De Ludovicus Rex a 26 de Março de 2007 às 02:19
A apologia do fascismo é proibida na Constituição da República Portuguesa, o serviço público de televisão terá que responder por esto...
De A. João Soares a 26 de Março de 2007 às 05:59
E agora?
Como é que os «democratas» que tanto a pregoam o poder do povo, os referendos a liberdade de expressão, só oralmente, só com palavras floreadas sem as sentirem, sem lhes beberem o significado, como vão descalçar esta bota? Como vão provar que isto não é o sentimento dos portugueses?
O que irá acontecer à RTP? Irão fechá-la? Ou ficarem pelo despedimento e o exílio dos funcionários que estiveram ligados a este programa?
Criaram um «big problem»!!!
Mas, quem viaja nos transportes públicos e se encontra com frequência no meio das multidões de gente não beneficiada pelos dínheiros públicos do Estado ou das autarquias, não fica espantado com o resultado deste «concurso de beleza».
De Anónimo a 26 de Março de 2007 às 10:24
Porque estes políticos são uma merda!!!
Claro está que o Salazar era fantástico, apesar do Ballet Rose, apesar da PIDE, apesar da guerra colonial de 13 anos, apesar da censura, apesar de durante 40 anos ter mamado à conta do Estado Português! Por favor este reviralho é uma vergonha.
De Filipe a 26 de Março de 2007 às 11:09
estou maravilhado!
De Anónimo a 26 de Março de 2007 às 11:54
"A apologia do fascismo é proibida na Constituição da República Portuguesa, o serviço público de televisão terá que responder por esto..."

lol, que apologia? Se fosse o comuna a ganhar não diziam nd, como foi salazar...
De MRelvas a 26 de Março de 2007 às 12:19
Se este programa fosse alargado à grande maioria silênciosa o resultado não se ficaria nos 41%.

O POVO disse, não queremos ESTA DEMOCRACIA de nome, esta corrupção bafejada de incompetentes.

Não queremos os que vivem da partidocratização, da escumalha que nos assalta em nome do povo-democratas, que fugindo às suas responsabilidades antes do 25, tudo prometeram, mas apenas les engoradaram.Democratas que sucedem os seus filhos no poder, são vários.

O POVO votou contra os autarcas, contra a política dos fechos de scolas mandadas construir por aquele a quem acusam de não querer um povo informado.

Votaram contra a desertificação do interior do País.Disseram não à política de vendilhões de Portugal perante os EUA, mas sobretudo perante a UE.

Votaram contra as leis da imigração, contra a insegurança, contra a política de subsídios para nada se fazer.

Lutaram contra a destruição das pescas, sobretudo da agricultura.

Votaram contra os que ACABAM COM PORTUGAL...

Tudo isto mesmo com as campanhas de "desinformação" que a RTP fez constantemente, desrespeitando a democracia.

Votaram contra a ODETE SANTOS, pareceu-me evidente que logo tudo e todos acusou pelo "mau resultado " do seu Cunhal...a máquina partidária do PCP deu o "peido", não funciona, já não mobiliza, já ninguém acredita neles!

Estou com o POVO, PORTUGAL precisa de novo RUMO, novos políticos, sobretudo de um TIMONEIRO PATRIOTA, que se preocupe com PORTUGAL e o seu POVO!!!

Estamos em democracia, não comentem anoninamente...

O PROGRAMA NÃO FEZ APOLOGIA ALGUMA AO TAL DE FASCISMO...ATÉ TENTOU DAR UMA AJUDINHA CONTRA UM ESTADISTA PORTUGUÊS DO SÉCULO XX...
SABER PERDER E ENTENDER O POVO É QUE É DEMOCRACIA...ISTO É APENAS UMA PEQUENA MANIFESTAÇÃO CONTRA OS OCIOSOS DO ACTUAL REGIME...

Mário Relvas
De Isabel-F. a 26 de Março de 2007 às 13:11
Subscrevo as palavras do Mário Relvas.
De Tiago Carneiro a 26 de Março de 2007 às 21:36
Amigos, isto é apenas o povo a acordar lentamente. É um começo...

Agora digam-me:

MAIS IDEIAS????

Que fazemos a seguir???

Ficamos parados???

Abraço
Tiago
De Beezzblogger a 26 de Março de 2007 às 21:49
Olá, já me esquecia, desde que comentei este post, que é um possível cenário, que se fez nos meus pensamentos:

imaginemos que, por ventura o Dr. Álvaro cunhal (para mim será sempre o GRANDE PORTUGUÊS de todos os tempos), suponhamos que este não estava nos 10 primeiros, teria ganho o SALAZAR? Parece-me que não.

Toda a gente sabe como funcionam este tipo de votações telefónicas, viu-se num caso, ainda muito recente, no Mundial da Alemanha 2006, aquando da eleição do melhor jogador jovem da competição, em que foram a votos, o nosso Cristiano Ronaldo, e uns outros tantos, entre eles um inglês. Os adeptos ingleses, ressabiados, votaram em massa quer via eletrónica, quer via sms, e o resultado foi o que se viu, quem ganhou? Quem? Ah, foi o Inglês, pois foi, não comparemos o poderio económico dos Ingleses, com o nosso, pois em termos de poder dispender de dinheiro para estas fantochadas, eles tem muito mais poder de compra.

Aqui o caso é o mesmo, quando viram que Cunhal estava nos 10 primeiros,e na derradeira votação, quem me garante que, os MAÇONS, OS CAPIATLISTAS, OS SANGUESSUGAS deste povo, não se apressaram a votar em SALAZAR? Sim, esses querem uma ditadura, para defazerem á vontade dos desgraçados, que trabalham como cães para lhes encherem a bentas de tudo quanto esses nunca algum dia irão ter.

É certo, que estes poíticos da caca, não prestam, mas outra ditadura? NÃO, NÃO e NÃO!!!

Tenho dito!
De A. João Soares a 27 de Março de 2007 às 07:20
Caros comentadores,

Temos liberdade de opinião e ninguém é impedido de aqui colocar a sua.

Será conveniente começar por constatar que este programa de escolha do maior português foi uma estupidez inqualificável. Não se pode comparar um estadista, com um poeta, um cientista, um artista, um desportista, etc. E, mesmo nestas categorias, é impossível escolher entre pessoas de estilos diferentes.
Á falta de um critério objectivo aplicável a cada um do candidatos ao pódio, a escolha acaba por depender apenas e critérios subjectivos de quem escolhe, de quem faz a avaliação.
Neste caso, parece que só seria correcto escolher pela altura de cada candidato ao título, mas essa não foi divulgada!!!

Mas o que agora tem interesse é apreciar a forma como os que se dizem democratas não aceitarem a vontade dos eleitores. Foi o povo quem escolheu, tal como tinha sido o povo que escolheu o PS nas últimas legislativas, tal como foi o povo que escolheu o PR, tal como escolheu os autarcas.

Não está correcto confessar-se democrata e criticar a escolha do povo, por não concordar com ela. A democracia tem destas coisa.
Se consideram a escolha errada, nunca todos concordaram com qualquer resultado de qualquer eleição. Mas mesmo que não concordemos, nada devemos fazer contra a vontade popular.

Mas, há uma atitude mais inteligente a tomar que é procurar compreender as razões que levaram tanta gente a decidir de tal forma. Há quem diga que o povo votou no PS porque não gostava do Santana Lopes, e agora pode ter acontecido fenómeno idêntico.
É preciso pensar nesse fenómeno e tirar daí as melhores conclusões para o País.

Perder tempo a criticar o que ocorreu há mais de 40 anos pouco adianta se daí não forem tiradas lições úteis para a governação de hoje e de amanhã. Sejamos coerentes e usemos os neurónios da maneira mais útil para o futuro do nosso Portugal.

Os tempos de mudança estão a chegar e seria bom que as mudanças fossem conduzidas para os melhores efeitos a favor da generalidade dos portugueses e não apenas de alguns ligados o Governo e à Autarquias.

Abraços
A. João Soares