Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Jardim da Celeste

...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...

O Jardim da Celeste

29
Abr07

ESTADO VAI PERDER 243 MILHÕES EM IMPOSTOS

TC
Segundo notícias vindas a público hoje no Correio da Manhã, o estado português não vai recuperar 243 MILHÕES DE EUROS em impostos, devido a um erro burucrático. Estes impostos, estavam tentar ser cobrados a um grupo de empresas, ligadas a uma fraude fiscal com o Alcool. A ser verdade, enquanto tanto se pede aos Portugueses para apertarem o cinto, aumenta-se os impostos directos pagos pelos cidadãos, como IVA, ISP, IA etc., etc. E esta CAMBADA DE IMCOMPETENTES, ou não FAZEM NADA (fazem mesmo de propósito), mas aqui é um caso que a não ser de incompetência, será de MALVADEZ, CORRUPÇÃO e porque não as duas juntas, estes senhores da MERDA, andam a enganar quem? RUA JÁ!!!

Aqui fica um excerto da notícia, vinda a público hoje no CM:

"Segundo apurou o Correio da Manhã, as contas relativas aos montantes em falta foram feitas pelo Ministério Público com a ajuda de um consultor do Núcleo Assessoria Técnica (NAP) do DCIAP – Departamento Central de Investigação e Acção Penal – e os resultados não foram comunicados à Direcção-Geral dos Impostos para que fossem realizadas as liquidações adicionais dos impostos não pagos (IVA, IRC e Impostos Especiais sobre o Consumo).

Tal como estabelecem os artigos 45 e 46 da Lei Geral Tributária (LGT), o direito de liquidar os tributos caduca se a liquidação não for validamente notificada ao contribuinte ao fim de quatro anos.Os factos em julgamento ocorreram entre 1999 e 2003, pelo que o direito à liquidação dos impostos em falta caducou."

Ler mais aqui

QUE POUCA VERGONHA!!!
28
Abr07

Contos Proibidos - Memórias de Um PS Desconhecido

TC

Este post foi roubadito ao Mote para Motim

Contos Proibidos – Memórias de Um PS Desconhecido de Rui Mateus (ex-companheiro de partido de Mário Soares) é um dos vários livros banidos e censurados pela actual república. Publicado há onze anos atrás, esgotou rapidamente graças à polémica que o envolveu – e diz-se que também devido a ter sido retirado de circulação. Teve sempre muita procura mas a sua editora, Dom Quixote, afirma que não o reedita. No entanto, há uns meses que ele circula pela Internet, numa versão em PDF que pode ser retirada clicando aqui.
(instruções para download aqui)

Quem não sabe porque é que este livro está banido, nada melhor do que começar por ler a série de crónicas sugestivamente entituladas O Polvo, publicadas entre Setembro e Outubro de 2005 na revista Grande Reportagem e escritas pelo na altura seu director, o jornalista Joaquim Vieira. Aliás, Vieira foi despedido da direcção dessa revista por ter publicado essas crónicas e, segundo a jornalista Felícia Cabrita, «por ter permitido a publicação de escutas do processo Casa Pia que envolviam dirigentes do PS». Esta é a primeira dessas crónicas (as restantes podem ser lidas aqui):

«O POLVO (1)
Com Soares, já não há moral para criticar Ferreira Torres, Isaltino, Valentim ou Felgueiras.
Além da brigada do reumático que é agora a sua comissão, outra faceta distingue esta candidatura de Mário Soares a Belém das anteriores: surge após a edição de Contos Proibidos – Memórias de Um PS Desconhecido, do seu ex-companheiro de partido Rui Mateus. O livro, que noutra democracia europeia daria escândalo e inquérito judicial, veio a público nos últimos meses do segundo mandato presidencial de Soares e foi ignorado pelos poderes da República. Em síntese, que diz Mateus? Que, após ganhar as primeiras presidenciais, em 1986, Soares fundou com alguns amigos políticos um grupo empresarial destinado a usar os fundos financeiros remanescentes da campanha. Que a esse grupo competia canalizar apoios monetários antes dirigidos ao PS, tanto mais que Soares detestava quem lhe sucedeu no partido, Vítor Constâncio (um anti-soarista), e procurava uma dócil alternativa a essa liderança. Que um dos objectivos da recolha de dinheiros era financiar a reeleição de Soares. Que, não podendo presidir ao grupo por razões óbvias, Soares colocou os amigos como testas-de-ferro, embora reunisse amiúde com eles para orientar a estratégia das empresas, tanto em Belém como nas suas residências particulares. Que, no exercício do seu «magistério de influência» (palavras suas, noutro contexto), convocou alguns magnatas internacionais – Rupert Murdoch, Silvio Berlusconi, Robert Maxwell e Stanley Ho – para o visitarem na Presidência da República e se associarem ao grupo, a troco de avultadas quantias que pagariam para facilitação dos seus investimentos em Portugal. Note-se que o «Presidente de todos os portugueses» não convidou os empresários a investir na economia nacional, mas apenas no seu grupo, apesar de os contribuintes suportarem despesas da estada. Que moral tem um país para criticar Avelino Ferreira Torres, Isaltino Morais, Valentim Loureiro ou Fátima Felgueiras se acha normal uma candidatura presidencial manchada por estas revelações? E que foi feito dos negócios do Presidente Soares? Pela relevância do tema, ficará para próximo desenvolvimento.
Joaquim Vieira»
27
Abr07

Portugal cobra os maiores impostos do MUNDO nos combustíveis

TC
Os impostos (ISP e IVA) pesam 50 por cento do preço dos combustíveis em Portugal, alerta Fernando Gomes, administrador da Galp Energia.
«Cobramos os impostos mais caros do mundo», afirma o responsável na conferência sobre Davos, organizado pelo PriceWaterhouseCoopers, no Porto.

O Governo português, de acordo com o administrador da petrolífera, deveria «ponderar este agravamento fiscal nos combustíveis».

Este aumento contínuo dos impostos está a levar, segundo o mesmo, «a levar muitos portugueses a abastecerem em Espanha».

Aliás, Fernando Gomes afirma que a petrolífera portuguesa encontra-se actualmente a desenvolver um estudo sobre as consequências destes aumentos dos impostos nos combustíveis assim como a competitividade e a concorrência vinda de Espanha.

27
Abr07

Porque nem tudo foram cravos...

TC

O 25 de Abril de 1974 trouxe liberdade. É um facto. O 27 de Abril de 2007 trouxe uma demonstração de que a liberdade tem limites. Passo a explicar.

O direito à greve está consagrado na Constituição Portuguesa, sendo uma forma de luta que os trabalhadores têm para contestar medidas com as quais não concordam ou para tentarem obter condições que consideram justas ou merecidas. Até aqui tudo bem. Agora quando essa luta atropela os direitos das outras pessoas, aí meus amigos, alto e pára o baile.

Ontem fui surpreendido com a afixação de cartazes a avisar que hoje, dia 27, não iria haver comboios. O não cumprimento do prazo para o pré-aviso foi inteligentemente ultrapassado com a colocação da data de 23 nos mesmos, como se o pessoal andasse a dormir e não reparasse em cartazes a avisarem que terão de se amanhar para poderem ir trabalhar. Vai a malta a meio do IC19 quando ouve na rádio a dizer que a greve foi desconvocada, após uma reunião de 12 horas, greve que afinal não seria só dia 27 mas até 5 de Maio (sempre se apanhava o feriadito!). E agora? Quem me paga a gasolina que eu gastei? Quem me devolve um dia de passe que não usufrui? Quem me paga a porcaria do estacionamento que tive de arrotar?

Abril e Liberdade não foi só para alguns, meus palhaços! Tentem guiar a vossa vida não pelos vossos umbigos mas por outro tipo de ideias, ok? Como por exemplo A LIBERDADE DE UM INDIVÍDUO TERMINA QUANDO COMEÇA A DO OUTRO. Vão ver que não custa assim tanto e ajudaria a tornar este nosso País muito mais civilizado!


Um grande RAUF (revoltado) para todos!
26
Abr07

UM HOMEM GENIAL...

TC

E como a mim ninguém me cala, aqui vai mais uma BOMBA!!!

O PROFESSOR QUE SÓCRATES NÃO CONHECIA, NÃO CONHECEU NEM QUER OUVIR FALAR; A BEM DA NAÇÃO

CHAMA-SE ANTÓNIO JOSÉ MORAIS E É ENGENHEIRO A SÉRIO; DAQUELES RECONHECIDOS PELA ORDEM (não é uma espécie de Engenheiro, como diriam os Gatos Bem Cheirosos).

O António José Morais é primo em primeiro grau da Dr.ª Edite Estrela. É um transmontano tal como a prima que também é uma grande amiga do Eng. Sócrates. Também é amigo de outro transmontano, também licenciado pela INDEPENDENTE o DR. Armando Vara, antigo caixa da Caixa Geral de Depósitos e actualmente Administrador da Caixa Geral de Depósitos, grande amigo do Eng. Sócrates e da Dr.ª Edite Estrela.

O Eng. Morais trabalhou no prestigiado LNEC (Laboratório Nacional de Engenharia Civil), só que devido ao seu elevado empreendedorismo canalizava trabalhos destinados ao LNEC para uma empresa em que era parte interessada. Um dia foi convidado a sair pela infeliz conduta.

Trabalhou para outras empresas entre as quais a HIDROPROJECTO e pelas mesmas razões foi convidado a sair.

Nesta sua fase de consultor de reconhecido mérito trabalhou para a Câmara da Covilhã aonde vendeu serviços requisitados pelo técnico Eng. Sócrates.

Daí nasce uma amizade.

É desta amizade entre o Eng. da Covilhã e o Eng. Consultor que se dá a apresentação do Eng. Sócrates à Dr.ª Edite Estrela, proeminente deputada e dirigente do Partido Socialista.

E assim começa a fulgurante ascensão do Eng. Sócrates no Partido Socialista de Lisboa apadrinhada pela famosa Dr.ª Edite Estrela, ainda hoje um vulto extremamente influente no núcleo duro do líder socialista.

À ambição legítima do político Sócrates era importante acrescentar a licenciatura.

Assim o Eng. Morais, já professor do prestigiado ISEL (Instituto Superior de Engenharia de Lisboa) passa a contar naquela Universidade com um prestigiado aluno – José Sócrates Pinto de Sousa, bacharel.

O Eng. Morais demasiado envolvido noutros projectos faltava amiúdes vezes ás aulas e naturalmente foi convidado a sair daquela docência.

Homem de grande espírito de iniciativa, rapidamente se colocou na Universidade Independente.

Aí o seu amigo bacharel José Sócrates, imensamente absorvido na politica e na governação seguiu-o “porque era a escola mais perto do ISEL que encontrou “.

E assim se licenciou, tendo como professor da maioria das cadeiras (logo quatro) o desconhecido mas exigente Eng. Morais. E ultrapassando todas as dificuldades, conseguindo ser ao mesmo tempo Secretário de Estado e trabalhador estudante licencia-se e passa a ser Engenheiro, à revelia da maçadora Ordem dos Engenheiros, que segundo consta é quem diz quem é Engenheiro ou não, sobrepondo-se completamento ao Ministério que tutela o ensino superior.

(Essa também não é muito entendível; se é a Ordem que determina quem tem aptidão para ser Engenheiro devia ser a Ordem a aprovar os Cursos de Engenharia; La Palisse diria assim).

Eis que licenciado o governante há que retribuir o esforço do HIPER MEGA PROFESSOR, que com o sacrifício do seu próprio descanso deve ter dado aulas e orientado o aluno a horas fora de normal, já que a ocupação de Secretário de Estado é normalmente absorvente.

E ASSIM FOI:

O amigo Vara, também secretário da Administração Interna coloca o Eng. Morais como Director Geral no GEPI, um organismo daquele Ministério.

O Eng. Morais, um homem cheio de iniciativa, teve que ser demitido devido a adjudicações de obras não muito consonantes com a lei e outras trapalhadas na Fundação de Prevenção e Segurança fundada pelo Secretário de Estado Vara.

(Lembram-se que foi por causa dessa famigerada Fundação que o Eng. Guterres foi obrigado a demitir o já ministro Vara (pressões do Presidente Sampaio), o que levou ao corte de relações do DR. Vara com o DR. Sampaio – consta – se até que o Dr. Vara nutre pelo ex-Presidente um ódio de estimação.

O Eng. Guterres farto que estava do Partido Socialista (porque é um homem de bem, acima de qualquer suspeita, integro e patriota) aproveita a derrota nas autárquicas e dá uma bofetada de luva branca no Partido Socialista e manda – os todos para o desemprego.

Seguem-se o Dr. Durão Barroso e o Dr. Santana Lopes que não se distinguem em praticamente nada de positivo e assim volta o Partido Socialista comandado pelo Eng. Sócrates E GANHA AS ELEIÇÕES COM MAIORIA ABSOLUTA.

Eis que, amigo do seu amigo é, e vamos dar mais uma oportunidade ao Morais, que o tipo não é para brincadeiras.

E o Eng. Morais é nomeado Presidente do Instituto de Gestão Financeira do Ministério da Justiça.

O Eng. Morais, homem sensível e de coração grande, tomba de amores por uma cidadã brasileira que era empregada num restaurante no Centro Comercial Colombo.

E como a paixão obnubila a mente e trai a razão nomeia a “brasuca“ Directora de Logística dum organismo por ele tutelado a ganhar 1600 € por mês. Claro que ia dar chatice, porque as habilitações literárias (outra vez as malfadadas habilitações) da pequena começaram a ser questionadas pelo pessoal que por lá circulava.

Daí a ser publicado no “24 HORAS” foi um ápice.

E ASSIM lá foi o apaixonado Eng. Morais despedido outra vez.

TIREM AS VOSSAS CONCLUSÕES!!!

Recebido por e-mail por pessoa devidamente identificada
25
Abr07

Portugal ofereçe estádio à Palestina!

TC
O novo estádio da cidade de Al-Kahder, nos arredores de Belém, na Cisjordânia, cuja construção foi financiada por Portugal, através do Instituto Português de Cooperação para o Desenvolvimento, vai ser inaugurado na próxima segunda-feira. O recinto custou dois milhões de dólares, tem capacidade para seis mil espectadores, é certificado pela FIFA e dispõe de piso sintético e iluminação. A cerimónia de inauguração abrirá com uma marcha de escuteiros locais, conduzindo as bandeiras de Portugal e da Palestina, e a execução dos respectivos hinos nacionais. Segundo informações obtidas pela Agência Lusa, Portugal vai oferecer camisolas de Cristiano Ronaldo, Deco e Quaresma, que serão expostas numa sala do estádio Al-Khader. Os organizadores estão também a envidar esforços para a obtenção de mensagens vídeo de Luís Figo, Cristiano Ronaldo, José Mourinho e Luís Filipe Scolari, para serem difundidas durante a cerimónia.
Segundo o representante diplomático de Portugal, estas "seriam naturalmente, mensagens de apoio às esperanças e às alegrias bem conhecidas dos praticantes e adeptos do futebol e representariam mais uma forma de passar uma mensagem de paz à juventude palestiniana, na língua internacional, que é o desporto".Após a cerimónia inaugural, vai disputar-se um jogo entre a equipa local Al-Khader, reforçada com os melhores jogadores palestinianos, e a equipa Maccabi Akhi Natsrat (Nazareth), uma equipa da primeira divisão israelita, que integra jogadores árabes e judeus.Khalil Shahwan, director do Departamento de Juventude e Desportos de Belém, agradeceu, em entrevista publicada hoje pelo diário El-Quds, à "nação amiga portuguesa" pela sua importante contribuição, esperando que esta sirva de exemplo a outros países, para que ajudem o povo palestiniano a realizar as suas necessidades.
Não tenho nada contra a ajuda ao desenvolvimento, à cultura e desporto, que seja efectuada por quem pode.
Mas no caso português é uma aberração, "somos pobres com barriga de rico". Vêm estes senhores politiqueiros pedir apertos de cinto, para o nosso povo, sim porque o deles cada vez tem de ser mais alargado, falam em combate ao défice que é pago por todos menos os politiqueiros e esbanjam dinheiros públicos em ostentação de riqueza!
Um terço dos portugueses são muito pobres, e a classe média está de tanga... que país é este? Que Governos temos nós?
Vejam a conversa do Dr. Victor Constâncio
e pensem bem na moral que tem quem nos governa!
25
Abr07

Arqueólogos do futuro com vida difícil

TC
Passei há pouco por dois ex-libris de Cascais em adiantada fase de demolição – o Hotel Estoril-Sol e a Praça de Touros. Escrevo aqui a reflexão que essa observação me sugeriu por julgar de interesse para o Ludovicus, por me parecer ser, do pequeno grupo em que me movimento na blogosfera, o que mais se pode interessar por estas coisas em virtude da sua formação e profissão.

Devido à forma sistemática como estão a decorrer os trabalhos e demolição de que resulta um monte de areia e uma quantidade de ferro, concluo que os futuros arqueólogos não encontrarão ali o mínimo vestígio das obras que lá estiveram e que foram peças significativas da paisagem urbana durante muitas décadas. Os estudiosos que nos podem deleitar com relatórios sobre Conímbriga, Miróbriga, de antas, castros pré-históricos e tantos castelos de que sobram poucas pedras, ficam impossibilitados de se documentarem acerca da actual civilização. Tudo o que se constrói é rapidamente perecível e, quando se trata de demolir , nada se deixa para a história. Somos uma geração sem rasto.

Também nos arquivos documentais, poderá ocorrer facto semelhante. Hoje podemos ler manuscritos de vários séculos passados. Mas já temos dificuldade em ler aquilo que guardámos em disquetes, os CDs são substituídos por DVD e estes, dentro em pouco, após serem substituídos por sistemas mais modernos, também não terão máquina que os leia. Na música, os discos de gramofone, já não podem ser lidos, tal como os de 78 rotações e os de 33. Os leitores não são substituíveis quando se avariam. Na imagem, já não há rolos para máquinas fotográficas antiquadas, a máquinas de filmar de 16mm, 8mm e super oito já pertencem a museus e as de projectar saíram há muito dos mercados. Ter uma boa colecção de filmes, vai significar zero.

Parece que estou a exagerar, mas as dificuldades já são manifestas e, no futuro, tornam-se impossibilidades.

Gostava de ter um comentário do Ludovicus acerca deste tema que é da sua especialidade, ou pelo menos do seu agrado.
25
Abr07

25 de Abril de 2007

TC
Hoje é 25 de Abril de 2007.
Hoje é o dia em que comemoram 33 anos de liberdade em Portugal.
Hoje é o dia em que todos os que viveram o Salazarismo comemoram o seu direito de viver sem medo.
Hoje é o dia da Revolução dos Cravos!

Eu nasci em 75.

Adoro poder escrever neste e noutros blogs sem ser preso.
Adoro poder manifestar o meu descontentamento para com os outros sem que seja amordaçado.
Adoro poder passear com as minhas filhas e saber que também elas poderão usufruir de liberdade de expressão.

Liberdade!!! Graças aos que tiveram a coragem de se revoltar, nós temos esse direito. Obrigado.
Mas que liberdade tem o povo Português? Eu respondo com a minha modesta opinião: tem a liberdade que merece!
Todos os dias ouvimos as queixas de toda a gente. É sobre o Sistema Nacional de Saúde com o encerramento de maternidades, urgências e maus cuidados. É sobre os salários precários e a falta de apoio aos desfavorecidos. É sobre os rendimentos mínimos dados aos que não podem nem querem trabalhar. É sobre os impostos sobre impostos sobre impostos, sem que se veja um aproveitamento desse dinheiro para dar qualidade de vida ao povo. É sobre a falta de justiça onde os nossos tribunais não são mais do que meros armazéns de processos e onde fica a sensação que convém que seja assim. É na Educação dos nossos filhos, onde os professores são desrespeitados sem que haja regras instituidas que obriguem os vândalos a serem cordeiros. E mais... e mais...
Eu não compreendo se é esta a liberdade que o povo quer. É?
Eu não quero esta liberdade.
Eu quero um governo que governe o país para favorecer o povo e não os seus bolsos. Que sirva o país e não se sirva dele.
Mas quem? Não vejo luz ao fundo do túnel. São uns piores do que os outros (políticos). Mas são todos muito maus. Gatunos, corruptos, sacanas, ladrões, mentirosos, aldrabões, burlões, incompetentes, burros, nojentos, cabrões...
HHHHHHHHHHHAAAAAAAAAAAAAAA LIBERDADE!
25
Abr07

Câmara de S. Comba Dão permite concentração

TC
Salazar: Câmara Sta Comba Dão permite concentração nacionalista

A Câmara de Santa Comba Dão anunciou esta terça-feira que não vai impedir a realização de uma concentração comunicada à autarquia por um movimento nacionalista para sábado, 28 de Abril, data do nascimento de Oliveira Salazar.

A concentração, agendada para as 14:00, e anunciada pelo Movimento Nacionalista Terra Identidade e Resistência (MNTIR), tem como pressuposto a defesa da criação do «Museu Salazar», que a autarquia pretende criar no Vimieiro, na casa onde nasceu o ditador a 28 de Abril de 1889.

O vice-presidente da câmara de Santa Comba Dão, António José Correia, justifica, em comunicado hoje emitido, a decisão da autarquia de não proibir a iniciativa do MNTIR com o facto de não bastar a «prognose da violência, por parte da autoridade competente, para legitimar a ordem de proibição».

Para ler mais clique aqui

Pág. 1/7

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

TACHOS E CUNHAS

PETIÇÕES

Arquivo

  1. 2010
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2009
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2008
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2007
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2006
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D