitar ao máximo. É como se para a sua reforma, lhes fosse passado um cheque em branco.
Além disso, muitos outros tecnocratas gozam desse privilégio:
1. Roger Grass, Secretário do Tribunal Europeu de Justiça, receberá € 12 500 por mês de pensão.
2. Pernilla Lindh, o juiz do Tribunal de Primeira Instância, € 12 900 por mês.
3. Damaso Ruiz-Jarabo Colomer, advogado-geral, 14 000 € / mês.

Consulte a lista em:

Para eles, é o jackpot. No cargo desde meados dos anos 1990, têm a certeza de validar uma carreira completa e, portanto, de obter o máximo: 70% do último salário. É difícil de acreditar ... Não só as suas pensões atingem os limites, mas basta-lhes apenas 15 anos e meio para validar uma carreira completa, enquanto para você, como para mim, é preciso matar-se com trabalho durante 40 anos, e em breve 41 anos.
Confrontados com o colapso dos nossos sistemas de pensões, os tecnocratas de Bruxelas recomendam o alongamento das carreiras: 37,5 anos, 40 anos, 41 anos (em 2012), 42 anos (em 2020), etc. Mas para eles, não há problema, a taxa plena é 15,5 anos...

De quem estamos falando?

Originalmente, estas reformas de nababos eram reservadas para os membros da Comissão Europeia e, ao longo dos anos, têm também sido concedida a outros funcionários. Agora eles já são um exército inteiro a beneficiar delas: juízes, magistrados, secretários, supervisores, mediadores, etc.

Mas o pior ainda, neste caso, é que eles nem sequer descontam para a sua grande reforma. Nem um cêntimo de euro, tudo é à custa do contribuinte ...
Nós, contribuímos toda a nossa vida e, ao menor atraso no pagamento, é a sanção: avisos, multas, etc.
Sem a mínima piedade. Eles, isentaram-se totalmente disso. Parece que se está a delirar!

Esteja ciente, que até mesmo os juízes do Tribunal de Contas Europeu que, portanto, é suposto «verificarem se as despesas da UE são legais, feitas pelo menor custo e para o fim a que são destinadas», beneficiam do sistema e não pagam as quotas.
E que dizer de todos os tecnocratas que não perdem nenhuma oportunidade de armarem em «gendarmes de Bruxelas» e continuam a dar lições de ortodoxia fiscal, quando têm ambas as mãos, até os cotovelos, no pote da compota?

Numa altura em que o futuro das nossas pensões está seriamente comprometido pela violência da crise económica e da brutalidade do choque demográfico, os funcionários europeus beneficiam, à nossa custa, da pensão de 12 500 a 14 000 € / mês após somente 15 anos de carreira, mesmo sem pagarem quotizações... É uma pura provocação!
O meu objectivo é alertar todos os cidadãos dos Estados-Membros da União Europeia. Juntos, podemos criar uma verdadeira onda de pressão.

Não há dúvida de que os tecnocratas europeus continuam a gozar à nossa custa e com total impunidade, essas pensões. Nós temos que levá-los a colocar os pés na terra.

«Sauvegarde Retraites» realizou um estudo rigoroso e muito documentado que prova por "A + B" a dimensão do escândalo. Já foi aproveitado pelos mídia.


Divulgue e distribua amplamente entre todos os relés de vinte e sete países da União Europeia, e disso resultará algo de bom!
tags:
publicado por TC às 06:33
06
Jun
10

Mais uma vez se prova que Salazar era ditador e estava errado, em querer levar escolas a todas as aldeias! É preciso que se note; os Partidos só são bons na oposição! O PSD dirigente, tal como o PS dirigente não defendem as privatizações do Estado, as parcerias com privados, a governação economicista, a liberalização económica, o capitalismo, a definição de políticas pela régua financeira? Claro que o encerramento das escolas, dos centros de saúde, e outros serviços de proximidade, conduzem à concentração populacional onde já está congestionada; litoral metropolitano. O povo quer reduzir custos, uma vez que tem muito menor rendimento que o próprio Estado! Já contabilizam os prejuízos Estatais na saúde, como se tivesse que dar lucro; não restam dúvidas da ganância capitalista, e da participação dos governos para acabar o Estado social! Actualmente pagamos para termos "boys" nos "jobs" do Estado, mas o Estado cobra-nos ainda mais se precisarmos dele! Coisas da dupla e múltipla tributação, para que o povo possa sustentar cada vez mais parasitas inúteis! Se os parasitas não têm o cuidado de garantir a missão do Estado, estão a colocar o papel do Estado em causa, o que obrigará o povo a encerrar este e qualquer Estado que desrespeite quem o sustenta! Não precisamos dos políticos traidores, apoiados partidariamente por ingénuos e ignorantes, mas também por interesses capitalistas obscuros e anti-sociais, que acabam por obrigar os artistas da política a contradizerem-se constantemente. Amanhã, os políticos que hoje conduzem à desertificação do interior, vão queixar-se de que o litoral está sobrelotado, e até já se queixam hoje de que o interior está despovoado, com todos os problemas de sustentabilidade ambiental e económica colocados, e há necessidade de tomar novas políticas! Ah, mas na sala ao lado, daquela onde se declara os encerramentos de escolas e serviços de urgência médica, os mesmos militantes partidários estão a defender a sustentabilidade global! Já não há pachorra para aturar tanta imbecilidade e alguma má-fé! O capitalismo não interessa nem à coesão social, nem à felicidade da população; mas é muito bom para alguns egoístas gananciosos, que vão alimentando a ganância de alguns politicosinhos, apenas interessados em ser como os que diziam condenar, por alturas de uma revolução falhada da década de 70!
Parece que já ninguém se lembra bem! Mas há quem se lembre e exigirá, com uma nova revolução, o julgamento e condenação de todos os corruptos e anti-sociais! Terão que devolver tudo o que nos roubaram, na forma de despesismo, preços inflacionados e impostos exagerados, que foram metendo ao bolso!
publicado por TC às 12:02
05
Jun
10


Imagem do Kaos

Hoje estou satisfeito, porque a televisão deu-me uma prenda lindíssima, e disse que "Obama estava furioso", com a BP.
Furioso, na Teoria dos Rancores, é uma coisa muito séc. XVIII, com sequelas pelo XIX, como aquela Violeta das Camélias, que ainda cantava, já a esvair-se em sangue, e as heroínas de Puccini, a rastejarem pelo chão, mas a soltarem ainda gemidos, em sobreagudos.
Tudo isto é Arte, e gosto de que Obama fique furioso, quando eu já não solto mais do que uns sorrisos cínicos, e ele estava furioso, porque uma empresa de petróleo lhe rebentou uma veia, e estava a despejar "gasoil" no Mediterrâneo Americano, enquanto, na Casa Branca, um Beatle, já senil, cantava "Michelle, ma belle", olhando para a chimpanza que agora faz o papel de First Lady na Paródia Americana.

Fosse o Bush, e teria caído o carmo e a trindade.

O interessante disto é que tem um lado científico, como Cameron bem mostrou, no seu "Avatar", e, para que o avatar Obama possa estar "furioso" é porque, num buraco qualquer, há uma multinacional, pior, um "Trust" de megaempresas, que tem uma alma qualquer a sonhar, com solavancos freudianos, enquanto o seu boneco caneco circula pelos palcos do Mundo.

Eu vou passar à explicação seguinte: a Europa é um Continente muito doente, que nunca se livrou do seu Maio de 68, e que continua a acreditar nas histórias da carochinha, desde que lhe cheirem a Maio de 68, uma coisa que tem atualmente cem anos de idade, e está tão em sintonia com a contemporaneidade como a esposa do Sr. Aníbal, de Boliqueime.

A América, e quando eu falo de América, falo dos Senhores da Sombra, que vão substituindo fantoches, umas vezes chamados Reagan, outras, Clinton, outra, Bush, e, agora, Obama, perceberam que a dinâmica do Desastre Mundial tinha de ser, aliás, como a Cartilha de Bilderberg ensina, chefiada por um condottieri de meia tigela que tivesse os ingredientes todos, para o resto do Mundo não rosnar. Tinha de ser de "Esquerda" (cof, cof, cof), não podia ser branco, tinha de ter humores, parecer um self made man, ma non troppo, e uma energia enorme, alimentada por uma desmesurada vaidade. Isso foi o que a "Empresa" decidiu, e lá enfiou a coisa do costume no casulo, fez as conexões cerebrais, e, do outro lado, houve um estremeção, e saiu aquela coisa feia, obscena e oca, a quem chamaram, na língua indígena, Obama.
Maa Obama.

A Europa, os selvagens que continuam a viver nas raízes da Grande Árvore de 68, adorou, e achou que vinha ali um Messias Caneco, baixou as calças, disse, anda, que hoje é grátis, engraçou-o, encrençou-o, cristiano ronaldizou-o, deu-lhe o Nobel da Paz (!), e deixou que o Avatar cumprisse o plano da "Empresa", aliás, elementar: tudo o que Bush sonhou, mas sem Bush, porque esse estava completamente desacreditado, como convinha, na construção de um qualquer cenário salvífico.

Os custos da produção de armas americanas atingiu o seu zénite; foram enviados para proteger as Rotas da Droga do Afeganistão mais futuros bocados de rapazes a menos; apalpou o cu à Rainha de Inglaterra, recebeu o Messias da Pedofilia, Ratzinger; foi pedindo desculpa; pôs os Americanos a pagar uma coisa que ninguém sabe o que é, mas fazia parte do seu Sonho Mexicano, e custava triliões... aos contribuinte; deixou que, no Alabama, por exemplo, se se suspeitar de que um tisnado é imigrante, tenha de mostrar "os papéis", como no tempo das SS, e a máquina judaica de propaganda deu os Óscares todos a uma das maiores merdas da História do Cinema, o "Estado de Guerra", realizado por uma qualquer Eisensteina, ou Leni do "Triunfo da Vontade" dos Bastidores de Obama.

Como todos os pavões, foi depois gozado na sua vaidade, e atiraram-lhe com manchas de petróleo, nos seus Armanis do Illinois.

A coisa não fica por aqui, porque o avatar Obama tinha, como missão, o assassinato, à queima-roupa, do mais velho sonho da Europa: uma moeda que rivalizasse com o dólar maçónico, e pudesse ser usada em transações mundiais.
As duas anteriores tentativas tinham falhado: quando o velho De Gaulle sonhou pôr o Franco Francês a ser utilizado como moeda de troca do Petróleo, os Senhores das Sombras exportaram-lhe de Berkeley uma revolução estudantil, que o fez fugir de Paris, e colocar a Île de France sob Lei Marcial, enquanto se esquecia da sua fracalhota moeda.
A História é dura, mas é assim.
A vez seguinte, já em pleno Euro, quando o criminoso Saddan Hussein teve a  mesma ideia, levou imediatamente em cima com um ignóbil enforcamento, e uma guerra sem fim.
Ou o Petróleo, e o Ópio, continuavam a ser pago em Dólares... ou nada.
Parece que os Chineses acabarão por negociá-lo em yuans, mas isso está ainda na forja, e será pós-obamiano, ou seja, quando já não restar pedra sobre pedra do Hemisfério Ocidental.

A senil Europa, enfeitiçada por um gajo que não é o tal Presidente Negro, do I have a dream, anunciado nos livros todos de profecias de Cohen-Bandit, porque preta é ela, e ele é só caneco, ou seja, misto de duas raças, às quais nunca serve em tempo inteiro, porque a genética tanto lhe dá para uma, como para outra, como estava previsto na encomenda do avatar à "Empresa", não percebeu que vinha ali o alien destruidor da Moeda Única, através de termómetros de bancarrotas, de dívidas públicas, de agências de rating e de merdunças afins, e continuou a abrir noticiários com ele "zangado", e a sua Michelle ma Belle, a Maria Americana, e a tribo toda invadida de avatares, porque Obama foi, tão só, o último, na sequência dos Berlusconis, dos Gordons Browns, dos Durões, dos Blairs, dos Sarkozys, das Brunis, todos eles corpos compósitos e geneticamente modificados de velhas almas de velhas sombras, que dormem nas profundezas da "Empresa". Quem não se avatizava, era polaquizado...

Das duas, uma: ou a Europa acorda, ou é acordada, e levanta as armas contra o mais perigoso inimigo que alguma vez lhe foi posto à frente. Aparentemente, continua entretida com o seu Verão Indiano, enquanto os produtores de armas criam as crises das Coreias, colocam em risco a ténue fragilidade da ponte entre o Ocidente e o Mundo Muçulmano, que é o Caso Turco, e se preparam para "passeatas" soissantehuitehardes, em lanchas, com jornalistas, fotógrafos, putas e realizadoras de cinema brasileiras (?). Falta levarem a Senhora de Fátima e o Mourinho, mas lá chegaremos. Países em bancarrota não deveriam ter tempo para ir passear, sem olhos, em Gaza, como poderia Huxley ter dito.Vão passear para terrenos de guerra, e sonham com apanhar com flores. Vieram de lá com as saias todas cheias de buracos. Israel já percebeu quem é Obama e a quem serve. Mordeu, por agora, as patas aos imbecis europeus.
Por mim, devia ter ido diretamente morder os... avatares, mas em plena Casa Branca...

(Afinal, o quarteto era de Obamas, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:54

links

Ganha dinheiro na Net

L-Image-4_1-216x54

tags

todas as tags

blogs SAPO