...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

tags

todas as tags

Pesquisa personalizada

26
Jun
10
publicado por TC às 23:26
10
Abr
10
Projectogate - Parte II .


Ver o resto (muito bom) deste post AQUI.
Retirado Do Portugal Profundo
...
publicado por TC às 13:08
27
Fev
10

Sol, 1.ª página, 26-2-2010


MAIS NADA!!!
Dúvidas???
publicado por TC às 15:25
24
Fev
10
Orçamento da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA para 2010
Inacreditável (ou não)!!!

Reparem no que se segue, façam as contas e digam-me para quantas variantes, estradas, escolas, hospitais etc, etc. não daria este orçamento cuidadosamente acautelado no Orçamento de Estado para 2010!
E chama-se a isto viver em Democracia quando uns comem tudo e os outros não comem nada!

Caríssimos:
Atentem BEM no valor que o Bolso dos Portugueses (ou seja, TODOS NÓS!)  terá de suportar para GARANTIR a existência e funcionamento (???) daquilo a que se chama ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA.
Seguem-se ALGUMAS das rubricas Existentes no Orçamento que acaba de ser publicado em Diário da República.

Caso queiram consultar essa peça MARAVILHOSA e de  SONHO só terão de ir ao site WWW.dre.pt e acederem ao Diário da República nº 28 - I série- datado de 10 de Fevereiro de 2010 - RESOLUÇÃO da Assembleia da República nº 11/2010.
Então DELICIEM-SE:
1 - Vencimento de Deputados...................................12 milhões e 349 mil Euros
2- Ajudas de Custo de Deputados..............................   2 milhões e 724 mil Euros
3 - Transportes de Deputados...................................   3 milhões 869 mil Euros
4 - Deslocações e Estadas.....................................    2 milhões e 363 mil Euros
5 - Assistência Técnica (?????)...............................   2 milhões e 948 mil Euros (deve ser para apertar alguns parafusos um tanto desapertados!)

6 - Outros Trabalhos Especializados (???????) .........    3 milhões e 593 mil Euros (resta saber quais!)
7 - SERVIÇO RESTAURANTE, REFEITÓRIO, CAFETARIA............. 961 mil Euros
8 - Subvenções aos Grupos Parlamentares................                      970 mil Euros
9 - Equipamento de Informática...............................    2 milhões e 110 mil Euros
10 - Outros Investimentos (??????).........................     2 milhões e 420 mil Euros
11 - Edifícios.........................................................     2 milhões e 686 mil Euros
12 - Transfer's (???????) Diversos (????)..................    13 milhões e 506 mil Euros
13 - SUBVENÇÃO aos PARTIDOS representados na Assembleia da República..........     16 milhões e 977 mil Euros
14 - SUBVENÇÕES ESTATAIS PARA CAMPANHAS ELEITORAIS ...........      73 milhões e 798 mil Euros

Isto são, então, ALGUMAS das rubricas do orçamento da ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA!
Em resumo e NO TOTAL a DESPESA ORÇAMENTADA para "aquela casinha", relativamente ao ANO de 2 010, é: 191 405 356, 61 Cêntimos (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos) - Ver Folha 372 do acima identificado Diário da República nº 28 - 1ª Série -, de 10 de Fevereiro de 2010.
Nos termos do disposto no Artigo 148º. da Constituição da República Portuguesa :"(...) A Assembleia da República tem o MINIMO de cento e oitenta deputados e o MÁXIMO de duzentos e trinta deputados, nos termos da Lei Eleitoral (...)".
Acho desnecessário dizer se, EFECTIVAMENTE, a dita Assembleia funciona com 180 ou 230 deputados... 

E por aqui me fico.
Façam umas "contitas" e tirem CONCLUSÕES quanto ao valor que suportamos, POR CADA DEPUTADO.

Quanto às restantes  outras CONCLUSÕES nem faço alvitres!
Ficam as mesmas ao VOSSO INTEIRO CRITÉRIO!
Boa disposição estomacal...  APÓS a leitura de tudo o acabado de expôr.
publicado por TC às 21:53
22
Fev
10
UMA DELÍCIA!



 

 
 
Quem disse que toda a piada de Joãozinho tem que ser indecente?
Sócrates foi a uma escola conversar com as criancinhas, acompanhado de uma comitiva.
Depois de apresentar todas as maravilhosas realizações de seu governo, disse às criancinhas que iria responder perguntas.

Uma das crianças levantou a mão e Sócrates perguntou:
- Qual é o seu nome, meu filho?
- PAULINHO. (lembre-se bem deste nome)
- E qual é a sua pergunta?
- Eu tenho três perguntas:

1ª)Onde estão os 150.000 empregos prometidos na sua campanha eleitoral?
2ª)Quem meteu ao bolso o dinheiro do Freeport?
3ª)O senhor sabia dos escândalos do Face Oculta?


Sócrates fica desnorteado, mas neste momento a campainha para o recreio toca, ele aproveita e diz que responderá depois do recreio.

Após o recreio, Sócrates diz:
- Porreiro Pá, onde estávamos? Acho que eu ia responder perguntas. Quem tem perguntas?
Um outro garotinho levanta a mão e Sócrates aponta para ele.
- Pode perguntar, meu filho. Como é o seu nome?
- Joãozinho, e tenho cinco perguntas:


1ª)Onde estão os 150.000 empregos prometidos na sua campanha eleitoral?
2ª)Quem meteu ao bolso o dinheiro do Freeport?
3ª)O senhor sabia dos escândalos do Face Oculta?
4ª)Por que é que a campaínha do recreio tocou meia hora mais cedo?
5ª)Onde está o PAULINHO??
publicado por TC às 22:03
10
Fev
10
Paulo Rangel é Candidato à liderança do PSD.
Acho bem.

Já mostrou ser capaz de derrotar este PS. Acho bem.
Na sua apresentação de Candidatura a palavra mais falada foi ruptura. Ruptura com esta política e com este Ps. Acho bem.
É alguém que nos tem habituado a dizer verdades incómodas para este governo. Acho bem.

Concordo com o título do último post do nosso colaborador "Mentiroso" mas não concordo com todo o conteúdo...
...concordo quando diz que o PSD tem muita culpa na situação em que se encontra o país. Acho que todos os políticos (menos o que caiu no avião) desde o 25 de Abril foram maus. Uns menos maus do que os outros.
Acho que "o pior, mais ordinário, mais rasca, mais sacana e mais antidemocrático político nacional" é o actual "manda chuva" do rectângulo. Mais provas do que as que são reveladas aqui neste blog não há!

Acho que o atraso mental deste povo se vê no facto no masoquismo demonstrado na últimas legislativas. Este PS de novo!!! Este PS!!!

Portanto.............................acho bem.

...
publicado por TC às 22:59
08
Fev
10

O Sol revela algumas escutas sobre o plano de controlo da Comunicação Social.
Afinal o Cavaco tem o rabo preso por causa do genro? Percebi bem? Será por isso que não fez/faz/fará nada?
publicado por TC às 14:09
06
Fev
10
O ‘plano’ de Sócrates à beira das eleições
O SOL revela os despachos dos investigadores do ‘Face Oculta’, em que estes defenderam um inquérito ao mais alto nível: estava em curso um ‘plano’, com o primeiro-ministro à cabeça, para controlar a TVI e outros media

A explicação surge de forma simples e sem margem para dúvidas: surgiram «indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o senhor primeiro-ministro» , visando «a interferência no sector da comunicação social e afastamento de jornalistas incómodos». Isto a três meses das eleições legislativas e com «prejuízo» para a PT.
Os órgãos e as pessoas visadas nesse «plano» eram, em primeiro lugar, a TVI, José Eduardo Moniz e Manuela Moura Guedes. Mas mais: «resultam ainda fortes indícios de que as pessoas envolvidas no plano tentaram condicionar a actuação do senhor Presidente da República».
Estas são as palavras usadas pelo procurador da República e pelo juiz de instrução do processo ‘Face Oculta’ para fundamentar os despachos que deram, em final de Junho do ano passado, mandando extrair certidões para que fosse instaurado um inquérito autónomo ao referido «plano», que consideravam consubstanciar um crime de «atentado contra o Estado de Direito».
São estes despachos – até agora desconhecidos, do procurador João Marques Vidal e do juiz de instrução António Gomes – que o SOL revela e publica nesta edição. A sua leitura integral, bem como das principais escutas telefónicas que os suportam, permite perceber as razões por que dois magistrados consideraram que devia ser instaurado um inquérito que visaria directamente o primeiro-ministro e vários gestores da área do PS, alguns já arguidos no ‘Face Oculta’.
O aviso da PJ
O primeiro alerta foi dado no dia 12 de Junho por Teófilo Santiago, director da Polícia Judiciária de Aveiro e coordenador no terreno das investigações do ‘Face Oculta’. Entre as vigilâncias e escutas telefónicas montadas aos arguidos Armando Vara e Paulo Penedos – suspeitos, juntamente com altos quadros de grandes empresas públicas, de colaborar nos crimes de corrupção e tráfico de influências que permitiram ao empresário de Ovar, Manuel Godinho, ganhar uma série de concursos na área dos resíduos industriais – tinham surgido «situações» que lhe suscitavam «sérias dúvidas quanto à sua legalidade».
Em causa estavam as conversas de Paulo Penedos, dirigente do PS e assessor da PT, e de Armando Vara, antigo dirigente socialista e então vice-presidente do BCP. O primeiro falava com o administrador executivo Rui Pedro Soares – seu superior hierárquico e que no dia 3 de Junho fora a Madrid num avião a jacto, falar com a Prisa, proprietária da TVI – e outros altos quadros da empresa. Vara falava com empresários e com o primeiro-ministro, José Sócrates. Percebia-se que havia já um «negócio» com contornos definidos, de aquisição de parte da TVI pela PT, de uma forma encapotada.
No dia 23 de Junho, o procurador Marques Vidal mandou extrair certidão para se abrir um inquérito a estes factos. E justificou: há «fortes indícios da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo para interferência no sector da comunicação social visando o afastamento de jornalistas incómodos e o controlo dos meios de comunicação social». Um plano que se «concretizaria através de uma rede instalada nas grandes empresas e no sistema bancário» e que recorria até «a prestação de informações falsas às autoridades de supervisão».
O magistrado explicava ainda que a precipitação dos acontecimentos (o negócio iria ser assinado daí a dois dias) obrigava a avançar com urgência para a investigação. Para isso, pedia ao juiz de instrução que autorizasse a extracção de cópias das escutas, bem como dos relatórios policiais com os respectivos resumos. Nestas estavam incluídas as conversas de Vara com Sócrates.
O juiz, António Gomes, aceitou esta valoração das provas e disse mesmo que existiam «indícios muito fortes» – autorizando as cópias dos documentos e das escutas.
Estas duas certidões foram de imediato remetidas «em mão para superior apresentação», uma vez que o Ministério Público (MP) de Aveiro não tinha competência territorial para tal, além de estar em causa o primeiro-ministro. Seguiram-se, nos meses seguintes, mais seis certidões, que incluíam outras escutas telefónicas entretanto surgidas sobre o assunto e também documentos pedidos pelo procurador-geral da República (PGR), Pinto Monteiro. Daí se ter assistido ao que o presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Noronha Nascimento, qualificou a certa altura como «certidões aos bochechos».
Contraste e mistério
Como se sabe, estas certidões foram apreciadas pelo PGR e por Noronha Nascimento, por estar em causa José Sócrates. Em Setembro e em Novembro, ambos consideraram não haver razão para instaurar um inquérito – um contraste muito grande com as argumentações do procurador e do juiz de Aveiro.
Pinto Monteiro, que nunca divulgou os seus despachos e respectiva fundamentação, anunciou em dois comunicados sucessivos (14 e 21 de Novembro passado) que «não existiam indícios probatórios» e que as matérias oriundas de Aveiro padeciam de «irrelevância criminal». Isto além de não poderem ser usadas como prova, pois só o presidente do STJ pode autorizar escutas que envolvam o primeiro-ministro. Noronha mandou destruir essas escutas e foi mais longe, num despacho divulgado em Dezembro: «O conteúdo [das escutas] em que interveio o primeiro-ministro, não revela qualquer facto, circunstância, conhecimento ou referência, susceptíveis de ser entendidos ou interceptados como indício ou sequer como sugestão de algum comportamento com valor para ser ponderado em dimensão de ilícito penal».
Além do contraste, existe um mistério sobre o que se terá passado ao nível do MP, que resultou na existência de decisões díspares. Como o PGR já revelou, houve reuniões «entre Maio e Junho», ao mais alto nível (Pinto Monteiro, João Marques Vidal e Braga Themido, procurador-distrital de Coimbra) só para discutir o ‘Face Oculta’.

COMENTÁRIO: Sempre o disse: este 1º Ministro deveria ter sido afastado/demitido/... logo quando foi o caso do seu famoso curso de Engenharia. É vergonhoso ver que se passa uma esponja em tudo o que este homem faz:
  • Curso da Independente
  • Fecho da Faculdade Independente e destruição de possíveis provas...
  • Cova da Beira
  • Pensão vitalícia da Mãe que não se sabe de onde veio pois era doméstica
  • Freeport
  • Face Oculta
  • Processos a jornalistas e bloggers (todos perdidos)
  • TVI
  • Mário Crespo
Já para não falar no que tem sido a sua governação:
  • Caso OTA e o deserto
  • Caos na Saúde e despesa com a mesma
  • Novas leis penais que soltam criminosos a torto e a direito
  • Caos na Educação e insulto/descrédito/desrespeito aos Professores
  • Déficit público controlado com o peso de impostos GIGANTES
  • Caos nas finanças públicas
  • Nova leis de ajustes directos (sem concurso) para obras públicas
SE O BENFICA NÃO É CAMPEÃO ESTE ANO.................É O CAOS NO PAÍS!!!

Como continua a ser possível não have uma revolução já???

Que país de cobardes é este???

Que pais somos nós que não cuidamos do futuro dos nossos filhos???

ACABEM-SE COM TODAS AS MORDOMIAS DOS POLÍTICOS E ADMINISTRADORES PÚBLICOS:
  • Carros
  • Motoristas
  • Cartões de crédito
  • Subsídios de residência
Não chegam os ordenados???

Para quando gente competente a gerir este país???
Os melhores Licenciados (verdadeiros) das faculdades!!! Aqueles que são acima da média!!! Quantos destes há na política??? ZERO???

Sr. Presidente da República, acabe com este sofrimento JÁ.
publicado por TC às 10:53
04
Fev
10
publicado por TC às 14:01
01
Fev
10
Com um ordenado de 1600€ por mês consegue um crédito de 60 MILHÕES!!!!!!!!!!!!!
Pequeno Lima - 60 MILHÕES!!!                                                          
publicado por TC às 20:13
Querem pôr-nos o garrote outra vez.......

Pois é, já tardava em amordaçar mais uma voz incómoda.
Viva a estabilidade !!!!
 
O Fim da Linha
Mário CrespoMário Crespo
Terça-feira dia 26 de Janeiro. Dia de Orçamento. O Primeiro-ministro José Sócrates, o Ministro de Estado Pedro Silva Pereira, o Ministro de Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão e um executivo de televisão encontraram-se à hora do almoço no restaurante de um hotel em Lisboa. Fui o epicentro da parte mais colérica de uma conversa claramente ouvida nas mesas em redor. Sem fazerem recato, fui publicamente referenciado como sendo mentalmente débil (“um louco”) a necessitar de (“ir para o manicómio”). Fui descrito como “um profissional impreparado”. Que injustiça. Eu, que dei aulas na Independente. A defunta alma mater de tanto saber em Portugal. Definiram-me como “um problema” que teria que ter “solução”. Houve, no restaurante, quem ficasse incomodado com a conversa e me tivesse feito chegar um registo. É fidedigno. Confirmei-o. Uma das minhas fontes para o aval da legitimidade do episódio comentou (por escrito): “(…) o PM tem qualidades e defeitos, entre os quais se inclui uma certa dificuldade para conviver com o jornalismo livre (…)”. É banal um jornalista cair no desagrado do poder. Há um grau de adversariedade que é essencial para fazer funcionar o sistema de colheita, retrato e análise da informação que circula num Estado. Sem essa dialéctica só há monólogos. Sem esse confronto só há Yes-Men cabeceando em redor de líderes do momento dizendo yes-coisas, seja qual for o absurdo que sejam chamados a validar. Sem contraditório os líderes ficam sem saber quem são, no meio das realidades construídas pelos bajuladores pagos. Isto é mau para qualquer sociedade. Em sociedades saudáveis os contraditórios são tidos em conta. Executivos saudáveis procuram-nos e distanciam-se dos executores acríticos venerandos e obrigados. Nas comunidades insalubres e nas lideranças decadentes os contraditórios são considerados ofensas, ultrajes e produtos de demência. Os críticos passam a ser “um problema” que exige “solução”. Portugal, com José Sócrates, Pedro Silva Pereira, Jorge Lacão e com o executivo de TV que os ouviu sem contraditar, tornou-se numa sociedade insalubre. Em 2010 o Primeiro-ministro já não tem tantos “problemas” nos media como tinha em 2009. O “problema” Manuela Moura Guedes desapareceu. O problema José Eduardo Moniz foi “solucionado”. O Jornal de Sexta da TVI passou a ser um jornal à sexta-feira e deixou de ser “um problema”. Foi-se o “problema” que era o Director do Público. Agora, que o “problema” Marcelo Rebelo de Sousa começou a ser resolvido na RTP, o Primeiro Ministro de Portugal, o Ministro de Estado e o Ministro dos Assuntos Parlamentares que tem a tutela da comunicação social abordam com um experiente executivo de TV, em dia de Orçamento, mais “um problema que tem que ser solucionado”. Eu. Que pervertido sentido de Estado. Que perigosa palhaçada.
Nota: Artigo originalmente redigido para ser publicacado hoje (1/2/2010) na imprensa.
publicado por TC às 19:57
26
Jan
10
publicado por TC às 22:02
12
Jan
10


Querias!!!
publicado por TC às 17:50
20
Dez
09
 
Diferenças
 

Diferenças

Assistir ao duríssimo questionamento da comissão de inquérito senatorial nos Estados Unidos para a nomeação da juíza Sónia Sottomayor para o Supremo Tribunal é ver um magnífico exercício de cidadania avançada. Não temos em Portugal nada que se lhe compare. 
Se os nossos parlamentares tivessem a independência dos congressistas americanos, Cavaco Silva nunca teria sido presidente, Sócrates primeiro-ministro, Dias Loureiro Conselheiro de Estado, Lopes da Mota representante de Portugal ou Alberto Costa ministro da Justiça. O impiedoso exame de comportamentos, curricula e carácter teria posto um fim às respectivas carreiras públicas antes delas poderem causar danos.
Se a Assembleia da República tivesse a força política do Senado, os negócios do cidadão Aníbal Cavaco Silva e família, com as acções do grupo do BPN, por legais que fossem, levantariam questões éticas que impediriam o exercício de um cargo público. 
Se o Parlamento em Portugal tivesse a vitalidade democrática da Câmara dos Representantes, o acidentado percurso universitário de José Sócrates teria feito abortar a carreira política. Não por insuficiência de qualificação académica, que essa é irrelevante, mas pelo facilitismo de actuação, esse sim, definidor de carácter.

Do mesmo modo, uma Comissão de Negócios Estrangeiros no Senado nunca aprovaria Lopes da Mota para um cargo em que representasse todo o país num órgão estrangeiro, por causa das reservas que se levantaram com o seu comportamento em Felgueiras, que denotou a falta de entendimento do procurador do que é político e do que é justiça. Também por isto, numa audição da Comissão Judicial do Senado, Alberto Costa, com os seus antecedentes em Macau no caso Emaudio, nunca teria conseguido ser ministro da Justiça, por pura e simplesmente não inspirar confiança ao Estado.

Assim, se houvesse um Congresso como nos Estados Unidos, com o seu papel fiscalizador da vida pública, por muito forte que fosse a cumplicidade dos afectos entre Dias Loureiro e Cavaco Silva, o executivo da Sociedade Lusa de Negócios nunca teria sido conselheiro presidencial, porque o presidente teria tido medo das cargas que uma tal nomeação inevitavelmente acarretaria num sistema político mais transparente. Mas nem Cavaco teve medo, nem Sócrates se inibiu de ir buscar diplomas a uma universidade que, se não tivesse sido fechada, provavelmente já lhe teria dado um doutoramento, nem Dias Loureiro contou tudo o que sabia aos parlamentares, nem Lopes da Mota achou mal tentar forçar o sistema judicial a proteger o camarada primeiro-ministro, nem Alberto Costa se sentiu impedido de ser o administrador da justiça nacional em nome do Estado lá porque tinha sido considerado culpado de pressionar um juiz em Macau num caso de promiscuidade política e financeira.
 
 Nenhum destes actores do nosso quotidiano tinha passado nas audições para o casting de papéis relevantes na vida pública nos Estados Unidos. Aqui nem se franziram sobrolhos nem houve interrogações. Não houve ninguém para fazer perguntas a tempo e, pior ainda, não houve sequer medo ou pudor que elas pudessem ser feitas. É que essa cidadania avançada que regula a democracia americana ainda não chegou cá
publicado por TC às 17:42
19
Dez
09

Pedro Namora diz que a culpa do arrastar do Processo Casa Pia é de:
  • Mário Soares
  • Manuel Alegre
  • Júdice
  • Santos Silva
E diz mais:
"A Brigada da PJ que investigou foi desmembrada"..............."O Dr. Rui Teixeira tem sido perseguido"............."A Dra. Catalina Pestana foi afastada da Casa Pia de Lisboa"


"A JUSTIÇA ESTÁ COMPLETAMENTE POLITIZADA"


"ORA SE É JUIZ ORA SE É MINISTRO"


"Desde que a Dra. Catalina Pestana foi afastada da C.P.L pelo Sr. José Sócrates..."
publicado por TC às 20:24
16
Dez
09

E agora?
De quem é a culpa?


Interessa? O que fazer?
publicado por TC às 23:15
14
Dez
09

The Muppets: Bohemian Rhapsody


publicado por TC às 19:50
12
Dez
09



Retirado do Anterozóide
publicado por TC às 03:05
10
Dez
09

CTT: 16 acusados de corrupção, branqueamento e fraude fiscal
Seis arguidos estão inibidos de exercerem funções públicas. Ex-presidente da empresa, Carlos Horta e Costa acusado de danosa e de ter provocado prejuízo de milhões de euros aos CTT.
«Foi, ainda, requerida a declaração de perda a favor do Estado de todos os valores envolvidos em práticas corruptivas e deduzido pedido de indemnização civil a favor da administração fiscal», acrescenta a PGR.
Por último, foi requerida a aplicação de sanção acessória de inibição do exercício de funções públicas, quanto a 6 arguidos, e medida de segurança de inibição do exercício do comércio, quanto a 3 arguidos.
Carlos Horta e Costa, ex-presidente dos CTT, Manuel Baptista, ex-vice-presidente da empresa e Gonçalo Ferreira da Rocha, vogal da administração, foram acusados do crime de gestão danosa, tendo provocado um prejuízo de vários milhões de euros aos CTT, de acordo com a edição online do jornal «Sol».
Os três ex-administradores foram ainda acusados do crime de participação económica. Em causa está o negócio de venda de prédios dos Correios localizados em Coimbra e em Lisboa às empresas TCN e Demagre.
Os ex-gestores incorrem agora numa pena máxima de prisão até cinco anos.
Entre os arguidos figura também o actual presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Carlos Encarnação.
COMENTÁRIO: Segundo o TVI24, Carlos Horta e Costa diz que "faria tudo outra vez"...
PUDERA!!!
Com a impunidade que há neste País miserável... NEM SE ARREPENDEM... quando são apanhados...
A Justiça é só para alguns!!!
Em 29/01/2008 nós denunciámos AQUI o caso do Prédio dos CTT de Coimbra. Muito antes de se saber pela Comunicação Social e do caso ser público.
Também denunciámos o caso que se seguiu da comissão de 1.000.000€ para os "amigos dos CTT".

Nós fizemos o nosso trabalho. Os tribunais que não se acobardem e FAÇAM JUSTIÇA.
...
publicado por TC às 21:56

links

Ganha dinheiro na Net

L-Image-4_1-216x54

tags

todas as tags

blogs SAPO