...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

tags

todas as tags

Pesquisa personalizada

19
Jul
10

A criação de grandes agrupamentos escolares que irá começar a tomar forma em Portugal no próximo ano lectivo está em queda noutros países, que já viveram a experiência e tiveram maus resultados. Na Finlândia, a pequena dimensão é apontada como uma das marcas genéticas de um sistema de ensino que se tem distinguido pelos seus resultados de excelência.

Em Portugal, para já, os novos agrupamentos, que juntam várias escolas sob uma mesma direcção, terão uma dimensão média de 1700 alunos, in- dicou o secretário de Estado da Educação, João Trocado da Mata. O número limite fixado foi de três mil estudantes.

Em Nova Iorque, o mayor Michael Bloomberg tem vindo a fazer precisamente o oposto. Desde 2002 foram fechados ou estão em processo de encerramento 91 estabelecimentos. Entre estes figuram mais de 20 das grandes escolas públicas secundárias da cidade, que foram substituídas por 200 novas unidades. Nas primeiras chegavam a coabitar mais de três mil alunos. Nas novas escolas, o número máximo vai pouco além dos 400.

Em algumas das grandes escolas que fecharam portas eram menos de 40 por cento os alunos que tinham êxito nos estudos. No conjunto das escolas da cidade, esta percentagem é de 60 por cento, mas entre os estudantes que estão nas novas unidades já subiu para os 69 por cento, revela um estudo financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates, divulgado no final do mês passado.

Ler Notícia completa aqui "Público".


"Na Finlândia, só três por cento dos estabelecimentos têm mais de 600 alunos. Ao contrário de Portugal, lá fora aposta-se no regresso a escolas mais pequenas"

"Em Nova Iorque, a taxa de sucesso entre os alunos que foram transferidos para escolas mais pequenas é superior à dos que permanecem nos velhos estabelecimentos"

Nota: Será que teremos de ser sempre a mesma merda, e copiar o de mau, em vez dos bom exemplos? A demagogia dos nossos Políticos da treta, vão levar-nos longe, tão longe o quanto a nossa estupidez o permitir. Permitam-me que nos chame a nós uns estúpidos e uns cretinos, sim, pois temos para breve eleições e ganharão os mesmos que nos tem arruinado estes anos todos, PS/PSD/CDS, se bem que os últimos estiveram lá pouquíssimo tempo, mas o que fizeram mais valia estarem quietos (fizeram um grande negócio nos submarinos). Quero dizer que estou a salto, vou embora, para mim chega de tretas e de lamechices e choaradinhos. Vou-me pirar antes que me passe uma coisa ruim pela cabeça e seja obrigado a colocar a AR pelos ares a base de bomba... FUI.
publicado por TC às 19:45
23
Jan
10
É duro ser Professor em Portugal

Como sabem os Sindicatos dos Professores fizeram recentemente um "acordo" com o Ministério da Educação para alguns pontos do Estatuto da carreira Docente.
Os Professores cederam em algumas coisas e o Ministério noutras.

Agora está a haver nova negociação para a redução dos horários lectivos dos docentes de forma a aumentar a QUALIDADE do ensino.
Em todos os jornais online surgem comentários ridículos de pessoas que de EDUCAÇÃO sabem zero mas não se coíbem em exprimir as maiores barbaridades, dando seguimento à falsa propaganda feita pela anterior dona da pasta da Educação... para descredibilizar os professores...
"...são os mais bem pagos da Europa..."
"...são os que trabalham menos horas..."

É MENTIRA!!! CAMBADA DE IGNORANTES!!!

Tendo surgido várias notícias a comparar os salários dos professores portugueses com os restantes colegas europeus e a indiciar que éramos bem pagos, aqui se demonstra a "verdade" desse facto.

Quanto às horas que os Professores Portugueses passam nas escolas:
Retirado do MUP - Movimento Mobilização e Unidade dos Professores
OCDE
Professores portugueses têm dos horários mais carregados

Segundo o relatório 'Education at a Glance 2009', da OCDE, professores nacionais passam mais tempo nas escolas do que média da UE e OCDE. Apesar de calendário mais curto.
Os professores do ensino público português dão mais horas de aulas por ano (684 a 855) e passam mais tempo na escola (1261 horas) do que a maioria dos colegas da OCDE e da União Europeia (a 17). Isto, com um calendário escolar mais curto. Ou seja: têm menos dias de trabalho anuais. Mas acabam por fazer mais horas. Os números constam do relatório Education at a Glance 2009, da OCDE, e baseiam-se em dados de 2007.
O estudo atribui às escolas portuguesas 171 dias de aulas em todos os ciclos, contra médias que chegam aos 187 dias na UE e da OCDE. Na realidade, o número oficial de dias de aulas no ensino obrigatório português é de 180. E o valor avançado corresponderá a uma média ditada pelo facto de as aulas do 9.º ao 12.º anos acabarem uma a duas semanas mais cedo por causa dos exames nacionais.
Em todo o caso, o ano lectivo português é indiscutivelmente mais curto. Serão os professores compensados com mais dias de férias do que os colegas estrangeiros? Mário Nogueira, líder da Fenprof, defende que não.
E acrescenta que para quem tem alunos nos exames nacionais o trabalho até é maior: "Em época de exames, passam todo o dia nas escolas, entre vigilâncias de provas e as aulas que dão aos seus alunos de outros anos, por exemplo do 7.º e 8.º anos", afirma.
O mesmo relatório avança outro indicador mais favorável aos professores portugueses. De resto, até aparentemente contraditório com os restantes: o tempo de trabalho "estatutário" (com e sem serviço) em Portugal é de 1432 horas anuais. Um valor inferior em quase duas centenas de horas às médias de OCDE e da UE.
Mas Paulo Guinote, autor do blogue A Educação do meu Umbigo, defende que esse dado estará ligado à forma como é contabilizada a chamada componente individual de trabalho - o número de horas dedicadas a tarefas como preparar aulas e corrigir testes.
"É possível que noutros países essas horas entrem na contagem do tempo total e em Portugal não, porque entre nós esse trabalho é geral mente feito em casa", explica. "Já em alguns países nórdicos, por exemplo, há uma tradição de não levar trabalho para casa."
Mário Nogueira admite a mesma explicação: "Se os professores portugueses dão mais aulas e passam mais tempo ao serviço da escola, é óbvio que não trabalham menos do que os outros", diz. E acrescenta: "Aliás, se os professores fizessem todas as 35 horas semanais na escola, provavelmente não teriam tempo para cumprir todas suas as tarefas administrativas. Nem as escolas teriam espaço para os acolher ao mesmo tempo."
Carlos Pato, líder do Sindicato de Professores no Estrangeiro e docente no Luxemburgo confirma que os colegas deste país "têm cargas horárias menos pesadas", aproveitando os intervalos "por exemplo, para fazerem as reuniões que em Portugal acontecem para lá dos horários dos professores e que muitas vezes não são contabilizadas".
Ministério da Educação e sindicatos estão actualmente a negociar a revisão dos horários. Já a reorganização do calendário escolar não está, pelo menos para já, em cima da mesa.
In Diário de Notícias.

COMENTÁRIO: É engraçado que de Futebol e Educação todos sabem muito e todos opinam. Nunca vejos estes espertos a darem as suas opiniões quando se trata de um artigo de Enegia Nuclear ou Arte Contemporânea...
publicado por TC às 02:53
18
Out
08

Recebi por e-mail, de pessoa devidamente identificada, o que passo a transcrever, a ser verdade, o que não desconfio, pois existem imagens no vídeo também aqui facultado, estamos perdidos, estamos bem arranjados com esta corja governativa falaciosa sem escrúpulos que com propaganda esta a dizimar Portugal e os portugueses.

Uma amiga, professora, que trabalha no agrupamento escolar do meu concelho disse-me há dias que esta história das Novas Oportunidades é uma grande fantochada. Para adquirires o 12º ano, por exemplo, basta fazer um trabalho (a que chamam Portefólio) contando toda a tua vida pessoal e profissional, desde o nascimento até aos dias de hoje, acrescentando aqui e ali algumas notas (que podes pesquisar na net) sobre a vila onde moras, opiniões sobre qualquer questão que consideres relevante, e nada mais. Para este programa, o Ministério disponibilizou tanto dinheiro que a dificuldade é saber como gastá-lo. O pior é que são milhares de euros que o Agrupamento tem para essa acção mas que não podem ser gastos em nada mais. O objectivo é contribuir para as estatísticas e aumentar o indice de escolaridade de forma leviana. Daí que as escolas tenham tanta dificuldade ao ponto das crianças precisarem de contribuir para o seu almoço com 1 euro diário. Há falta de material, não podem haver actividades para além das curriculares, porque não existe verba disponível. O papel higiénico tem de ser levado de casa pelos alunos… mas isso não interessa nada. Agora, tive conhecimento de mais esta pérola do governo: uma acção de formação para professores sobre o Magalhães. Sim, porque o governo colocou tanta euforia na divulgação do Magalhães que se esqueceu de, em primeiro lugar, explicar aos professores e encarregados de educação, quais os benefícios deste portátil no ensino e como deveria ser incluído no sistema curricular do 1º ciclo. Colocaram o carro à frente dos bois…
A verdade é que esta questão nunca foi ponderada e a prova está nas acções de formação que o ministério vem agora impingir aos professores. Acções que nem lembra ao diabo! Como se não bastasse, convidou para a apresentação do portátil a crianças, numa acção em Lisboa, um indivíduo que está a ser julgado por pedofilia: o sr. Carlos Cruz!!! Se querem saber o que o professor Paulo Carvalho denunciou sobre uma “ridicula” acção de formação sobre o magalhães, não deixem de ler e de ver o vídeo (abaixo). Vão ficar como eu: literalmente de boca aberta.



também publicado no "A mim ninguém me cala - Beezz"
publicado por TC às 18:40
10
Out
08

Há tantos inúteis neste país e só se fala dos professores… Então e os outros. Querem que enumere? É fácil!!!! A “inútil” escreveu assim a Miguel de Sousa Tavares sobre os Professores:

É do conhecimento público que o senhor Miguel de Sousa Tavares considerou “os professores os inúteis mais bem pagos deste país.” Espantar-me-ia uma afirmação tão generalista e imoral, não conhecesse já outras afirmações que não diferem muito desta, quer na forma, quer na índole. Não lhe parece que há iúteis, que fazem coisas inúteis e escrevem coisas inúteis, que são pagos a peso de ouro? Não lhe parece que deveria ter dirigido as suas aberrações a gente que, neste deprimente país, tem mais do que uma sinecura e assim enche os bolsos? Não será esse o seu caso? O que escreveu é um atentado à cultura portuguesa, à educação e aos seus intervenientes, alunos e professores. Alunos e professores de ontem e de hoje, porque eu já fui aluna, logo de “inúteis“, como o senhor também terá sido. Ou pensa hoje de forma diferente para estar de acordo com o sistema?

O senhor tem filhos? - a minha ignorância a este respeito deve-se ao facto de não ser muito dada a ler revistas cor-de-rosa. Se os tem, e se estudam, teve, por acaso, a frontalidade de encarar os seus professores e dizer-lhes que “são os inúteis mais bem pagos do país?” Não me parece… Estudam os seus filhos em escolas públicas ou privadas? É que a coisa muda de figura! Há escolas privadas onde se pagam substancialmente as notas dos alunos, que os professores “inúteis’”são obrigados a atribuir. A alarvidade que escreveu, além de ser insultuosa, revela muita ignorância em relação à educação e ao ensino. E, quem é ignorante, não deve julgar sem conhecimento de causa. Sei que é escritor, porém nunca li qualquer livro seu, por isso não emito julgamentos sobre aquilo que desconheço. Entende ou quer que a professora “explique” de novo?

Sou professora de Português com imenso prazer. Oxalá nunca nenhuma das suas obras venha a integrar os programas da disciplina, pois acredito que nenhum dos “inúteis” a que se referiu a leccionasse com prazer. Com prazer e paixão tenho leccionado, ao longo dos meus vinte e sete anos de serviço, a obra de sua mãe, Sophia de Mello Breyner Andersen, que reverencio. O senhor é a prova inequívoca que nem sempre uma sã e bela árvore dá são e belo fruto. Tenho dificuldade em interiorizar que tenha sido ela quem o ensinou a escrever. A sua ilustre mãe era uma humanista convicta. Que pena não ter interiorizado essa lição! A lição do humanismo que não julga sem provas! Já visitou, por acaso, alguma escola pública? Já se deu ao trabalho de ler, com atenção, o documento sobre a avaliação dos professores? Não, claro que não. É mais cómodo fazer afirmações bombásticas, que agitem, no mau sentido, a opinião pública, para assim se auto-publicitar.

Sei que, num jornal desportivo, escreve, de vez em quando, umas crónicas e que defende muito bem o seu clube. Alguma vez lhe ocorreu, quando o seu clube perde, com clubes da terceira divisão, escrever que ‘os jogadores de futebol são os “inúteis mais bem pagos do país?” Alguma vez lhe ocorreu escrever que há dirigentes desportivos que “são os inúteis” mais protegidos do país? Presumo que não, e não tenho qualquer dúvida de que deve entender mais de futebol do que de Educação. Alguma vez lhe ocorreu escrever que os advogados “são os inúteis mais bem pagos do país?” Ou os políticos? Não, acredito que não, embora também não tenha dúvidas de que deve estar mais familiarizado com essas áreas. Não tenho nada contra os jogadores de futebol, nada contra os dirigentes desportivos, nada contra os advogados. Porque não são eles que me impedem de exercer, com dignidade, a minha profissão. Tenho sim contra os políticos arrogantes, prepotentes, desumanos e inúteis, que querem fazer da educação o caixote do (falso) sucesso para posterior envio para a Europa e para o mundo. Tenho contra pseudo-jornalistas, como o senhor, que são, juntamente com os políticos, “os inúteis mais bem pagos do país”, que se arvoram em salvadores da pátria, quando o que lhes interessa é o seu próprio umbigo.

Assim sendo, sr. Miguel de Sousa Tavares, informe-se, que a informaçãozinha é bem necessária antes de “escrevinhar” alarvices sobre quem dá a este país, além de grandes lições nas aulas, a alunos que são a razão de ser do professor, lições de democracia ao país. Mas o senhor não entende! Para si, democracia deve ser estar do lado de quem convém.

Por isso, não posso deixar de lhe transmitir uma mensagem com que termina um texto da sua sábia mãe: “Perdoai-lhes, Senhor Porque eles sabem o que fazem.”

Ana Maria Gomes
Escola Secundária de Barcelos

Esta, foi a forma que eu encontrei de homenagear todos os professores, pois sei que os há também maus, como em tudo na vida, mas uma classe não pode ser enxovalhada desta forma pela classe política, sendo a mesma de importante missão para o desenvolver de um povo.

A LUTA CONTINUA, COMPANHEIROS PROFESSORES, EU ESTOU CONVOSCO!!!

A MIM NINGUÉM ME CALA!!! HASTA LA VITÓRIA SIEMPRE!!!

Texto também publicado no "Beezzblog" e no "A voz do Povo"

O Contraditório (actualizado em 12/10/2008)
Afinal, Parece que Srª Doutora se enganou, e um dos comentários se insurgiu contra o que aqui está escrito, e porque vivemos em democracia, publico aqui a dita "mea-culpa" da referida Professora
Porque me foi solicitado que publicasse…
No dia 20 de Março de 2008 foi publicada neste blogue uma carta minha intitulada "Sobre os professores - a Miguel Sousa Tavares". Em relação a essa carta, sinto-me no dever de fazer um esclarecimento.
Referi que: "É do conhecimento público que o Sr. Miguel Sousa Tavares considerou os professores "os inúteis mais bem pagos deste país". Quando escrevi "É do conhecimento público (…)", fundamentei-me naquilo que ouvi vários colegas dizerem, e não apenas da minha escola, e ainda naquilo que li na Internet, nomeadamente no blogue www.ramiromarques.blogspot.com, do qual imprimi um texto que tenho em minha posse.
Vivo num país democrático e julgo ter o direito de manifestar a minha opinião sobre aquilo que considero, ou não, correcto. Esse direito tenho-o.
Já o direito de tornar públicas declarações que pudessem ter sido proferidas ou escritas pelo próprio, sem que eu própria as tivesse ouvido ou lido, esse direito não o tenho. Efectivamente, não ouvi o comentador Miguel Sousa Tavares proferir sobre os professores a frase "os inúteis mais bem pagos deste país", nem li a mesma frase escrita pelo jornalista Miguel Sousa Tavares - e que o próprio desmente terminantemente alguma vez ter dito, escrito ou sequer insinuado.
Admito que cometi dois erros. O primeiro foi ter-me fundamentado no que me transmitiram e no que li na Internet. Como pessoa de boa fé que sou, acreditei que tal fosse verdade, tanto mais que, por esses dias, alguns jornalistas escreveram sobre os professores comentários nada abonatórios, que me indignaram. O segundo foi ter dado importância ao que ouvi e li. Considero-me uma pessoa útil à sociedade no exercício da minha profissão.
Exerço-a por vocação e com paixão. E, "Quem não deve não teme", por isso nem sequer me devia ter indignado. Mas as emoções, em determinadas circunstâncias, são difíceis de controlar." Errare humanum est."
Reconheço, pois, que me precipitei, que errei, e, como cidadã responsável de um país democrático, tenho também deveres, por isso, esclarecida que está a situação, quero retractar-me e pedir desculpa a Miguel Sousa Tavares. Assim, retiro tudo o que disse na minha primeira carta, e que o possa ter lesado na honra e bom nome.

Ana Maria Gomes

Escola Secundária de Barcelos

por lm, 2008.10.05 18:34:24

http://smartforum.educare.pt/index.php?id=69009
publicado por TC às 20:17
12
Jun
08
Depois do curso na Guarda, SIM não é o primeiro!!!!!!
Surge agora em Seia!!!
Mais um rigoroso Curso de Educação e Formação (CEF) em Futebol!!! É assim que se acaba com o abandono escolar!!!
É assim que se melhoram as estatísticas para mostrar para quem quer ver...
É assim que se come o povo por lorpa.
É assim que se governa!!!


publicado por TC às 11:16
09
Jun
08
Sou Professor. Trabalho no ensino público. As minhas filhas frequentam o ensino público...por obrigação!!! Eu não tenho possibilidades financeiras para lhes dar a possibilidade de frequentarem o ensino que eu gostaria...o Privado. Mas reparei hoje (ao ler um email dos muitos que recebo com denuncias) que afinal eu pago o Ensino Privado. Pago!!! Mas não o das minha filhas...
E como estou cansado e não me apetece escrever mais sobre este assunto deixo aqui um comentário colocado no A Sinistra Ministra: Em todo o país há escolas públicas a fechar por, alegadamente, terem falta de alunos. As quotas na avaliação dos professores existem, informação já confirmada pelo senhor pedreira, por razões economicistas. Há escolas sem aquecimento, com instalações degradadas, sem funcionários suficientes, sem dinheiro às vezes para fotocópias e materiais de apoio. E tanto mais que podia acrescentar mas que qualquer pessoa minimamente atenta e que queira saber, sabe. Por outro lado, temos os colégios privados. Que são, como é óbvio, uma opção válida numa economia de mercado e que se quer plural como parece ser aquela em que vivemos. Não vou aqui discutir a as vantagens e desvantagens dos mesmos, a selecção rigorosa de alunos que muitos deles fazem, as mensalidades altíssimas que cobram, a qualidade de alguns e a desonestidade de outros. Aquilo que me deixou num estado de verdadeira estupefacção foi descobrir que os meus impostos também são utilizados para os financiar.
E pergunto-me: mas porque carga de água é que o MEU DINHEIRO serve para financiar o São João de Brito, ou o Planalto ou o Mira Rio que, para citar apenas alguns? Alguém me consegue explicar a lógica disto???? É nestes momentos que algumas das chamadas "teorias da conspiração" parecem fazer sentido... porque há muitos anos que, dentro do meio, se diz que deveria haver uma investigação rigorosa aos verdadeiros donos de muitos dos colégios que por aí existem. E que o que está por detrás de tudo isto é uma das verdadeiras causas da sistemática destruição do ensino público... E talvez também não seja de analisar muito bem porque é que as escolas públicas estão a ser completamente invadidas por cursos profissionais em detrimento do número de turmas de carácter geral. Dentro de muito pouco tempo, as escolas públicas estarão transformadas em enormes escolas técnico-profissionais. Adivinhem então para onde teremos que enviar os alunos que têm aspirações a entrar no ensino superior?
publicado por TC às 00:38
16
Mai
08

Ver mais AQUI.

Uma ideia para esses professores agredidos.

Metam baixa!!!
ACIDENTE EM SERVIÇO!!!!

Já que ninguém faz nada, pelo menos tb não têm que aturar mais merdas.

E hoje tb saiu um estudo que revela que 44% professores não escolheriam a profissão de novo. VERDADE.
Que burro fui em não ir para Veterinária. Estou mesmo arrependido.
publicado por TC às 22:54
14
Mai
08
Ontem foi um dia especial.
Foi o dia em que a ASAE fez algo de bom pela Educação. Quem esteve atento aos media deve ter visto as reportagens.
"ASAE encerra refeitório de Escola EB 2/3 de S. Pedro do Sul"
Notícias Sapo
VISÃO
SIC
Sol
O Caricas
RTP
Photobucket
Já há 4 anos que se reclama por obras na escola.
Está a cair aos bocados!!!
Teve que ser a ASAE a encerrar o que o Ministério já devia ter reparado. Mas há lá muito mais...

O Ministério da Educação lançou um projecto para se pintar as escolas por fora!!!!
Que adianta isso???

É para comprar votos??? O povo ignorante olha e pensa "que escola bonita".

Já agora!!! Esta é a minha escola!!!

E tb já agora!!! Não havia ninguém da ASAE no avião que foi para "Caraças". Parece que andaram a fumar lá dentro. Mas não foi ninguém importante. Só um aldrabão que se diz engenheiro.
publicado por TC às 12:46
06
Mai
08
Transcreve-se o texto de um requerimento com perguntas ao Ministério da Educação, tendo, há meses, circulado em e-mails transcrições de artigos da Comunicação Social sobre o assunto a que se refere e, há algumas semanas, cópias deste requerimento. Porém, não há conhecimento de ter circulado a resposta às perguntas nele contidas. Agradece-se a quem as conheça, a simpatia de as colocar aqui em comentário ou de as enviar pelo e-mail constante da ficha de blogger.

Pergunta ao Governo
Nº 2S9/X (3ª)
(04-12-2007)

Assunto: Contratação de advogado para compilação da legislação sobre Educação pelo Ministério da Educação

Exmo. Senhor
Presidente da Assembleia da República,

Segundo foi tornado público em alguns órgãos da Comunicação Social, o Ministério da Educação contratou duas vezes o mesmo advogado para fazer o mesmo trabalho. Segundo a divulgação referida, o advogado teria sido contratado por esse Ministério para levar a cabo um trabalho de compilação que pudesse reunir sob a forma de um «manual de direito da Educação» toda a legislação relacionada com essa área, trabalho cuja contratação previa concluído em Maio de 2006, o que não terá acontecido.

Segundo as notícias veiculadas, a remuneração foi garantida na íntegra, embora não tenha sido concluído o trabalho contratado. Na sequência desse incumprimento de prazos, o Ministério da Educação torna a contratar o mesmo advogado para exactamente o mesmo mandato, mas agora contratualizando uma remuneração significativamente maior. Refere a Comunicação Social que a remuneração passou de 1500 euros/mês no primeiro contrato, incumprido; para 20 000 euros/mês.

Ao abrigo do disposto na alínea d) do Artigo 156° da Constituição da República Portuguesa e em aplicação da alínea d], do n.º 1 do artigo 40 do Regimento da Assembleia da República, pergunto ao Governo, através do Ministério da Educação, que me informe do seguinte:

- Quantos juristas trabalham nos quadros do Ministério da Educação, nomeadamente no plano da assessoria jurídica?
- Que circunstâncias se colocaram a esse Ministério para que decidisse a contratar um advogado para levar a cabo um trabalho de compilação legislativa, ao invés de utilizar os recursos internos do Ministério da Educação?
- Que motivos justificam a nova contratação, sendo que é efectuada exactamente com o mesmo advogado que não cumpriu os anteriores compromissos contratualizados?
- Que motivos relevam para a justificação de um aumento de 1233,33% na remuneração do referido advogado para a realização do mesmo trabalho, assim assegurando uma remuneração de 20 000 euros/mês para a realização do mesmo trabalho antes contratualizado por 1 500 euros / mês.

O Deputado,
Miguel Tiago
publicado por TC às 21:10
30
Abr
08
Hoje li a barbaridade que a senhora ministra da Educação soltou sem pensar (fugiu-lhe a boca pra verdade). Será que alguma vez pensou? "Ela" disse alguma coisa como "os chumbos custam caro ao país...cerca de 60o milhões ano"...

AAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH

Agora percebi todas estas trapalhadas com as lutas contra os professores...
POUPAR...POUPAR...POUPAR.
Aprender não interessa nada. O importante é poupar!!!

Li depois um comentário de um cidadão que se intitulou de José Burra:

"Finalmente disse o que lhe vai na cabeça e o que já todos sabíamos. Para este governo tudo é dinheiro e vale tudo para poupar. Cortem nas quimioterapias por que dão prejuizo e as pessoas morrem na mesma!! Votem PS!!!"
publicado por TC às 18:26
25
Abr
08
Vi agora nas notícias que ontem (24 de Abril) pelas 10:00 um aluno de uma escola no Montijo levou para a sala de aula uma ARMA CARREGADA.

Porreiro Pá...

Foi só uma pistoleta...

Nada que preocupe, com certeza, a Sra. Dr. Socióloga Ministra Mª

publicado por TC às 00:39
24
Abr
08
(mais AQUI) e imagem retirada DAQUI
Eu quero um subsídio de risco para ir trabalhar!!!

Somos uma profissão de risco...
Estamos a ser maltratados todos os dias.
publicado por TC às 11:13
20
Abr
08
Espectacular...
publicado por TC às 18:48
16
Abr
08
Na Escola Secundária de Barcelos aprovaram este documento:



Vou apresentar este excelente exemplo na minha escola. Devemos TODOS tomar uma posição. Haja CORAGEM. Pela nossa dignidade profissional.
publicado por TC às 20:04
14
Abr
08

A DERROTA DAS MAIORIAS

O governo governa com a maioria e não com as manifestações da Rua, diz o Sr. Primeiro Ministro. É verdade, se o PS não tivesse a maioria, o Governo nunca teria tido a coragem de insultar os professores, nem de aprovar o novo estatuto da carreira docente, que é um insulto a quem presta tão nobre serviço à Nação. Já foi votada no Parlamente por três vezes a suspensão do novo estatuto da carreira docente e das três o PS votou contra suspensão.

As maiorias só favorecem os poderosos, as classes trabalhadoras que produzem riqueza saiem sempre a perder. Assustaram o Zé Povinho com o deficit, para que fossem os mais desfavorecidos a pagá-lo. Vimos os vencimentos dos funcionários públicos congelados vários anos, o que fez com que perdessem 10% do poder de compra, mas nunca vimos apelar para que deixassem, durante algum tempo, de fazer férias nas Caraíbas, no Brasil... É fácil para quem tem vencimentos chorudos vir à Televisão pedir para que apertemos o cinto.

Colegas, chegou o momento de ajustar contas com o PS. Se este partido tivesse menos de 1% do votos expressos nas últimas eleições, não teria a maioria e nunca teria tido a coragem de promover esta enorme afronta aos professores. Somos 150.000 o equivalente a 3% dos votos nacionais expressos. Se nas próximas eleições, que são dentro de um ano, todos os professores votarem em massa em todos os partidos excepto no PS, este partido nunca mais volta a ter a maioria e será a oportunidade soberana de devolver ao Sr. Sócrates as amêndoas amargas que ofereceu aos professores.

Colegas, quem foi capaz de ir do Minho, Trás-os-Montes, Algarve, Madeira e Açores a Lisboa, também consegue nas próximas legislativas dirigir-se à sua assembleia de voto, e votar a derrota do PS.

Em Portugal há partidos para todos os gostos quer à direita quer à esquerda do PS, é só escolher, maiorias nunca mais.

Os professores para além de terem a capacidade de retirarem a maioria ao PS têm a capacidade de o derrotar, basta para isso que os professores convençam metade dos maridos ou mulheres, metade dos seus filhos maiores, metade dos seus pais e um vizinho a não votar PS, e já são mais de 500.000, foram os votos que o PS teve a mais que a oposição.

Os professores estão pela primeira vez unidos, esta união é para continuar, e têm uma ferramenta poderosa ao seu alcance, a Internet, que nos põe em contacto permanente uns com os outros.

Senão vejamos, esta mensagem vai ser enviada a cinco colegas. Se cada um dos colegas enviar a mais cinco dá 25. Se estes enviarem a mais cinco dá 125. Se estes enviarem a mais cinco dá 625. Se estes enviarem a mais cinco dá 3.125. Se estes enviarem a mais cinco dá 15.625. Se estes enviarem a mais cinco dá 78.125. se este enviarem a mais cinco dá 390.625, isto é, o dobro dos professores que há em Portugal. À sétima vez que esta mensagem for reenviada todos os colegas ficarão a saber a informação que ela contém.

Começou oficialmente a campanha eleitoral dos professores contra o PS, com o slogan:

'VOTA À DIREITA OU À ESQUERDA! NÃO VOTES PS!'

publicado por TC às 23:44

Os deputados do PS estão contra nós, mas querem ser titulares sem porem os pés na escola.
Que VERGONHA !
Retirado da Ordem Trabalhos hoje ME /Plataforma:

Ponto 8.
Acesso à categoria de Professor Titular para os Professores em exercício de funções ou actividades de interesse público, designadamente, enquanto Deputados à Assembleia da República e ao Parlamento Europeu, Autarcas, Dirigentes da Administração Pública, Dirigentes de Associações Sindicais e Profissionais.

Agora é que não percebo nada!Mas agora já se pode "atingir o topo"… mesmo estando "fora" da escola?
Todas as mudanças que o ME quis fazer não foi para acabar com "isso"?
Não ia ser titular apenas quem provasse, "no terreno", a sua excelência?
Dizem uma coisa, fazem outra… a toda a hora!
Depois de se terem "esquecido"dos que antes estiveram nessas funções, no primeiro concurso….: mais um concurso extraordinário? ou só conta daqui para a frente, e os «tristes» que ficaram para trás?
Tem que ser o tribunal a dar-lhes razão?

O novo 4º escalão será, provavelmente, para os "Professores-titulares-avaliadores". Deste modo, cria um "estatuto" diferente para quem é avaliador e foge às incompatibilidades de avaliador e avaliado concorrerem às mesmas cotas.

Quantos chegaram a titular por haver uma vaga na escola e não ter mais ninguém a concorrer, no entanto escolas houve em que colegas com quase o dobro dos pontos não acederam a PT porque não havia vaga, e com isto só quero dizer e afirmar da injustiça desta peça, monstruosamente montada e maquiavelicamente posta em prática que é a dos professores titulares.

Esta proposta do PM é inaceitável.
Espero que professores e sindicatos estejam bem conscientes desta proposta que é verdadeiramente ofensiva, para não dizer outra coisa!
Tenhamos dignidade e não nos deixemos vender.
Esta é das respostas mais repugnantes jamais feitas por um governo.
Oferecem tachos a sindicalistas, boys e girls das direcções gerais dos vários ministérios, há uma tentativa de oferecer aos professores avaliadores um "acesso" ao 4º escalão de titular.

Chegamos ao limite da indecência e a resposta só pode ser uma: revisão do ECD, anulação da divisão da carreira e combate total a esta avaliação.
DEVEMOS OBRIGAR OS SINDICATOS A REJEITAR LIMINARMENTE ESTAS PROPOSTAS!

publicado por TC às 23:39
09
Abr
08
Mais um caso pontual!!!
Aluno agride professora.

publicado por TC às 10:25
08
Abr
08
Professora agredida por um pai em frente aos alunos
Hoje no DN Online

É normal Sra. Ministra...........é normal!!! É coisa pouca.........
publicado por TC às 17:18
07
Abr
08
Sobre os Professores - a Miguel de Sousa Tavares

É do conhecimento público que o senhor Miguel de Sousa Tavares considerou 'os professores os inúteis mais bem pagos deste país.' Espantar-me-ia uma afirmação tão generalista e imoral, não conhecesse já outras afirmações que não diferem muito desta, quer na forma, quer na índole. Não lhe parece que há inúteis, que fazem coisas inúteis e escrevem coisas inúteis, que são pagos a peso de ouro? Não lhe parece que deveria ter dirigido as suas aberrações a gente que, neste deprimente país, tem mais do que uma sinecura e assim enche os bolsos? Não será esse o seu caso? O que escreveu é um atentado à cultura portuguesa, à educação e aos seus intervenientes, alunos e professores. Alunos e professores de ontem e de hoje, porque eu já fui aluna, logo de 'inúteis', como o senhor também terá sido. Ou pensa hoje de forma diferente para estar de acordo com o sistema?

O senhor tem filhos? – a minha ignorância a este respeito deve-se ao facto de não ser muito dada a ler revistas cor-de-rosa. Se os tem, e se estudam, teve, por acaso, a frontalidade de encarar os seus professores e dizer-lhes que 'são os inúteis mais bem pagos do país.'? Não me parece… Estudam os seus filhos em escolas públicas ou privadas? É que a coisa muda de figura! Há escolas privadas onde se pagam substancialmente as notas dos alunos, que os professores 'inúteis' são obrigados a atribuir. A alarvidade que escreveu, além de ser insultuosa, revela muita ignorância em relação à educação e ao ensino. E, quem é ignorante, não deve julgar sem conhecimento de causa. Sei que é escritor, porém nunca li qualquer livro seu, por isso não emito julgamentos sobre aquilo que desconheço. Entende ou quer que a professora explique de novo?

Sou professora de Português com imenso prazer. Oxalá nunca nenhuma das suas obras venha a integrar os programas da disciplina, pois acredito que nenhum dos 'inúteis' a que se referiu a leccionasse com prazer. Com prazer e paixão tenho leccionado, ao longo dos meus vinte e sete anos de serviço, a obra de sua mãe, Sophia de Mello Breyner Andersen, que reverencio. O senhor é a prova inequívoca que nem sempre uma sã e bela árvore dá são e belo fruto. Tenho dificuldade em interiorizar que tenha sido ela quem o ensinou a escrever. A sua ilustre mãe era uma humanista convicta. Que pena não ter interiorizado essa lição! A lição do humanismo que não julga sem provas! Já visitou, por acaso, alguma escola pública? Já se deu ao trabalho de ler, com atenção, o documento sobre a avaliação dos professores? Não, claro que não. É mais cómodo fazer afirmações bombásticas, que agitem, no mau sentido, a opinião pública, para assim se auto-publicitar.

Sei que, num jornal desportivo, escreve, de vez em quando, umas crónicas e que defende muito bem o seu clube. Alguma vez lhe ocorreu, quando o seu clube perde, com clubes da terceira divisão, escrever que 'os jogadores de futebol são os inúteis mais bem pagos do país.'? Alguma vez lhe ocorreu escrever que há dirigentes desportivos que 'são os inúteis' mais protegidos do país? Presumo que não, e não tenho qualquer dúvida de que deve entender mais de futebol do que de Educação. Alguma vez lhe ocorreu escrever que os advogados 'são os inúteis mais bem pagos do país'? Ou os políticos? Não, acredito que não, embora também não tenha dúvidas de que deve estar mais familiarizado com essas áreas. Não tenho nada contra os jogadores de futebol, nada contra os dirigentes desportivos, nada contra os advogados. Porque não são eles que me impedem de exercer, com dignidade, a minha profissão. Tenho sim contra os políticos arrogantes, prepotentes, desumanos e inúteis, que querem fazer da educação o caixote do( falso) sucesso para posterior envio para a Europa e para o mundo. Tenho contra pseudo-jornalistas, como o senhor, que são, juntamente com os políticos, 'os inúteis mais bem pagos do país', que se arvoram em salvadores da pátria, quando o que lhes interessa é o seu próprio umbigo.

Assim sendo, sr. Miguel de Sousa Tavares, informe-se, que a informaçãozinha é bem necessária antes de 'escrevinhar' alarvices sobre quem dá a este país, além de grandes lições nas aulas, a alunos que são a razão de ser do professor, lições de democracia ao país. Mas o senhor não entende! Para si, democracia deve ser estar do lado de quem convém.

Por isso, não posso deixar de lhe transmitir uma mensagem com que termina um texto da sua sábia mãe: 'Perdoai-lhes, Senhor porque eles sabem o que fazem.'

Ana Maria Gomes
Escola Secundária de Barcelos
publicado por TC às 22:11
28
Mar
08
São só mais 15 vídeos.
Insultos em coro...
Pegar fogo a cadeiras...
Gozar com a cara dos Professores...
Filmar o corpo das docentes...
Indisciplina!!!!
Pode não ser só violência mas a indisciplina está sempre lá...
... e é violência psicológica para com quer ensinar e para com os que realmente querem aprender!!!

Os vídeos AQUI.

publicado por TC às 19:45
26
Mar
08

Leiam e retirem as vossas conclusões. Não necessita de comentário. É um extracto de acta de uma reunião de um CP

Informações da reunião com um responsável de uma DRE (7 de Janeiro de 2007)*
Os resultados das Provas de Aferição deste ano (quase meio milhão) são difíceis de comparar com os anos anteriores, dado que, anteriormente, essas provas eram aplicadas por amostra. Todas as escolas devem interpretar esses resultados, definindo estratégias de melhoria;* Os Conselhos Executivos têm de ter particular cuidado na nomeação dos correctores de exames. Segundo a responsável da Direcção Regional da Educação, "Os alunos têm direito a ter sucesso. Talvez fosse útil excluir de correctores aqueles professores que têm repetidamente classificações muito distantes da média. O que honra o trabalho do professor é o sucesso dos alunos".

*Este extracto de acta de uma reunião do Conselho Pedagógico foi-me enviado por alguém que não quis ser identificado porque, segundo afirmou, há medo e intimidação nas escolas.

publicado por TC às 01:03
24
Mar
08
Chamo especial atenção para esta parte:
Parece-me bem.
Mas isto cria um PROBLEMA!!!
Gasta-se mais dinheiro..........................e isso não pode ser! O importante é o dinheiro!!!!
publicado por TC às 16:59
21
Mar
08
Violência contra professora cometida em FEVEREIRO fica por punir. Tudo aconteceu na Escola Secundária António Sérgio, em Gaia. Agredida fisicamente e verbalmente por vários alunos.
Mais AQUI.

publicado por TC às 11:33
O 24 horas de hoje traz um artigo muito interessante sobre a indisciplina actual nas escolas.

AQUI

Comentário: será que a Ministra Lurdes, os seus Secretários de Estado, a competentíssima CONFAP, não deveriam ter já reunido de emergência? Isto é uma vergonha!
publicado por TC às 11:21
20
Mar
08
Este é o típico panorama escolar, onde ser boa pessoa, calma, tranquila, leva a ser gozada.
Até ao dia!!!
Qualquer dia este pode ser "aquele" que traz a caçadeira e desata a abrir...

E aí, a culpa é dos Professores!!!!
publicado por TC às 23:43

links

Ganha dinheiro na Net

L-Image-4_1-216x54

tags

todas as tags

blogs SAPO