...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...
subscrever feeds
tags

todas as tags

29
Dez
06
A Direcção-Geral de Viação (DGV), cuja extinção foi confirmada a 27 de Outubro com a publicação da nova Lei orgânica do Ministério da Administração Interna (MAI), está a requisitar pessoal para as direcções regionais de viação do Alentejo e Braga.
O director-geral da DGV, Rogério Pinheiro, assinou no passado dia 28 de Novembro, cita o «Jornal de Negócios», um mês depois de confirmada a extinção do organismo que dirige sob a tutela do MAI, a abertura de três processos de selecção de candidatos.

Para a direcção regional do Alentejo, o responsável da DGV autorizou a requisição de «funcionários públicos da carreira de assistentes administrativos» e auxiliar/telefonista, confirmando a abertura de um concurso semelhante para o caso da delegação de Braga.

MAS AFINAL ISTO JÁ NÃO HÁ CONTROL EM NADA???? MAS TODA A GENTE PODE ROUBAR DESTA MANEIRA O ZÉ POVINHO ?? OS COLA CARTAZES ( POLITICOS) GOVERNANTES JÁ NADA DIZEM A ISTO ? MAS EM QUE PAÍS VIVEMOS ?
Mas afinal pensam que andamos todos a dormir?
Porque será que se faz isto?
Será que é alguém amigo?
Ou amigo de um amigo?
É claro que se está extinta a DGV as pessoas vão para a rua com INDEMINIZAÇÕES!!! Se calhar essas pessoas que entraram até assinaram um contrato com cláusula de rescisão choruda!!!
SERÁ?
publicado por TC às 00:40
28
Dez
06
"MAIS UMA CRIANÇA, SUCUMBIU... HOJE AINDA NÃO SE SABE DE FOI DERIVADO AOS MAUS TRATOS, O QUE É CERTO É QUE A FAMÍLIA JÁ ESTAVA REFERENCIADA POR MAUS TRATOS, ISTO SEGUNDO A COMISSÃO DE PROTECÇÃO DE MENORES, HÁ JÁ 15 DIAS"

QUANTAS MAIS TERÃO DE PERDER A VIDA, PARA QUE REALMENTE, ESTAS COMISSÕES, ORGANISMOS, AUTORIDADES, JUÍZES, GOVERNO, QUANTAS TERÃO MAIS DE SUCUMBIR, PARA QUE SE FAÇA ALGUMA COISA?

TAMBÉM É CERTO, QUE NESTE CASO CONCRETO, NADA ESTÁ ESCLARECIDO, MAS MUITO ME ESPANTARIA, SE NÃO SE VERIFICASSEM OS MAUS TRATOS, OU A NEGLIGÊNCIA, TANTO MAIS QUE, COMO JÁ DESCREVIA ANTERIORMENTE, JÁ HAVIA INDÍCIOS DE MAUS TRATOS.

UMA COMISSÃO DE MENORES, QUE ALERTADA, DEIXA QUE ACONTEÇAM, ESTE E OUTROS CASOS, COMO INFELIZMENTE, TEM VINDO A ACONTECER, NÃO É PRECISA PARA NADA!!!

TEMOS QUE APURAR VERDADEIRAS RESPONSABILIDADES, DOA A QUEM DOER!!!

BASTA DE CRIANÇAS A SOFRER POR MAUS TRATOS!!!

Afinal as minhas previsões estavam certas INFELIZMENTE como relata a minutos o "Portugal Diário":

"A mãe da pequena Sara, a menina de dois anos que morreu na passada quarta-feira, em Monção, foi detida esta tarde e levada para o Tribunal de Monção onde aguarda a chegada de um juiz de turno, soube o PortugalDiário junto de fonte da Santa Casa da Misericórdia.

Ana Isabel Oliveira Costa, de 24 anos, foi ouvida pela PJ de Braga, durante quatro horas, nas instalações do infantário da Santa Casa da Misericórdia, em Monção, tendo seguido, por volta das 16 horas, para o Tribunal.

O pai da menina também foi ouvido mas não ficou detido e deverá acompanhar amanhã as cerimónias fúnebres.

Ainda de acordo com informações recolhidas pelo PortugalDiário junto de fonte do Instituto de Medicina Legal, a autópsia ao corpo da menor evidenciou «lesões traumáticas significativas no crâneo, tórax e no abdomén» e que «foram inequivocamente responsáveis pela sua morte».

O exame ao cadáver da menina, realizado no Instituto de Medicina Legal de Viana do Castelo, evidenciou ainda «várias lesões mais antigas» que sustentam a tese dos maus tratos infligidos à menor.

Seguem-se os exames complementares de rotina e uma fase «fundamental» que consistirá na «confrontação entre as lesões observadas e as informações fornecidas pelos progenitores».

Apesar de os primeiros darem credibilidade às suspeitas de maus tratos, a fonte do IML acrescenta «que primeiro é preciso confrontar os resultados médicos com os elementos recolhidos pela PJ, nomeadamente, o tipo de escadas em que a menor terá caído».

Refira-se que na versão dos progenitores, a morte de Sara ter-se-á ficado a dever a duas quedas que a menor deu nas escadas da casa, em Monção.

A menina deu entrada na quarta-feira de manhã no Centro de Saúde de Monção com uma paragem cardio-respiratória e vários hematomas na cabeça e nas pernas."

Retirado de www.portugaldiario.iol.pt

Basta!!!
publicado por TC às 19:36
26
Dez
06
No J.N de hoje em letras gordas fazendo manchete, pode ler-se: “FALSOS DESEMPREGADOS SÃO SESSENTA MIL”."

Inscrevem-se nos centros de emprego apenas para beneficiar de descontos e outras regalias. Nunca aceitam propostas de trabalho. Donas de casa e jovens são os que engrossam as listas."
Ainda segundo o IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional) -cerca de 458 mil inscritos nesses centros,é que correspondem de facto a pessoas que estão à procura de trabalho.O IEFP estima em cerca de 60 mil, as pessoas que não trabalham nem querem trabalhar: procuram, apenas, descontos e benefícios dados só a quem está no desemprego.Como isenção das taxas moderadoras nos hospitais e nos centros de saúde, e descontos nos medicamentos.
E também noutro tipo de instituições, que privilegiam quem está desempregado, como clubes de futebol que têm descontos para desempregados.Partidos políticos que fazem descontos nos associados excluídos do mercado de trabalho, que podem chegar aos 50%.Há ainda uma lista infindável de associações e instituições públicas e privadas, centros educativos e formação profissional e lojas comerciais com descontos para inscritos nos centros de emprego. Além disso, a inscrição é obrigatória a quem quer pedir subsídio de desemprego.
Ora perante este quadro. Eu pergunto: se os centros de emprego sabem destas destas habilidades todas, porque não agiram já há mais tempo?Porque de facto só é desempregado, quem tinha emprego e deixou de o ter! Por diversos motivos e razões. Por falência das empresas, por reestruturação de outras, ou em muitos casos por comum acordo, é que são de facto desempregados.Para terem acesso a esses "benefícios", terão que apresentar nos centros de emprego, documentação comprovativa, passado pela entidade patronal, e mais uma série de outros documentos para esse efeito.
Os tais falsos desempregados, aqui referenciados, como donas de casa e jovens.Nunca poderiam ser considerados desempregados.Vistos nunca terem exercido nenhuma actividade profissional, em nenhum tipo de empresa, nem sequer por conta própria!Nestas situações, a responsabilidade é única e exclusivamente do IEFP (Instituto de Emprego e Formação Profissional).Senão, confundem-se, aqueles verdadeiros desempregados, que desesperadamente procuram por todos os meios, um emprego, sem o conseguir, com aqueles malandros que de facto não querem trabalhar!Como todos sabemos, Portugal, é fértil em Chicos espertos.É preciso separar, o trigo do joio.
Mário Margaride

publicado por TC às 22:20
Ainda a quadra não acabou, e nas últimas horas, registaram-se menos acidentes, mas com mais mortos, para já, face ao ano anterior. Nunca é demais lembrar, que a estrada, e seus utilizadores, fazem das cenas mais tristes que o ser humano conhece pois perdem-se, pais, filhos, netos, avós, primos, etc. Mas ainda esta provisória contabilidade trágica não estava feita, já havia indicadores do ACP, que indicavam que este ano seria um ano de menos acidentes. Não pelas medidas implementadas pelo governo (ZERO), mas pela recessão económica que o país atravessa, quem o diz é o director da PRP (Prevenção Rodoviária Portuguesa). Todos os anos por esta altura, e outras de grande festim, acumulam-se as manobras perigosas, a condução sob o efeito do alcool, o excesso de velocidade, aliados ás más condições climatéricas (gelo, chuva e nevoeiro), e somam vítimas mês após mês e ano após ano, numa contabilidade necrológica.

Ora quando o Governo, quer chamar a si os louros de menos acidentes, devia pensar bem antes de dizer qualquer coisa, já que um dos cortes mais feroz no OE deste ano foi sem dúvida a fatia da PRP, que não teve dinheiro para nenhuma campanha de sensibilização junto dos condutores. Também é certo e sabido que 90% dos acidentes se deve à falta de civismo dos condutores e à fraca instrução dos mesmos, já a última (a instrução) devia ser fortemente provida de centros que prestassem um serviço de educação capaz de fazer face as exigências de hoje em dia, e dou exemplos:
  1. Criação de parques próprios, onde os instruendos da condução pudessem aperfeiçoar, as técnicas de condução, e a condução defensiva, dotando este centros de condições atmosféricas simuladas como já acontece em vários países industrializados.
  2. Educação cívica, legislação, e mecânica, de carácter teórico mas aliados à prática.
  3. Reciclagem de 5 em 5 anos, para cidadãos encartados, fornecendo-lhes dados estatísticos dos acidentes, sua gravidade, consequências e causas. Passando por partes práticas de condução em condições atmosféricas adversas.
São sem dúvida só 3 pontos como exemplo, mas acho que com estas medidas o estado, estariam a ser criados mecanismos de defesa da vida humana, e a fomentar a educação cívica, pois é uma autêntica guerra o que muitos condutores, que sendo excelentes pessoas fora de um carro, entrando dentro deste, ao volante, transformam-se em autênticos BICHOS, que nem num Zoológico com falta de animais os aceitariam com receio da própria vida dos restantes inquilinos.

Como cidadão, como utilizador das estradas portuguesas, mas principalmente como Pai, marido e ser Humano, apelo a todos os governantes que ponham a mão na consciência e digam:

BASTA DE MORTES NAS ESTRADAS!
publicado por TC às 17:35
























Parece um arrozal!












































E ainda dizem que os ecologistas têm mau feitio!!!

É uma obra tão simples...

E quem são os donos dos terrenos à volta da obrinha?

Serão de alguém conhecido? Ou de um primo? Ou sobrinho?
publicado por TC às 01:16
25
Dez
06
Quem nunca cometeu erros? Quem nunca se sentiu deprimido e imerecedor de ser feliz? Quem nunca teve pensamentos negativos? Atire a primeira pedra!

Nosso carácter resulta também das experiências por que passamos, reflexo das escolhas que fizemos. Muitas vezes escolhemos os caminhos que nos provocarão mais dor e sofrimento, mas essa dor e esse sofrimento serão diamantes na nossa aprendizagem de vida se deles tirarmos o ensinamento devido.

Ficar agarrado ao remorso, à dor porque erramos não é a atitude proveitosa a tomar para a nossa evolução.

Tomar consciência que erramos já é muito bom, melhor ainda é aprender com o erro e seguir em frente e, claro, se pudermos devemos tentar reparar o erro sempre que é possível.

A propósito deste tema, recebi um texto lindíssimo cujos ensinamentos são verdadeiros tesouros para as nossas vidas. Desconheço o autor do texto e agradeço ao amigo Tiago Duarte que mo enviou.

O POÇO E A PEDRA

Um monge peregrino caminhava por uma estrada quando, do meio da relva alta, surgiu um homem jovem de grande estatura e com olhos muito tristes.

Assustado com aquele aparecimento inesperado, o monge parou e perguntou se poderia fazer algo por ele.

O homem abaixou os olhos e murmurou envergonhado: "Sou um criminoso, um ladrão. Perdi o afecto de meus pais e dos meus amigos. Como quem se afunda na lama, tenho praticado crime após crime. Tenho medo do futuro e não sinto sossego por nenhum instante. Vejo que o senhor é um monge, livre-me então desse sofrimento, dessa angústia!" - pediu ajoelhando-se.

O monge, que ouvira tudo em silêncio, fitou os olhos daquele homem e alguns instantes depois disse: "Estou com muita sede. Há alguma fonte por aqui?"

Com expressão de surpresa pela repentina pergunta, o jovem respondeu: "sim, há um poço logo ali, porém nele não há roldana, nem balde. Tenho aqui, no entanto, uma corda que posso amarrar na sua cintura e descê-lo para dentro do poço. O senhor poderá beber água até se saciar. Quando estiver satisfeito, avise-me que eu o puxarei para cima."

O monge sorrindo aceitou a ideia e logo em seguida encontrava-se dentro do poço.

Pouco depois, veio a voz do monge: "pode puxar!"

O homem deu um puxão na corda empregando grande força, mas nada do monge subir. Era estranho, pois parecia que a corda estava mais pesada agora do que no início.

Depois de inúteis tentativas para fazer com que o monge subisse, o homem esticou o pescoço pela borda, observou a semi-escuridão do interior do poço para ver o que se passava lá no fundo.

Qual não foi sua surpresa ao ver o monge firmemente agarrado a uma grande pedra que havia na lateral.

Por um momento ficou mudo de espanto, para logo em seguida gritar zangado: “hei, que é isso? O que faz o senhor aí? Pare já com essa brincadeira parva! Está a escurecer, logo será noite. Vamos, largue essa rocha para que eu possa içá-lo.”

De lá de dentro o monge pediu calma ao rapaz, explicando: “Você é grande e forte, mas mesmo com toda essa força não me consegue puxar se eu ficar assim agarrado a esta pedra. É exactamente isso que está a acontecer consigo. Considera-se um criminoso, um ladrão, uma pessoa que não merece o amor e o afecto de ninguém. Encontra-se firmemente agarrado a essas ideias. Desse jeito, mesmo que eu ou qualquer outra pessoa faça grande esforço para reerguê-lo, não vai adiantar nada.”

“Tudo depende de si. Somente você pode resolver se vai continuar agarrado ou se vai se soltar. Se quer realmente mudar, é necessário que se desprenda dessas ideias negativas que o vêm mantendo no fundo do poço. Desprenda-se e liberte-se.

A escuridão não é mais do que a falta de luz, assim como o mal é a ausência do bem. Não deixemos que pensamentos negativos turvem nossos pensamentos, ocultando nossos melhores sentimentos (clique aqui), busquemos a luz da verdade e o caminho do bem.

Abandonemos as pedras da ignorância e do medo que nos mantêm prisioneiros de nossas próprias imperfeições, nos poços do egoísmo e do orgulho.”

Clique aqui e continue a clicar no botão esquerdo do rato para passar os slides. (Ligue o som)
Alexandra Caracol
publicado por TC às 15:56
24
Dez
06
Diz o ditado " Que cada um deve saber a cama onde se deita ", este dizer aplica-se aos munícipes do Porto. Elegeram o Homem ( Rui Rio), para a presidência da Câmara, aguentem-se!
Este senhor, para além de anti-democrata (dado que toma atitudes de prepotência, do tipo, quero, posso e mando), aplica a lei da rolha, toma decisões sem ouvir todas as partes, encrava processos de candidatos a financiamentos na recuperação do Centro Histórico, ( já com financiamento aprovado) e com isso, tem empurrado muita gente para o abismo, para além do desperdício de oportunidades de financiamento para a cidade.
Agora como salvador da Pátria, também não concede tolerância de ponto aos trabalhadores municipais, dado que o país está em grave crise.
Curioso, é que este fomentador da crise, com os milhões de euros deitados fora, por se armar em chico esperto, nas expropriações dos terrenos do parque da cidade, na falta de aproveitamento de oportunidades de financiamento de projectos válidos ( por não lhes dar despacho atempadamente) e muitos mais exemplos de inoperância e de gestão danosa para o munícipio e o país, se preocupe agora, com os míseros milhares de euros de não produtividade camarária!
A entrega da exploração do Teatro Rivoli, contestada pela concorrência, também não foi cabalmente esclarecida aos munícipes e porque estes mesmos munícipes, não precisam da cultura, também se corta. Os outros munícipes os de primeira, vão ao teatro a Lisboa e outras capitais europeias!
E tem este senhor pretensões de chegar a Primeiro Ministro ou quiçá Presidente da República Portuguesa... já o imaginaram?
publicado por TC às 00:02
23
Dez
06
O Ministério da Educação foi condenado a pagar aulas de substituição a dois professores. Os tribunais de Castelo Branco e Leiria deram razão aos queixosos que vão agora receber horas extraordinárias.

O Ministério sempre disse que a substituição dos docentes que faltam não tem de ser remunerada de forma extraordinária. Mas dois tribunais deram agora razão às reclamações de dois professores, que exigiram às suas escolas o pagamento destas actividades como horas extraordinárias.

O Tribunais Administrativos e Fiscais de Castelo Branco e Leiria confirmaram assim o que sindicatos e professores sempre reclamaram. Com base no estatuto de carreira docente, ainda em vigor, as aulas de substituição são consideradas serviço docente extraordinário.

Por todo o país, muitos docentes têm exigido o pagamento das horas. A Fenprof apoiou alguns desses processos em tribunal.

As duas primeiras sentenças obrigam o Ministério da Educação a pagar num caso, por duas substituições 87 euros, no outro, por quatro substituições 67 euros.

De acordo com o código de processo nos tribunais administrativos, se houver mais três decisões iguais, sobre casos idênticos, todos os professores que tiverem feito substituição poderão requerer a extensão da sentença ou seja exigir ao Ministério o pagamento de horas extraordinárias.
publicado por TC às 22:22

É deveras impressionante, num país que se diz em CRISE, com MILHARES desempregados (mais de 500 mil), com pessoas (cerca de 2 milhões) a viver com menos de 2 EUROS por dia, com as reformas baixíssimas, com o salário mínimo de 385€/mês, as notícias dão conta de que se gastam 6 milhões de € por hora em compras nas lojas, isto dados da UNICRE, compras essas na sua maioria sem dar descanso ás máquinas MB e aos seus terminais, sim senhor, e isto, muito devido ao facto, do apelo desenfreado, nesta época, ao consumo e ao crédito fácil.

O PAÍS ESTÁ DE FACTO EM CRISE, MAS SÓ PARA ALGUNS...

ENQUANTO UNS COMPRAM, COMPRAM, OUTROS HÁ, QUE NEM UM SÍTIO SEQUER TEM ONDE PERNOITAR, NA NOITE QUE DEVERIA SER DE AMOR, PAZ, ALEGRIA A FRATERNIDADE, E OUTROS AINDA QUE NADA TEM QUE COLOCAR SOBRE A MESA NESTA LINDA NOITE.

DA QUE PENSAR NÃO DÁ?

publicado por TC às 21:35
22
Dez
06
publicado por TC às 19:52
O conceito “utilizador - pagador” foi introduzido pelos governantes, com a justificação que não é justo que todos paguem, através dos seus impostos, aquilo que só alguns utilizam, este princípio põe fim aos princípios de solidariedade, que vigoravam e que resumiam no pagamento de impostos por todos e o Estado com esse dinheiro geria os diferentes serviços de que os cidadãos viessem a necessitar.
Se em parte, até posso concordar com a medida, pois, por exemplo, não percebo porque é que os nossos impostos servem para subsidiar Manoel d’Oliveira, para que este todos os anos estreie um novo filme, se só meia dúzia de auto-considerados membros de uma qualquer elite social é que os vê ou outro exemplo, não percebo porque é que os nossos impostos servem para pagar as campanhas eleitorais se aquilo que nelas é dito e feito tem como objectivo principal enganar-nos, por outro lado sei que esta modalidade poder trazer desequilíbrios óbvios resultantes de os que terão dificuldades económicas poderem ver ser-lhes negado ou dificultado o acesso a alguns serviços de primeira necessidade como sejam os do âmbito da Saúde.
Mas a forma como está a ser implementado este principio, suscita-me ainda mais algumas dúvidas, por exemplo, porque é que desde que se começou a implementar este preceito, os portugueses não viram nenhum dos impostos baixar, antes pelo contrário? Ou será que o conceito introduzido é “Com os teus impostos pagas tudo e mais alguma coisa! Se precisares de um serviço, seja ele qual for, pagas outra vez e é se queres!!”, enfim, uma espécie de “utilizador - roubado a torto e a direito”?...
publicado por TC às 10:33
21
Dez
06




publicado por TC às 19:38

Gatos Fedorentos - este é para mim o melhor deles. Os Moonspell aceitaram fazer uma "ligeira" versão da música "Abram Alas Para o Noddy" e em boa hora o fizeram. Uma nova maneira de abordar a música foi o que fizeram os Moonspell (para quem não sabe quem são estes senhores, digo que são uma das melhores bandas de Metal no mundo e são Portugueses), estamos todos à espera da sua edição em Cd para que todos possamos comprar e oferecer às nossas crianças. As nossas crianças vão poder ouvir por ex. esta música ao deitar. Como demonstra este video, as crianças ficam deveras contentes e supeendidas ao ouvir pela primeira vez esta música do Noddy, o seu boneco favorito. Por isso não deixem de comprar para poderem ver um sorriso na cara de cada criança.
tags:
publicado por TC às 15:12
Na semana passada eu estava a passear no num Shoping muito conhecido no Porto.
Fui com a minha filha de 2 anos à loja da GANT.
Quando lá estava a minha filha bateu com a cabeça numa prateleira feita de barras de aço que está junto ao caixa para as senhoras pousarem as carteiras enquanto pagam.
Achei que tal prateleira não deveria estar ali ou então deveria ser feita com um design mais "feio" mas seguro.
Após levar a minha filha ao posto de tratamento (abriu a cabeça)voltei à GANT para pedir o dito livro. Escarrapachei a minha reclamação e daqui a um mês volto lá para ver se a prateleira ainda lá está. Se estiver...
... escrevo.

Todas as lojas da GANT têm a dita prateleira. Devem ter sido feitas todas pelo mesmo arquitecto burro.
publicado por TC às 13:37
20
Dez
06

SÓ UMA PALAVRA HORRIIIIVEL!

O golfinho é o único animal que gosta do Homem desinteressadamente (sim, cães, gatos e cavalos - e outros animais - gostam de nós, mas esperam protecção e/ou comida em troca). O golfinho nada espera do Homem, é um animal naturalmente bom e amistoso e CONFIA no ser humano. No Japão, país de alta tecnologia, é assim que lhes é retribuído esse amor.

Bem, essa a mensagem que me mandaram... mas nos Açores também se continuam a matar golfinhos para usar a sua carne como isco na pesca do ATUM.
AGORA - podemos fazer algo pelos golfinhos chacinados no Japão? Muito pouco.

MAS PODEMOS FAZER ALGO PELOS GOLFINHOS MORTOS NOS AÇORES.
Boicotem o atum pescado nos Açores (leiam nas latas onde é feita a conserva), comprem só o atum enlatado em Matosinhos ou no Algarve.
PENSE GLOBAL: ACTUE LOCAL é a divisa dos ambientalistas.
publicado por TC às 10:47
... se é jovem, não tem experiência
... se é velho, está superado
... se não tem carro, é um coitado...
... se tem carro, chora de "barriga cheia"
... se fala em voz alta, grita
... se fala em tom normal, ninguém o ouve...
... se não faltas às aulas, é um tontinho
... se falta, é um "turista"
... se conversa com outros professores, está a falar mal dos alunos
... se não conversa, é um desligado
... se dá a matéria toda, não tem dó dos alunos
... se não dá a matéria, não prepara os alunos
... se brinca com a turma, arma-se em engraçado
... se não brinca, é um chato
... se chama a atenção, é um autoritário
... se não chama, não se sabe impor
... se o teste de avaliação é longo, não dá tempo
... se o teste de avaliação é curto, tira as chances dos alunos
... se escreve muito, não explica
... se explica muito, o caderno não  tem nada
... se fala correctamente, ninguém entende
... se fala a "língua" do aluno, não tem  vocabulário
... se o aluno é reprovado, foi perseguição
... se o aluno é aprovado, o professor facilitou.
É verdade, o professor está sempre errado!
Mas se você conseguiu ler até aqui, agradeça-lhe a ele.
Autor desconhecido
publicado por TC às 10:43
19
Dez
06
Portugal no seu melhor!!!

publicado por TC às 00:04
18
Dez
06
Para sermos felizes é preciso trabalhar para isso.

Nada neste mundo cai do ar. Se queremos obter algo teremos que o conquistar pela dedicação, trabalho e perseverança. Isto inclui a harmonia, a paz e tudo aquilo que pode fazer-nos felizes.

O egoísmo é algo muito nocivo que impede a nossa evolução como ser individual, assim como a evolução enquanto seres pertencentes à espécie humana.

Quando um indivíduo se importa só com o que lhe diz respeito, esquecendo que afinal é uma pequena partícula de um todo, acaba por colher para si próprio infelicidade e derrota. Por algum tempo pode até conseguir muito dinheiro e conquistar um império, mas os castelos, por mais fortes que pareçam, acabam por cair.

Quando os castelos caem, se não se teve o cuidado de ir construindo mais do que as muralhas somente restarão as suas ruínas.

Se queremos ser felizes deveremos preocupar-nos com os que nos rodeiam e também com a saúde do nosso planeta, pois também ele precisa de cuidado.

Se pusermos um pouco de amor em tudo o que fizermos notar-se-á a diferença, pois onde existe o amor tudo se torna belo.

Amar e ser amado (clique aqui) deverá ser a simbiose sincera entre o dar e receber sem hipocrisia, pois só assim o amor poderá dar luz às trevas.

Alexandra Caracol
publicado por TC às 00:58
17
Dez
06
Jorge Vasconcelos ‘bateu com a porta’. Mas o presidente da Entidade Reguladora do Serviços Energéticos (ERSE) não vai de ‘mãos a abanar’: vai receber 12 mil euros por mês até encontrar um novo emprego.

O ex-presidente da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) vai receber cerca de 12 mil euros por mês, durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.

Jorge Vasconcelos anunciou a sua demissão esta semana, em conflito com a decisão do Governo de limitar a seis por cento os aumentos da energia para os consumidores domésticos em 2007.


Segundo apurou o Correio da Manhã, o salário do presidente da ERSE era de 18 mil euros mensais (vezes 14), a que acresciam ajudas de custo. Segundo o que estabelecem os estatutos do próprio regulador (que é uma pessoa colectiva de direito público, dotada de autonomia administrativa e financeira e de património próprio), no seu artigo 29, n.º 5, “após o termo das suas funções, os membros do conselho de administração ficam impedidos, pelo período de dois anos, de desempenhar qualquer função ou prestar qualquer serviço às empresas dos sectores regulados”. Trata-se de um compreensível “período de nojo”, que impede a existência de promiscuidades entre reguladores e regulados.

Menos compreensível é o que o referido estatuto estabelece no n.º 6 do artigo 29; durante dois anos, “a ERSE continuará a abonar os ex-membros do conselho de administração em dois terços da remuneração correspondente ao cargo, cessando esse abono a partir do momento em que estes sejam contratados ou nomeados para o desempenho, remunerado, de qualquer função ou serviço público ou privado”.

Isto significa que Jorge Vasconcelos passará a receber 12 mil euros por mês, durante dois anos, até conseguir arranjar outro emprego no sector público ou privado.

De acordo com artigo 28 dos estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração “estão sujeitos ao estatuto do gestor público em tudo o que não resultar dos presentes estatutos”, o que afasta a aplicação das novas normas aprovadas em Conselho de Ministros no dia 19 de Outubro, onde se introduzem alterações à remuneração e às regalias auferidas pelos gestores das empresas e dos institutos públicos.

Questionado o Ministério da Economia, uma fonte oficial adiantou que o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria entidade que, com o estatuto de regulador é independente.

ARRE, E A FACTURA QUEM PAGA SÃO SEMPRE OS MESMOS!!!

Segundo o "Correio Da Manhã" edição de 17/12/2006
publicado por TC às 22:53
Tribunal de Contas (TC) desembarcou no porto de Sines. Aparentemente, não gostou de saber que Administração do Porto de Sines (APS), sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, “celebrou uma avença com uma sociedade de advogados que acarreta um custo mínimo mensal de cerca de 2 mil euros”, quando “a empresa tem um Gabinete Jurídico dotado de 4 juristas no quadro, cujo funcionamento custou, nesse ano, 176 mil euros.” Entende o TC que a situação pode “consubstanciar um desperdício de dinheiros públicos”.
O TC não gostou também de saber que a APS “despendeu valores que oscilaram entre os 198 mil euros, em 2002, e os 142 mil euros, em 2005, com despesas associadas a auxílio para estudos, auxílio na infância, colónia de férias (previstas no Regulamento das Obras Sociais e Culturais da APS) e subsídios ao Grupo Desportivo e Cultural da empresa.” Embora reconheça que tais montantes sofreram um decréscimo significativo em 2005, o TC considera que “são relevantes, uma vez que esta empresa tem estado numa situação económica deficitária (…), o que revela que tem existido uma gestão pouco criteriosa dos custos.
O TC torceu também o nariz ao facto de a APS ter gastado, “com as festas anuais de aniversário e de Natal, 203 mil euros, em 2002, e 61 mil euros, em 2004. Só a Festa dos seus 25 anos acarretou um custo de 185 mil euros.” Entende o TC que “[s]ão despesas avultadas para uma empresa pública que tem tido sistematicamente resultados operacionais negativos evidenciando, no mínimo, falta de racionalidade económica na utilização dos dinheiros públicos que gere.
Menos ainda parece ter o TC gostado de saber que os “contratos de concessão de serviço público, celebrados com a Portsines, S. A. e com a Port of Singapore Authority, foram, ambos, precedidos de ajuste directo. A opção por este procedimento em detrimento do concurso público restringe a concorrência e não é a mais adequada ao acautelamento dos interesses financeiros do Estado, bem como à defesa do interesse público.” Acresce que o “contrato de concessão de serviço público celebrado com a Portsines, S. A. prevê um prazo de 25 anos e prorrogações, por períodos sucessivos até 25 anos cada um.
O rol de desgraças enunciadas pelo Tribunal de Contas não se fica por aqui. Leia-se o relatório aprovado por três juízes conselheiros, “que tece severas críticas à gestão da APS no período entre 2003 e 2005.” Acontece que, apesar disso, o Ministério Público decidiu arquivar o processo, segundo informa hoje o Diário Económico num artigo intitulado “Porto de Sines escapa a investigação do MP após auditoria do TC”. Diz o jornal:

    «A razão prende-se com o facto de, segundo o MP, no relatório apresentado, não haver matéria que evidencie a existência de “irregularidades que possam ser apreciadas em termos de responsabilidade financeira.” No despacho do MP, enviado ao Porto de Sines (…), refere-se ainda que “não se mostram também evidenciados factos que motivem o Ministério Público a accionar outras jurisdições.

Andam três juízes conselheiros, mais uma equipa de cinco elementos, a trabalhar para aquecer — e nem um ajuste directo por “um prazo de 25 anos e prorrogações, por períodos sucessivos até 25 anos cada um” merece um pouco de atenção... Depois é o CC que tem uma fixação pelo Dr. António Cluny, colendo procurador-geral adjunto junto do Tribunal de Contas.
Razão tem a Senhora Presidente da APS, que, questionada pelo Diário Económico, respondeu "que, exactamente por o processo ter sido arquivado, não faz sentido explorar as questões levantadas pela auditoria do TC." Na sua singeleza, a Senhora Presidente disse tudo. Ou seja, continue-se a fazer ajustes directos, a recorrer ao outsourcing sem justificação, a endividar-se excessivamente, a administrar mal a coisa pública... que não tem consequências.

Macua de Moçambique
publicado por TC às 21:50
15
Dez
06
Os nossos pilotos da Força Aérea Portuguesa têm direito a um subsídio de risco por voarem.

Só que continuam a receber mesmo quando deixam de voar por limite de idade ou qualquer outro motivo.

E o Chefe do Estado Maior da Força Aérea está incluído!
publicado por TC às 22:10
13
Dez
06

*" O jogador da equipa visitada, Micolli, desmandou-se em velocidade
tentando desobstruir-se no intuito de desfeitear o guarda-redes visitante.
Um adversário à ilharga procurou desisolá-lo, desacelerando-o com auxílio
à utilização indevida dos membros superiores, o que conseguiu. O jogador
Micolli procurou destravar-se com recurso a movimentos tendentes à
prosecução de uma situação de desaperto mas o adversário não o
desagarrava. Quando finalmente atingiu o desimpedimento desenlargando-se,
destemperou-se e tentou tirar desforço, amandando-lhe o membro superior
direito à zona do externo, felizmente desacertando-lhe. Derivado a esta
atitude, demonstrei-lhe a cartolina correspectiva."*

*
* Extracto do relatório do árbitro Carlos Xistra relativo à apresentação
do cartão amarelo ao jogador Micolli do Benfica.
A ser verdade este é simplesmente há há há há há há há
há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há há

publicado por TC às 22:12

O último bom gestor que a TAP teve antes de ser "nacionalizada" foi o Engenheiro Vaz Pinto. Homem de visão e com grande dinamismo que soube o que fazia e geriu bem a TAP até de lá saiu.
A TAP então dava lucros. Essencialmente porque tinha linhas exclusivas para o Ultramar de Portugal nas quais fazia lucros fabulosos. Os empregados até recebiam "partilha dos lucros". Mais tarde tal tranformou-se tal em Subsídio de Férias e decimo terceiro mês....já que lucros, esses deixaram de haver e as massas e os seus lideres (dentro da TAP) todos eles queriam mais dinheiro.
A TAP de então virou empresa que possuia equipamento moderno ( Caqravelle e Boing), todos os seus aviões sendo de jacto.
Foi a primeira empresa Europeia a ter toda uma frota inteiramente constituida por aviões de jacto
.
Chegou a operar dois B747 diarios entre Luanda e Lisboa. Sempre cheios !
A companhia era já entao gerida pelos "boys" , muitos deles la postos pelo regime do então já decadente Estado Novo. Mas aqueles "boys", com o Vaz Pinto à frente, até geriam bem e tinham visão, e a empresa tinha menos de 5000 empregados então.
Ao que parece, eles atá nem se abotoavam como os outros "boys" mais tarde nomeados pelos sucessivos governos após a Revolucão.
Os comités saneadores manipulados pelos esquerdalhos do PCP e do MRPP puseram-nos todos foram por razões politicas, por serem "fascistas", não por haverem descoberto corrupcão.

Com o 25 de Abril tudo mudou.
A perda das linhas altamente lucrativas para o Ultramar (especialmente a de Lisboa-Luanda) aliadas as reivindicacoes de toda a ordem, aos saneamentos selvagens, a confusão interna, o asco ao trabalho, os comicios constantes... tudo ajudou a dar a "machadada" na empresa.
Alguns gestores tentaram mudar as coisas, mas politicamente não podiam nem tinham forca para isso. Os diferentes governos não os deixavam impôr a disciplina mínima necessária para o bom funcionamento de qualquer empresa.
O "povo era quem mais ordenava"... e a TAP existia para bem do "povo" , ou seja da burocrtacia interna que chegou a ascender a mais de 12 mil empregados, e não dos seus clientes (aqueles que queriam seguir suportando a sua companhia nacional preferindo voar nela) e muito menos dos que através das taxas a suportavam, isto é, o contribuinte nacional.Enfim, um caos, uma bagunca em que ninguem mandava , ninguem queria desagradar fosse a quem fosse e o desejo de trabalhar era muito pouco a todos os níveis.
Queria-se sim continuar a ordenhar a "velha vaca" ( a TAP) ao máximo, mesmo já quando a vaca não tinha leite para dar.Todos os amigos dos amigos no Governo (fosse qual fosse o partido no poder) iam parar a TAP como Gestores. Eram todos grandes gestores...de grandes qualidades e valores.Só que a unica coisa que parecia saberem fazer era votar benefícios para eles próprios e suas familias e ganhar salários avantajados que nem sequer mereciam pois o que faziam era porcaria.

Em determinada altura e recomendado pelo Presidente da Swissair ( as pressões de Bruxelas proibiriam em determinada altura que Governo de Portugal de continuar a subsidiar a bagunçada na TAP)

Uma Ministra - ao qual pertencia a tutela da TAP - resolveu contractar o Sr. Pinto (ex-Presidente da Varig) a vir para a TAP e tentar geri-la como deve de ser. E assim foi ! O homem veio e trouxe com ele 3 ajudantes que colocou em posições chaves dentro da TAP. Tinha um plano a curto e a longo prazo e implementou-os. Houve montes de críticas e queixas a sua actuação. Os "boys" que haviam sido postos na TAP pelo governo fizeram tudo para sabotá-lo. Mas o homem tinha coragem e determinação, Continuou em frente com os seus planos.
Uma coisa que fez que me impressionou muito favorávelmente foi ele instituir um processo de comunicação directa entre ele e os empregados . Através dessa sua missiva dava-nos conhecimento do que tinha em mente fazer e até podiamos contactá-lo. Antes dele nunca NINGUÉM havia tido sequer feito um esforço para comunicar com o pessoal. Este Sr. Pinto, numa viagem ao Oriente via EUA, tendo ficado um dia em trânsito, em Los Angeles, convidou a Representante local da TAP para um encrontro em que ouviu opiniões e deu ideias. NUNCA ninguém antes dele (mesmo a niveis muito abaixo de Presidente) haviam feito tal coisa. O quê? Suas Excelências, os Directores, terem uma reunião com um simples empregado, quando podiam melhor utilizarem o tempo de trânsito e ir fazer compras com suas esposas em Beverly Hill ??

Portanto nada me surpreende que a TAP esteja dando lucros. Ainda bem e podemos agradecer ao brasileiro Eng. Pinto, que tivemos a sorte de vir parar a TAP, em tão boa altura.
Só prova que uma empresa (privada ou do Estado) desde que seja BEM ADMINISTRADA e liderada por gente que não tem medo de trabalhar e de ser firme, apresenta sempre resultados.

Falo como ex-empregado TAP que fui durante 36 anos (1967-2003), em Portugal e nos EUA, antes e depois do 25 de Abril e que ocupou as mais variadas posições como empregado e como gerente naquela empresa que ainda representa Portugal para muitos de nos espalhados pelo Mundo.
Renato Nunes

Só é pena que o que é bem gerido em Portugal não seja tomado como exemplo e se pense logo em privatizar para o lucro fácil... mas que acaba.
Abraço

publicado por TC às 16:15
(...) Naquele primeiro sábado de explicações, Angélica iria iniciar novo período de sofrimento.

O homem sentou-se no sofá, abriu o fecho das calças e agarrando na cabeça de Angélica, forçando-a, meteu o pénis na boca dela, ameaçando espancá-la se não cumprisse com os seus desejos.

Obrigou-a a suportar os movimentos dentro da sua boca e, quanto mais gemia com dores nos maxilares, mais o homem entrava. Obrigou-a a acariciar-lhe o pénis e a satisfazê-lo até ter o orgasmo na sua boca.

Angélica desfalecida e cheia de dores, não entendeu o que se estava a passar, nem porque é que aquele homem que tantas vezes lhe tinha oferecido lindos brinquedos vindos do estrangeiro, estava a fazer aquelas coisas que lhe provocavam tanto sofrimento.

A partir daquele dia, o nojo e pavor que sentia daquele homem aumentaram de dia para dia. E à medida que o medo crescia, ele mais lhe oferecia prendas e se mostrava seu amigo à frente das pessoas que a rodeavam, aparentando ser boa pessoa.

Logo após a primeira vez, contou o sucedido a Sabrina, mas esta não acreditando no relato da filha, chamou o namorado e obrigou-a a repetir tudo à frente dele.

O homem com uma grande calma desmentiu tudo, e Sabrina acreditou. Chamou alguns familiares e fazendo troça do que Angélica lhe contara, disse que aquilo só podia ser fruto dos ciúmes de Angélica pela mãe e, repreendendo-a, proibiu-a de repetir tais ‘mentiras’.

Daí para a frente até aos dez anos, idade em que o homem se separou da mãe, Angélica teve que sofrer frequentemente abusos por parte daquele homem, sem se queixar. Todas as noites pedia a Deus para Ele a livrar daquele suplício ou ajudá-la a suporta-lo, se essa fosse a única forma da sua mãe ser feliz, muito embora não conseguisse entender porque é que ela estava com ele, se passavam a vida a discutir.

Por vezes, durante a noite, o homem dirigia-se ao quarto de Angélica, puxava os lençóis para baixo e satisfazia os seus desejos. Ela sofria calada.

Um dia, não aguentando mais, trancou a porta antes de adormecer, mas, de manhã, quando a mãe a foi cumprimentar e viu a porta fechada, zangou-se, proibindo-a de voltar a fazê-lo.

E esses passaram a ser segredos guardados e recalcados por longos e sofridos anos. (...)

Baseado em factos reais.
Retirado do capítulo 13 do livro
"Resolver Traumas (com o passado)"
de Alexandra Caracol
..........................
Nojo é o que todos devíamos sentir em relação a situações idênticas a esta, baseada em factos verídicos, que relatei no livro que escrevi.
Se fosse possível a cada pessoa, por momentos sentir o que a criança da narração anterior sentiu, talvez existisse maior empenho para terminar com tais situações de abuso (clique aqui).
Alexandra Caracol
publicado por TC às 15:21
Como é possível num país dito civilizado um violador, molestador e assassino de uma criança "levar" uma pena de APENAS 12 anos de cadeia. O caso "Daniel".
Isto só num país onde a justiça é o ponto mais baixo da moralidade.
Sendo que a pena máxima no nosso país é de 25 anos como é possível um caso destes nem metade levar? O que é necessário fazer para ser condenado com pena máxima?
Matar?
Violar?
Abusar de crianças?
Torturar?
Roubar?
Corrupção?
Já vimos que nada disto serve para uma condenação exemplar.
Depois ainda se queixam de justiça popular ou feita pelas próprias mãos. Eu fazia! E depois era condenado a 2 ou 3 anitos e ao fim de 1 estava cá fora.
É UMA VERGONHA!
publicado por TC às 11:38
links
tags

todas as tags

blogs SAPO