...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

tags

todas as tags

Pesquisa personalizada

11
Mar
07

O Metro do Porto, corre sério risco de paralisar, caso o governo não decida rapidamente o seu rumo, no que diz respeito à sua gestão.
Desde Outubro de 2005, que o projecto está paralisado.
Quem com essa situação sofre, são sempre os utentes. A linha amarela, Hospital de S.João Laborim, está “manca”já há muito tempo.
Por várias vezes, anunciada a sua extensão, e por outras tantas canceladas. Não só a extensão a Laborim, como todo o restante projecto da primeira fase.
Neste ziguezaguear constante, do ministro das Obras Públicas Mário Lino, e do governo, no que ao financiamento, e gestão do Metro do Porto diz respeito, bloqueia completamente a sua continuação e expansão.
Paradoxalmente! Enfatiza a megalomania da OTA e TGV, como é do conhecimento público, serão canalizados milhões, e milhões de euros. Enquanto o Metro do Porto continua a ser marginalizado, por este ministro, e este governo, como se fosse um enteado e não um filho.
Em que país vivemos! Que não se dá de facto prioridade às necessidades das populações, mas sim às megalomanias?
posted by Mário Margaride in A Voz do Povo
publicado por TC às 18:50
De Túlio Hostílio a 11 de Março de 2007 às 18:56
realmente....em que país vivemos?
De Pilinhas a 11 de Março de 2007 às 18:59
è preciso investigar as vigarices do fecho da empresa que fazia as travessas de linhas de comboio na zona de Abrantes, que despediu o pessoal todo e agora se está a preparar para a jogada do TGV e encher os bolsos a mais uns gulosos.
De Mentiroso a 12 de Março de 2007 às 03:28
Parece que há mais causas.
Uma delas, a não esquecer e que será provavelmente a mais importante é que a administração deve incluir corruptos que têm enriquecido à conta da obra e feito enriquecer outros como eles e outras empresas. Pelo menos os custos têm sido exageradamente ultrapassados, parece que em mais de metade.
Outra causa, que serve de exemplo para o TGV e para a Ota, é que, no país em que estamos, parece ser outra obra megalómana. Não é que os transportes não sejam necessários, bem pelo contrário, mas se compararmos o seu tamanho com o de Lisboa, assim como o número de pessoas que ambos servem e transportam, mesmo que o nivelamento por baixo seja sempre a repudiar, há certamente uma enorme desproporção.

links

Ganha dinheiro na Net

L-Image-4_1-216x54

tags

todas as tags

blogs SAPO