...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...
subscrever feeds
tags

todas as tags

31
Mar
10


Imagem do KAOS

Quando o país está parado, enveredamos pelas efemérides.
Costumamos ter a memória curta e as costas largas.
Mais coisa, menos coisa, há uns 3 anos, o Sr. José Sócrates, só deus saberá como, detentor de umas cadeiritas do Curso de Engenharia Civil, que lhe davam, e dão, uma habilitação abacharelada, acordava para um dos primeiros sustos da sua vida.

Já não me lembro se a coisa começou na Blogosfera, se foi nos Jornais, mas foi gloriosa: começaram por chover pautas incongruentes, faxes que não se percebiam se eram contemporâneos das notas, se dos pedidos das mesmas, via fax, motoristas do Estado, que ficavam à porta, enquanto o Sr. Sócrates fazia de aluno, e nós pagávamos (?) as horas extraordinárias do motorista,  promessas de declarações bombásticas, trafulhices de toda a casta, e um processo posto a um investigador da Blogosfera, que se tinha esticado demasiado, para a falta de cultura democrática e má consciência do gajo que governava Portugal.
Descobriu-se que se podiam fechar universidades, sempre que pudessem manchar os percursos manchados que os políticos nelas tinham feito, e assim se fez, e deus viu que era bom.

Desde então, as coisas mudaram, se possível, para muito pior. Descobrimos, escandalizados, que havia uma gaja, cheia de pinturas, que branqueava, a partir da sede da Justiça; que a História aceitava ser reescrita, e nós tínhamos de engoli-la; que havia notícias e não-notícias, sendo que as segundas prevaleciam sobre as primeiras, quando convenientes, e, mais coisa menos coisa, o tipo perdeu, depois, a maioria absoluta, percebeu-se que estava no centro de tudo o que era negócio obscuro, e de que havia um Partido refém de uma figura, que seria inaceitável em qualquer sociedade do Primeiro Mundo, exceto naquelas que, como a nossa, se tinham berlusconizado. Acontece que, quando penso em Berlusconi, penso, é claro, num gajo nojento, metido com a Mafia, a viver alegremente entre putas e travestis, mas tudo isso com palácios renascentistas, como pano de fundo, a velha luz de Roma a banhar o todo, e "malgré tout", um bom gosto de milénios, capaz de suportar um palhaço daquela estirpe. 
Nós, infelizmente, nunca conseguimos ir muito além das casinhas de azulejo do emigrante, das Casas da Música, das rimas do Saramago e das Capelinhas das Aparições, de maneira que ter um vigarista a encenar o rei vai nu num cenário destes é infinitamente mais deprimente do que tudo o que queiramos imaginar, mas isto sou eu a pensar alto, que sempre fui Europeu e Civilizado, e que nem nunca quis acreditar que essas coisas fossem possíveis, embora me passassem diariamente debaixo dos olhos. Excesso de Trianons, como diz um amigo meu, aliás, excesso de... Belvedères :-)

Depois disto, ainda houve Lurdes Rodrigues, a tal que enviava os professores para morrer nas escolas -- creio que nos países com leis, se chama a isso homicídio involuntário, mas cá dá-se-lhe o nome de Fundação Champalimaud... -- os presépios da Maria de Centro Esquerda, a Igreja, toda, confundida com uma "Casa dos Érres", os "Freeports", e Comissões de Ética onde pontificavam pessoas sem ética, suponho que, para que, pelo princípio da dupla negação, estando na Comissão de Ética pessoas sem ética, os casos de falta de ética que por lá passassem se tornassem imediatamente éticos, por serem analisados por desprovidos de Ética. Não, esta não foi uma indireta para a Inês de Medeiros: são só as vossas cabecitas malignas a congeminar. :-)

Não sei se vale a pena acrescentar mais alguma coisa. Esta era apenas uma celebração do Tempo Pascal: o Cordeiro de Vilar de Maçada está em plena forma, e é insubstituível. Ninguém lhe dá com uma miniatura do Idolatrário de Fátima nas fuças, como em Itália, porque o Povo é amorfo, sereno e sonso, e, no fundo, até gostaria de ter feito as mesmas coisitas que o Sr. Sócrates fez.

Está no seu direito, e eu, no meu, de achar que vivo numa pura esterqueira a céu aberto.

(Quadrado pascal, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino", e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:16
30
Mar
10
Dizem que a justiça não funciona, mas não é verdade.
O chefe máximo da policia foi há dias liberto, depois de ter cumprido 15 anos de prisão efectiva.
Um politico indiciado pelos crimes de corrupção teve como medidas preventivas uma caução de 3 milhões de €uros a apresentar no prazo de 72 horas, entrega do passaporte proibição de se deslocar para fora do país e apresentação quinzenal na policia.
Segundo o noticiciário , pelo código penal sujeita-se a uma pena de 68 anos de prisão, com o cumprimento de 24anos de pena efectiva.
Não acreditam ? é verdade, mas isto é em Espanha claro, e a segunda noticia refere-se ao presidente das ilhas Baleares e militante do PP espanhol.
Este caso começou a ser investigado em 2008 e está prestes a ser concluído.
http://www.elmundo.es/elmundo/2010/03/23/baleares/1269345487.html
Por cá avisam-se as pessoas que vão ser chamadas a declarar para poderem fugir e destruir provas, fazem-se leis para beneficiar os infractores, existem leis para obrigar um comerciante a pagar mais do que declarou.
São precisas leis para condenar e fazer pagar os crimes chamados de "colarinho branco" e pasme-se aprovaram ou queriam aprovar uma lei em que o autor do enriquecimento ilícito (ou seja por meios ilegais) ficava com 40% e o estado com 60%.
Por este estado de coisas qualquer assaltante de um banco tem o direito de exigir ficar com 40% do roubo.
Por falar em justiça, falta muito para que o processo "CASA PIA" e outros, prescrevam e sejam arquivados ??
Corrupção há em todo o mundo, justiça é que não.
publicado por TC às 20:12

Terceiro valor mais elevado da Europa

Maioria dos portugueses nunca praticou desporto

Mais de metade dos portugueses, 55 por cento, não praticam qualquer desporto, nem sequer raramente, o que representa o terceiro valor mais elevado da União Europeia, revela um estudo esta segunda-feira divulgado em Bruxelas pela Comissão Europeia.

O "eurobarómetro sobre desporto e actividade física", citado pela agência Lusa, revela que, em média, 9 por cento dos europeus praticam desporto "regularmente", 31 por cento "com alguma regularidade", 21 por cento "raramente" e 39 por cento "nunca", sendo que neste último caso Portugal apresenta um valor muito acima da média comunitária.

Em Portugal, 9 por cento dos inquiridos afirmaram que praticam desporto ou exercitam-se regularmente (pelo menos cinco vezes por semana) - neste caso em linha com a média europeia -, 24 por cento ao menos uma vez por semana, 11 por cento raramente, mas a maioria, 55 por cento, admitiram que "nunca" fazem desporto.

Entre os 27, só se encontram percentagens mais elevadas de cidadãos que nunca praticam qualquer desporto na Grécia (67 por cento) e na Bulgária (58), e valor idêntico ao de Portugal em Itália (55 por cento).

Questionados sobre as razões que impedem uma prática de desporto mais regular, a maioria dos portugueses, 37 por cento, apontam que não têm tempo, sendo o segundo motivo específico mais invocado (por 13 por cento, atrás dos 17 por cento que "não sabem") o facto de ser "demasiado caro", uma justificação dada apenas por cinco por cento dos europeus, em média.

In Correio da Manhã

COMENTÁRIO: Continuem a tratar a disciplina de Educação Física como uma "coisa" menor e depois gastem mais em saúde!!!
publicado por TC às 11:45

«As nossas vidas começam a morrer no dia em que calamos coisas que são verdadeiramente importantes»

Martin Luther King

publicado por TC às 11:17
29
Mar
10
Durante o decorrer das eleições para chefe do bando de associação de criminosos conhecido como PSD, fomos assaltados pelas reportagens e pelos discursos paranóicos de ladrões à conquista dum grande tacho. Em Portugal, continua a crer-se que democracia é permitir aos corruptos que vendam a sua banha da cobra e se aproveitem de todas as ocasiões para fazer campanha política, seja sob que disfarce seja.

Não foi um caso isolado, é o costume com a mesma propaganda nojenta de todas as máfias oligárquicas políticas. Sob a bandeira das suas eleições, as alusões dos candidatos ao seu acto eleitoral limitou-se a pequenas, curtas e isoladas referências. O fundo expandido dos seus discursos baseou-se apenas em propaganda política de ataque a outros partidos, sem qualquer ligação com o evento. Aproveitaram a ocasião que lhes foi oferecida sobre uma bandeja pela jornaleirada imunda para pura propaganda partidária.

Que interesse tem para o país tal diarreia verbosa de banha da cobra e de marketing corrupto, impregnado de falsidades, da parte dessa canalha? Ninguém vai tampouco votar, senão os mafiosos. Portanto, nada do que fazem não tem o mínimo interesse por o povo permanecer completamente à parte do acontecimento.

Os sabichões e crentes mentecaptos que digam em que país democrático se passa semelhante palhaçada e abuso permitido aos políticos e aos jornaleiros? Em que país as eleições internas dos partidos ocupam a maior parte dos noticiários nacionais televisivos, já de si maiores que os de todos os outros países, para nos impingirem o seu excremento? Jornaleirada que em lugar de nos dar notícias, fabrica-as, fazendo tão frequentemente montagens para os telespectadores dementes. Dementes porque as aceitam e estúpidos por pensarem ser democracia. Em que país democrático se ouvem os políticos vender a sua trampa corrupta em todos os noticiários? Em que país democrático lhes é dado tanto tempo de antena?

Os jornaleiros insultam-nos com este procedimento e outros do género. Fabricam notícias e escondem o importante. Porque o importante para um povo que vive enganado é precisamente mostrar-lhe a realidade. Este procedimento, nas circunstâncias vigentes, é literalmente classificável como malvadez. Têm assim contribuído para os piores males nacionais: desinformação, dissimulação dos procedimentos condenáveis dos políticos. Consequentemente, têm engendrado a ignorância a nível nacional. Será, então, apenas malvadez ou algo bem pior e inqualificável?

O que se passa em Portugal – neste aspecto como em tantos outros – simplesmente não existe em nenhum país democrático. Contudo, ainda há embrutecidos que imaginam viver numa democracia. É impossível crer em tais balelas sem que se seja de verdade profundamente ignorante e atrasado. Nem se vê como são feitas as leis que permitem privilégios anti-democráticos, que garantem impunidade e irresponsabilidade face ao roubo e a decisões que desgraçam o país? Que dão direito às quadrilhas de se apoderarem do nosso dinheiro. Democracia? Onde? Aqui não, parvalhões atrasados que têm sido gozados através de décadas.

Este e outros artigos publicados nos blogs do autor.


publicado por TC às 19:00
Fala-se hoje em democracia como sendo o governo para o povo e com o povo, mas a prática mostra decisões autocráticas contra o povo sem consideração por este. Há cinco anos, foram prometidas reformas na Justiça, na Educação, na Saúde, na administração pública, o que criou esperanças num Portugal melhor porque eram desejadas reformas profundas desde havia vários anos.

Porém, as esperanças foram goradas porque, em cada um desses sectores, o que se decidiu nos gabinetes foi uma guerra aberta contra os servidores do Estado que deviam ser parte activa na concretização das reformas. Deviam ter sido ouvidos e convencidos a colaborar nas soluções melhores para os beneficiários de tais serviços públicos. E esses servidores saberiam o que mais interessava mudar.

Já em 1933, a Constituição da República dizia que «a soberania reside em a Nação». Mas tal foi esquecido e nem o 25 de Abril veio esclarecer os governantes de que governar é uma actividade para o povo, com o povo e nunca contra o povo que é soberano. «O povo é quem mais ordena» dizia-se na canção.

Mas os políticos são duros de ouvido e não compreendem as verdades sublimes nem que sejam ditas a cantar! Isso fica bem evidente no que se passa em Valença, onde o «povo manifestou-se contra anunciado fecho da Urgência». Com efeito, segundo a notícia, «mais de uma centena de pessoas exigiu, ontem, sexta-feira, em Valença, o funcionamento, durante 24 horas por dia, das Urgências do centro de saúde local. Comissão de utentes promete endurecer formas de luta caso a tutela "insista em não atender à pretensão de Valença".

Será que o governo vai mandar os doentes a TUI, na Galiza, tal como fez às parturientes alentejanas ir dar à luz em BADAJOZ? Para que é que os portugueses pagam impostos, se têm de recorrer ao País vizinho?

Faz bem o povo em se manifestar, porque os políticos têm interesses pessoais e partidários a defender e só alteram as suas decisões caprichosas se forem pressionados e tal tem sido visto, no âmbito da saúde, em vários pontos do País. O Povo soberano tem que acordar e manifestar o seu mal-estar e reclamar as medidas adequadas para termos um Portugal melhor. Os governantes precisam de aprender a Pensar antes de decidir.

Entretanto, chegaram notícias mais recentes:

Há realmente que gerir da forma mais rentável os recursos existentes. Mas não se pode esquecer o apoio a casos verdadeiramente urgentes. Convém prever e tornar eficaz tal apoio.

O INEM está em condições para realizar essa tarefa? Os responsáveis nunca devem esquecer que o SNS foi criado, em boa hora, para apoiar as pessoas com problemas de saúde. Tal objectivo não pode ser descurado, embora deva ser atingido por forma mais económica mas sem perder eficácia.
publicado por TC às 10:02
26
Mar
10

Santa Maria: indemnização de 32 mil euros por cegueira

COMENTÁRIO: O 1º Ministro, o Presidente da República, os Líderes da Oposição, o Bastonário da Ordem dos Médicos, o Bastonário da Ordem dos Advogados, os Juízes.............
.......deviam todos enterrar a cabeça em MERDA....................com vergonha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
QUE VERGONHA!!!!!!!!!!
Não há neste país um advogado (dos conceituados) honesto que leve esta causa (pro bono) ao Tribunal Europeu para fazer estes senhores terem VERGONHA NA CARA?
Onde está a vontade de lutar pela justiça dos Judices, dos Sá Fernandes,......???

Estes Srs. sabem quanto custa treinar um cão guia?
Estes Srs. sabem quanto custará transformar uma casa para um cego?
Estes Srs. sabem quanto tempo duram 32.000€ a um cego que tenha emprego?
E a um que não tenha?

Quanto vale a possibilidade de poder ver o mar?
E o luar?
E os filhos?
E os netos?

PUTA QUE OS PARIU!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Não está em causa estes novos cego quererem ou não mais dinheiro. DEVIAM RECEBER muito mais e um grande pedido de desculpa da Ministra da Saúde e dos (des)governantes, dos gestores hospitalares, dos chefes de serviço...
UM GRANDE PEDIDO DE PERDÃO.

Quem faz parte dessa Comissão que decidiu esses valores ridículos?
Quanto ganham?
Ganharam horas extras para reunir? Quanto?

32.000 : 12 meses = 2666€ até nem era um mau ordenado mensal num ano.
E depois?

32.000 : 36 meses = 888€ com uma casa para sustentar já está limitado...

32.000 : 60 meses = 533€ .........................dá para sobreviver...

O que mereciam estas pessoas cegadas pela incompetência/negligência do nosso SNS?

Para mim mereciam poder viver o resto das suas vidas como quisessem!
Ao sol no Hawaii ou no descanso da paz de sua nova mansão! Como quisessem!
Se quisessem dar a fortuna recebida à família, a instituições de solidariedade, aos sem abrigo....
Faziam como quisessem!!!
Ganharam o direito de receber ALGO que muitos cabrões (políticos/gestores) não merecem e recebem. Porque são ELES que decidem!!!

Que País miserável!

Os cegos somos todos nós que continuamos a permitir que haja estas injustiças...

...
publicado por TC às 20:28

O tipo de coisa que me leva a pensar que o sistema enlouqueceu! Assim nos ensinam a não resistir aos criminosos, a não reagir, a sucumbir à intimidação e à opressão!

Um militar da GNR acusado de ter morto a tiro um jovem (ladrão) de 18 anos em 2006 foi hoje condenado a 16 anos de prisão pelo Tribunal de Loures.

Vamos assinar a pedir a libertação deste Homem.

Clicar aqui, ou aceder a este site
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N311

para assinar a petição antes analise o que conteceu....

Um soldado da GNR de Loures matou um rapaz de 18 anos - Pedro Vasconcelos, conhecido por 'Cavalo' - e baleou na perna uma rapariga de 19 - Romina Santos - quando tentava defender-se de uma alegada tentativa de assalto. O grupo de seis elementos cercou o militar perto do recinto das festas do concelho, durante um festival gastronómico de caracóis. Os disparos terão sido feitos em legítima defesa, mas não impediram que, depois, o GNR fosse esfaqueado e espancado, até ficar inconsciente, pelos amigos da vítima mortal. O soldado está internado sob detenção para ser interrogado.
Pelas 02h30 de ontem o militar, de 25 anos, e a gozar uma folga, abandonou o recinto de um concerto, junto ao Pavilhão Paz e Amizade. Ao dirigir-se para o carro estacionado perto da rotunda da Mealhada, o soldado foi abordado por cinco homens e uma mulher - cinco deles negros e um branco.
Segundo uma fonte policial, um dos rapazes exigiu ao militar o fio de ouro que ele trazia ao pescoço, e, perante uma nega, começou a agredi-lo de imediato, com uma série de murros e pontapés.
Na tentativa de se defender, o soldado mostrou a sua identificação da GNR, mas nem assim as agressões cessaram. O militar sacou da arma pessoal, um revólver calibre .38, e disparou "dois tiros de intimidação", adiantou fonte da GNR.
Um dos disparos atingiu no peito Pedro Vasconcelos, que caiu inanimado. O segundo tiro atingiu numa das pernas Romina Santos, a única mulher do grupo. A reacção do militar valeu-lhe uma facada na perna, desferida por outro assaltante.
"Agrediram-no com muita violência. Partiram-lhe os dentes da frente e se entretanto não chegasse um agente da PSP que patrulhava a zona, e conseguiu espantar os jovens, ele tinha sido morto", adiantou a mesma fonte.
De imediato a PSP reforçou o patrulhamento na zona, preservando as provas até à chegada de uma brigada da Secção de Homicídios da Polícia Judiciária, que tomou conta da investigação. Ao início da noite de ontem, os quatro fugitivos ainda não tinham sido detidos.
O soldado ficou inconsciente e foi levado para o Hospital Militar da Estrela, e posteriormente para o Centro Clínico da GNR.Durante o dia de ontem, de acordo com fonte policial, ainda conseguiu dizer algumas palavras do ocorrido. Mantém-se internado sob detenção para interrogatório pela Judiciária.
Já o rapaz e a rapariga baleados foram transportados pelos Bombeiros de Loures para o Hospital de Santa Maria. O CM apurou que Pedro Vasconcelos, atingido no peito, morreu pouco depois de ter entrado no hospital.
Já Romina Santos, baleada numa perna, permanecia ontem internada naquela unidade hospitalar mas fora de perigo.

RELATÓRIO JÁ ESTÁ NA IGAI
O Comando-Geral da GNR enviou ontem para a Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) um relatório com os factos ocorridos na madrugada de ontem junto ao Pavilhão Paz e Amizade, em Loures. Apesar de o soldado assaltado se encontrar fora de serviço quando foi abordado por um grupo de assaltantes, o facto de ter disparado uma arma - mesmo que a pessoal - leva à abertura, de imediato, de um processo interno para averiguar o caso, disse uma fonte da Guarda ao CM.
O soldado, na GNR desde 2003, já tinha passado pelo Regimento de Infantaria mas, há cerca de dois anos, foi colocado ao serviço do Destacamento da GNR de Loures. Os dois disparos "de intimidação" que efectuou foram feitos com a sua arma pessoal, uma Magnum .38 - apenas permitida como arma pessoal a elementos das forças de segurança, explicou ao CM outra fonte policial. Só a resposta do IGAI vai permitir saber se a forma de actuação do militar poderá resultar num processo disciplinar dentro da GNR.
(...)
publicado por TC às 20:21


Imagem do KAOS

Hoje, não viria escrever este texto, se não tivesse sido enganado, e se não tivesse, à minha maneira, visto o solzinho a dançar.
Acontece que hoje perdi quase duas horas das minhas atarefadas vidas a ver uma das maiores porcarias que a máquina de intoxicação cinematográfica ultimamente se dignou produzir, "Estado de Guerra", uma coisa de baixo orçamento e mensagem ainda mais de rodapé que a trituradora anglosaxónica resolveu premiar, em toda a linha, e esplendor.

Antigamente, e quando digo "antigamente" estou a falar no pré obamismo, toda a gente sabia que havia conteúdos subliminares, e que nada era inocente, nem gratuito.
Com o advento da Era do Caneco, as coisas passaram a ser explícitas, e do género, "ou engoles, ou levas".

"2012", uma das maiores pessegadas da Era Vulgar já se tinha dado ao luxo de oscilar entre o Imoral e o Amoral, conseguindo pôr as plateias a vibrar com a salvação dos muito ricos, e a desejar que se salvasse a fina nata do lixo mundial, ou seja, os caniches do Extermínio Global.

Quando rodarem "2012 - II", estou curioso para saber como será um Mundo onde os sobreviventes se chamavam Sócrates, Berlusconis, Sarkozys, Bin Ladens e semelhantes, a viverem numa Nova África, cheia de recursos e exterminada de pretos. Deve ser maravilhoso, e vou-me enrolar num cobertor, à porta do cinema, para ser o primeiro a comprar o bilhete.

"Estado de Guerra" usa recursos estafadíssimos, desde génios, como Riefenstahl e Eisenstein, o grande plano, a câmara ofegante, o escorço da perpetiva cinematográfica, o lavrar da pele, e o claro delimitar dos bons e dos maus. Fica por desencriptar se os marines, à noite, se comiam mesmo entre eles, no meio do álcool, e se as relações dos magalas com os autóctones metiam, ou não, pedofilia, coisa que esta muito na moda.
No fim, entre a amoralidade reinante, prova-se que a Guerra é boa, contra uns primitivos, que inventaram a Escrita, a Matemática, a Astronomia e a Lei, e que degeneraram agora em fabricantes de bombas, para matarem os hamburgueres ambulantes, do Wisconsin e do Dakota, que até tinham famílias e coisas parecida, e..., ah, sim..., sentimentos, que são propriedade exclusiva dos súbditos de Sua Majestade Obama, o novo Bokassa do séc. XXI.
No fim, a Guerra é tão boa, que há quem grite "bis", e volte para lá, conselho que não se via explícito, desde os filmes de propaganda, feitos para atrasados mentais, em meados do séc. XX.

Para quem adorou o filme, aconselho-o a que visite os estúdios AQUI, onde a Realidade reina, e o prazer é ainda mais prolongado, sem efeitos especiais, e também de baixo orçamento.

Isto, todavia, foi só a gota de água, até porque sou insuspeito, e acho muito bem que os cavalheiros que lá tinham posto o Saddam o fossem apear, à custa do que quiserem, até dos mortos todos, e mutilados que conseguirem, para não se esquecerem, mas não contem comigo, porque acho que todos as tempestades colhidas mais não serão do que fruto dos ventos semeados, e eu sou totalmente alheio a essa novela.
Assim como Sarkozy, uma das faces da obscenidade mundial, ganhou, a descer os Champs Elysées, montado num cavalo branco, também deviam pôr a maior fraude do início do séc. XXI, Barack Hussein Obama, montado num camelo, nas frentes de batalha de Bagdad, com o Prémio Nobel da Paz na ponta de um pauzinho, a dissuadir homens bomba de explodir.

Saddam Hussein foi apeado porque cometeu o erro fatal da sua existência de canalha infrahumano: queria pôr o cartel do Petróleo a negociar em Euros, e não em Dólares, e isso custou-lhe a cabeça, aliás, custou-lhe um vergonhoso ato de impiedade do Ocidente, que foi enforcá-lo da forma obscena que todos vimos. Era um sinal dos tempos, a dizer-nos que, a partir de ali, íamos ver só pior, e cumpriu-se a profecia.

O problema do Euro é um problema fulcral, e anda a pairar, sem que o queiramos, no nosso dia a dia.
A mim, pessoalmente, frequentador das excentricidades do Ebay, dá-me imensíssimo jeito que o Euro esteja a valer quase 1 Dólar e meio, mas há quem deteste isso, aliás, há quem deteste o próprio Euro, e a Europa toda, uma Superpotência civilizada e com raízes históricas, ao contrário do Continente dos McDonald's e das pretas com 250 quilos, leitoras de versículos protestantes e fazedoras de abortos semanais, nas vielas de New Orleans. Yes, they can, e vêm hoje por aí fora, mas estilo Átila, porque a América, mais as suas vizinhanças saxónicas, agora que se livraram do mito do Homem Branco, criminoso, que usava a superpotência, para escravizar o Mundo, e têm agora a ficção, do SuperHomem Caneco, que, ideologicamente, se permite continuar a fazer o mesmo, mas já sem a possibilidade de ser atacado, essa América declarou guerra subterrânea à Europa, ao Euro, e à Matriz Cristã que a tornou sólida.

Mais uma vez, me escudo no ser insuspeito: sou pagão, nada tenho a ver com a Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, exceto naquilo que nela me fascina, tudo o que produziu de Artes, Esplendores e Devassidão, ao longo de 2000 anos, mas acho estranho que, subitamente, se conote a instituição com a Pedofilia. Pedofilia sempre houve por todo o lado, desde a Presidência da Assembleia da República de certos países duvidosos, às câmaras de subúrbio, e é estranho que pareça, subitamente, só ter florescido nos terrenos do Vaticano.

A explicação não é imediata, mas é elementar: quem está a minar a Zona Euro, levantando barreiras "morais", onde apenas há corrupção de sul do Continente, e falamos da Grécia, que se deu ao luxo de não fazer autoestradas, mas de refazer as suas velhas estradas, ao custo de... autoestradas, coisa a que nem o criminoso de delito comum, Cavaco Silva, se atreveu, já que poupava só na camada de desgaste, para que enriquecessem os ferreiras do amaral e os miras amarais desses tempos, a Grécia, dizia eu, para além daquela indignação de superfície, em que todos nós embarcámos agora, é o teste à coesão da Zona Euro, ou seja, o calcanhar de Aquiles de quem quer destruir a moeda mais forte do que o Dólar, do Caneco Obama, de quem quer abater a Unidade Europeia, que pode ser um perigo para Os Estados Maçónicos Unidos da América, e, finalmente, a sua própria matriz espiritual e religião, a ICAR, centrada no Vaticano, nas mãos de um Papa intelectual, fraco, cobarde e ambicioso, que pisoteou tudo e todos, para chegar ao Trono de Pedro, e está agora a comer o pão que o Diabo (ele) amassou.

Os senhores Protestantes que se desenganem, mais as suas seitas cientológicas, ou apocalípticas, como aquele antro onde Obama foi inoculado com as ideias de um pregador racista e inculto.
Nós, Europa, temos mais Cultura e História do que essa América inteira de bombas de gasolina, e não temos culpa nenhuma de que ela tenha entrado na rota da Decadência. Entretenham-se com chatear os Chineses e os Russos, mas, com esses, o Caneco Obama, e a sua sopeira, Clinton, borram-se de medo, e preferem vir chatear as condessas parisienses, os civilizados suíços e os nefelibatas monegascos.

Num breve resumo, a pretexto de Grécias e de Pedofilias Eclesiásticas, um qualquer canalha, Senhor do Mundo, um rafeiro bilderberger, deu recentemente ordem de abate à mais velha herança de São Bento, monge do séc. V, e nosso patriarca continental.
Há 60 anos, os Bárbaros Americanos bombardearam o núcleo de Montecassino, para ver se irradicavam a nossa raiz de memória profunda, assim como a Contra-Reforma era destruída na noite mais negra de Dresden, capital desse Barroco que os Protestantes odiavam, e eu tanto estimo.

Não se espante com este texto: ninguém, mais do que eu, execra o décimo sexto Bento, acha miserável a pedofilia, e pensa que, se eles, de facto, detestam mulheres, não se escudem na violação de crianças.
Também eu odeio a Corrupção, mas isso não permite que se extermine o Euro, para o Porco Americano e Inglês vir estender o seu manto de interesses num Continente devastado.
Caro leitor, pense duas vezes, antes de aplaudir este crescente descalabro com que está a ser intoxicado. O seu custo tem um nome, e esse nome é a nossa mais rica e imemorial herança: chama-se EUROPA, uma grandeza que todos temos em comum e que provoca a maior inveja nessas legiões de bárbaros comedores de bifes triturados.

(Quatro trombetas de alerta, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino"  e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:35
25
Mar
10

</p>








(Quatro cânticos de Liberdade, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")


publicado por TC às 02:17
24
Mar
10
Dei ontem uma entrevista para a Deutsche Welle Rádio em Português. A comunidade Portuguesa na Alemanha é muito vasta e estão sempre atentos ao que se passa no nosso país.

A entrevista foi obviamente sobre a nomeação deste blog para os prémios BOBs (Best of Blogs)...
THE BOBs

Por volta do minuto 19:45 começa...

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,5383535,00.html


Não se esqueçam de votar no único blog Português em competição entre mais de 17.000
THE BOBs
Obrigado para os que já votaram
publicado por TC às 19:28
publicado por TC às 17:09
23
Mar
10
Cliquem na imagem para aumentar
Ora aqui está um estudo sério, de borla (!!!), sobre algumas situações que deveriam ser alteradas para melhorar a qualidade do ensino.
Não foi necessário oferecer tachos a vários boys para formarem uma daquelas comissões que no final não dão frutos nenhuns...
Só foi necessário um PROFESSOR empenhado e os colegas que frequentam e participam no seu blog
De borla!!!
Isto sim seriam medidas produtivas.
Mas esqueçam.....................................pois como não saiu das cabeças iluminadas dos poderosos nunca será realidade..............e quem paga são sempre os mesmos..................os nossos filhos e os filhos deles no futuro...............................e todos nós que continuamos a ser um povo cordeiro e ignorante.

Bem haja Paulo Guinote
publicado por TC às 00:11
20
Mar
10
Enviado por um amigo do Democracia em Portugal:

CRIANÇAS-SOLDADOS

Centro Comercial Odivelas Park: Loja do Cidadão. Há horas que me encontro sentado defronte do balcão de atendimento da Segurança Social. São meia-dúzia de cadeiras de plástico, desconfortáveis, e estou ladeado por três pessoas do lado esquerdo e duas do lado direito. A nossa concentração está centrada no painel digital que de tempos a tempos lá avança mais um número.
Passam centenas de pessoas agitadas e irritadas à nossa frente, num permanente vai-vem, da esquerda para a direita e vice-versa.
À minha frente pára uma senhora com uma criança, um menino, na expectativa de que alguma alma caridosa lhes ofereça o lugar, mas todos fingem ignorar a sua presença. “- Bom – pensei – vou levantar-me eu e disponibilizar a minha cadeira de plástico à senhora para que se possa sentar com aquela criança com uma idade próxima dos cinco anitos”. Acto contínuo, aquela pequenita, frágil e inocente criaturazita passa um olhar de soslaio mas carregado dum ódio de fingimento (?) para as pessoas que estão sentadas, adopta com severidade uma posição de combate e, com os bracitos imitando o segurar duma metralhadora, varre com a sua mente carregada de imagens de jogos de guerra numa imaginária rajada, da esquerda para a direita, todos os que se encontram sentados, fazendo com a boquita uma simulação ruidosa: tra-tá-tá-tá-tá-tá-tá... (fim do texto)

Hoje, como o amigo Tiago sabe, uma figura de referência para a juventude - o Luís Figo - ignorou os representantes da Comunicação Social portuguesa.
Hoje, na Assembleia da República, um Secretário de Estado teve uma atitude bastante irresponsável e irreverente para com aquela Câmara.
Hoje, também na Assembleia da República, o ex-ministro e deputado José Lello, proporcionou uma péssima e degradante atitude perante aquele órgão de soberania.
Estes acontecimentos foram e serão durante os próximos dias transmitidos recorrentemente na televisão, que, como é sabido, são vistos por milhares de pessoas: pais, educadores e sobretudo alunos.
Hoje, publicitou-se com persistência o slogan: "Vamos Limpar Portugal".

Não sou sociólogo nem psicólogo, embora tenha convivido com eles. Porém, não me encontro em condições psicológicas para elaborar uma opinião mais apurada sobre o assunto, motivo pelo qual não escrevo nos meus blogues há algum tempo.
Perdoe o atrevimento mas não podia deixar de desabafar consigo sobre este tema, aflorando-o apenas, convicto de que o amigo Tiago, se achar por bem, o possa aproveitar.
Continuarei a seguir o blogue Democracia em Portugal, com uma posição de independente, pois não tenho ligação nem simpatia por nenhum partido. 

Apenas como curiosidade estou a confidenciar-lhe que vivi e convivi, enquanto adolescente, com um indivíduo que se tornou uma referência cultural para mim e que me poderia proporcionar, à semelhança do que aconteceu com três colegas de trabalho, uma carreira política. 
Ajudei, nos anos 70, a implantar neste país o Partido Socialista mas jamais aceitei submissões. Porém, e embora viva com uma Pensão de Reforma de 500 euros, eu, que iniciei a carreira contributiva aos 12 anos de idade e tenha descontado durante 40 anos e servido a Pátria na inglória Guerra Colonial em Angola, pois fui militar de 1970 a 1973 e passei três Natais longe dos entes mais queridos. 
Se me arrependo? Não! Voltaria a proceder de igual modo. Ah, o meu tio, casado com a irmã mais nova da minha saudosa mãe, chamava-se Francisco Marcelo Curto. Com respeito à sua Alma continuo a censurá-lo enquanto Ministro do Trabalho pois na casa dos meus pais, enquanto estudante, defendia que se um dia fosse governante acabava com o Casino Estoril, transformando-o numa creche e quando se "apanhou" na Praça de Londres exigiu estofos de pele no seu gabinete ministerial e um Mercedes 600.

Um grande abraço com desejos de bom fim-de-semana.
António Pais

COMENTÁRIO: Grande abraço para si António. Este país está cheio de injustiças sociais. A começar nos contribuintes de décadas que recebem migalhas aos ex-combatentes esquecidos. A luta ainda continua.
Cantinhos deste nosso amigo:
.
publicado por TC às 15:12


Imagem do KAOS

Do CD 227, da série mandada queimar pelo Orelhas de Bode do Supremo Avental de “Justiça”

(Protagonistas: o Sucateiro, Manuel Godinho, e a sua Boca da Servidão, Dona Idalina Godinho – por detrás de um grande sucateiro, há sempre uma grande sucateira fêmea)

Manuel Godinho – Lina, querida, vem aí o Natal, e precisava de fazer a lista das prendas…

Dona Idalina – Sim, amor, queres começar por quem?... Pelo “Chefe”, pelo “Major”, ou pelo “Dragão”…

M.G. – Vamos pela classe A, que é a mais barata… Como se chamava aquele taxista que mandaste subir, no outro dia…

D.I. – (suspiro) Que delícia, Manel… para esse, podemos pôr uma corrente de ouro, 200 €. Se voltar, dou-lhe também uma figa, porque tinha a figa bem (suspiro)… grossa…

M.G. – O que damos ao Lello, este ano?...

D.I. – A “Lena” ficou de negociar com ele uns custos a mais, nos IPs da Roménia… Acho que eles podem dar a prenda...

M.G. – (silêncio) O “Chefe” não gosta muito que se fale da “Lena”, de maneira que podemos pôr um bidé de prata, aí coisa para…

D.I. – para?...

M.G. – Classe AA – 2500 €

D.I. – Já escrevi, podes continuar, querido…

M.G. – Que é que damos ao Armando?... Essa dos robalos está muito gasta…

D.I. – Podia ser um livro?...

M.G. – Por amor de deus, o homem mal sabe ler, olha... põe umas bandas desenhadas…

D.I. – Mas isso é muito barato…

M.G. – Sim, mas assenta aí, “bandas desenhadas do Tonecas”. O resto vai em “quilómetros”…

D.I. – Damos alguma coisa ao Sousa Tavares este ano?...

M.G. – Também pode ser um livro, mas com muita bonecada, porque o gajo também lê mal… Olha, até tive uma ideia: damos uns “Astérix” a esse, e, em troca, uns “Equadores” à Ana Paula Vitorino

D.I. – “Equadores”, versão copiada, ou o original?…

M.G. – A copiada, porque ela é como o “Chefe”, mázinha, em Inglês Técnico…

D.I. – E para o Vitorino?...

M.G. – O Vitorino adora passes para as saunas: põe aqui um catálogo de “gay-bears”: álbum de fotos, redondos, peludinhos e de pila pequena…

D.I. – Credo, que nojo!... Isso custa quanto?...

M.G. – Acho que é classe A, mas vou ver na “Amazon”… (silêncio) Sim, Classe A, 10 dólares, o gajo fica a folhear aquilo, durante as sessões da Assembleia, e está calado durante uns meses…

D.I. – O Jorge Coelho leva o quê?...

M.G. – Essse gajo já mamou muito. Põe-lhe um Translator de Bolso, para evitar que ele diga “há dem” e “há des”… 250€, Classe A

D.I. – Ai, amor, é tão chato estarmos nesta lista…

M.G. – Ainda falta o “Pidá”… Acho que o gajo ia gostar duma metrallhadora, mas ainda não sei o preço, vou ter de telefonar ou ao “Major” ou ao Júdice…

D.I. – Fica então em aberto?...

M.G. – Sim, deixa em branco, mas escreve AAA, à frente. Convem ter esses gajos da Noite sempre do nosso lado...

D.I. – O Pedroso leva alguma coisa este ano?...

M.G. – Sim põe um Menino Jesus de Prata, coisa aí para 400 €, AA

D.I. – E o “Major”?...

M.G. – O “Major” vai com o Figo e o Pinto da Costa. Temos de falar com o “Chefe” e ver se obtemos um perdão fiscal. O ideal era que os gajos pagassem para aí, sei lá, 5% do que puseram nos “off-shores”, e o resto vinha em perdão fiscal, para enganar o pagode…

D.I. – Isso são montes de robalos, amor…

M.G. – Pois são, querida, mas o populacho é analfabeto, está tudo no nível da Lurdes Rodrigues, mas para o perdão fiscal, no estado em que esta merda está mais robalo, menos robalo, é tudo uma questão de meses, ate à Bancarrota... mas tenho mesmo de falar com o Gajo das Finanças, e tem de ser às escondidas da “Bruxa”, que essa gaja anda a esticar-se muito no que diz para a Imprensa...

D.I. – Não achas que se podia pregar-lhe um… susto?...

M.G. – Não, a gaja tá de saída e o Balsemão já negociou com o Avental pôr aquele chavalo tonto, o Passos Coelho, no lugar da Velha, para esta merda não oscilar muito.

D.I. – Mas damos alguma coisa à Velha?...

M.G. – Sim, põe aí um Galo de Barcelos, mas baratucho, segunda escolha, que ela depois vai ganhar uma pipa de massa, quando for para Governadora do Banco de Portugal

D.I. – A Maria Barroso?...

M.G. – Ai, filha, essa ainda está pior: dá-lhe uma prenda A… Olha, melhor, nem gastes dinheiro: manda-lhe aquele catálogo de “La Redoute” do ano passado… Não deitaste fora, pois não?... Assim, a gaja fica a ver os bonecos, lá em Nafarros, e não chateia.

D.I. – E o “Chefe”…

M.G. – (silêncio)

D.I. – (silêncio)

M.G. – … o “Chefe”?...

D.I. – É sempre um grande problema… Um problema do caralho...

M.G. – Vamos deixar para o fim, mas não te esqueças, amor…

D.I. – Temos a Câncio… Que achas?...

M.G. – Vocês é que são mulheres, sabem melhor do que eu…

D.I. – Querido, eu acho-a nojenta, de maneira que preferia que fosses tu…

M.G. – (risos) olha, por mim… (risos) Por mim… era já um vibrador…

D.I. – Manel, por amor de deus, não sejas ordinário…

M.G. – Querida, EU estou a falar a sério… Acho que lhe faz falta. Há uns da Ferrari, com cinco mudanças, dizem que faz maravilhas de jornalismo…

D.I. – (silêncio) ... amor…

M.G. – Pronto. Tive uma ideia genial: vamos gastar uma pipa de robalos, mas vamos matar dois coelhos de uma só cajadada… (risos)

D.I. – Como assim?...

M.G. – Mandamos a gaja para Barcelona, para falar com o Rubén Noé Coronado, para a aconselhar a fazer um implante de pénis…

D.I. – Amor, isso vai sair AAAAA, caríssimo!…

M.G. – Não vai, querida, ela faz o implante, toma umas hormonas, é um investimento, como qualquer outro, (risos) saiu mais caro mandar matar o Sá Carneiro, e depois… (risos)

D.I. – … depois o quê?...

M.G. – (risos) Ficamos com o problema do “Chefe” resolvido: quando ela estiver … “transformada”…, oferecemo-la como prémio (risos) ao “Chefe”… (risos)

(fim da escuta)

(Quadrilátero, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 01:18
18
Mar
10
Privilegios_Intocaveis                                                                   
publicado por TC às 22:53

Amanhã pelas 15h40 devo entrar em directo no Rádio Clube Português...
Motivo?

THE BOBs   
(votem em nós)
CLARO!!!


Para não dizerem que não sabiam a frequência:
  • Porto - 105.8
  • Vila Real - 97.4
  • Lisboa - 96.6
  • Viseu - 95.6
  • Coimbra - 98.4
  • Santarém - 97.7
  • Manteigas - 104.4
  • Sabugal - 96.8
  • Aveiro - 94.4

Sintonizem e ouçam o que tenho para dizer...
publicado por TC às 22:14
Rammstein - keine lust 

 Nenhuma luxúria...
...é algo que os nossos políticos não sabem o que é.
Estão todos GORDOS!!!




tags:
publicado por TC às 21:54
 ...
Ò Manel, és o MAIOR!!!
publicado por TC às 21:52
17
Mar
10

José "Trocas-te"...........hihihihihihihi........


Primeiro-ministro apresentado em cerimónia pública como José "Trocas-te"

Fica marcada a apresentação do primeiro- ministro, precisamente, no momento em que José Sócrates se preparava para apresentar a Estratégia Nacional de Energia, no Pavilhão de Portugal, no Parque das Nações, em Lisboa. José Sócrates dirigia-se para o palco, quando a voz off masculina, que apresentou o chefe do governo, anunciou que a palavra iria ser dada ao primeiro-ministro de Portugal, José "Trocas-te". Foi formal e forte, sem qualquer hesitação, que a voz off anunciou o primeiro ministro pelo nome que o programa Contra-Informação dá a Sócrates. A iniciativa terá apanhado de surpresa os elementos do gabinete de Sócrates, que foram indagar o ocorrido. (in RTP)
publicado por TC às 18:43
16
Mar
10
Cliquem na imagem para votar

Estamos nomeados para um dos mais prestigiados prémios da blogosfera.
The BOBs - Best of Blogs
Entre 17752 blogs registados estamos nomeados na categoria de Repórteres sem Fronteiras. Somos um dos onze finalistas da categoria. Bravo!!!
Para votar vão a "votação dos usuários" e cliquem em nós...

Votem neste vosso BOB - Democracia em Portugal?
...
publicado por TC às 23:31
...
Para ler e assinar a petição:
AQUI


Assinem!!!

COMENTÁRIO: Culturalmente Portugal é um país do facilitismo. O Português é bom no "desenrasca", na cunha e no atalho. 
Isto torna-se grave pois é um ciclo vicioso que cada vez se degrada mais e as consequências são gravosas.
Nunca em Portugal nenhuma campanha de sensibilização para actos errados deu frutos positivos. Não temos uma cultura que o permita.
Só a repressão conseguirá combater actos errados em Portugal.
É assim nas estradas com multas e penas pesadas.
É assim nos crimes violentos.
É assim nos crimes de colarinho branco.
É assim na indisciplina escolar.
É assim na violência das claques de futebol.
É assim no fraco atendimento nos hospitais públicos.
...
...
É assim??? Deveria ser. Não é porque não há repressão!!! Não há tribunais rápidos e justos. Quase todas as penas são leves e injustas para as vitimas e benevolentes para os "pecadores".
...
Que tipo de alunos queremos?
Como podemos moldar os seus comportamentos?
...
É fácil culpar os professores.
...
Difícil é responsabilizar os pais. Multar!!! Retirar Abonos e Rendimentos mínimos...etc.
...
Castigar os meninos é anti-pedagógico? NÃO. É educativo.
...
Eu castigo as minhas filhas. E elas vão-me agradecer um dia assim como eu agradeço aos meus pais e professores. OBRIGADO por me castigarem e baterem. Foram poucas...
publicado por TC às 12:13
Face Oculta: Rui Pedro Soares ganha prémio de 587 mil euros
Antigo administrador da Portugal Telecom é suspeito de estar envolvida na alegada instrumentalização política da operadora para comprar a TVI.
Mais desta notícia AQUI.

...
Título corrigido: Sobrinho de Mário Soares e arguido no Face Oculta recebe pipa de massa.
...
Veja os vídeos AQUI.
...
Quanto ganham os "Gestores" da PT? aqui
...
Penedos (outro arguido) pode ganhar prémio na REN. aqui
...

Crise? Qual crise? Ainda se riem de nós...
...
publicado por TC às 11:59
13
Mar
10
In TVI24
Uma psicóloga está a acusar o director do agrupamento de escolas D. Lourenço Vicente, na Lourinhã, de favorecer a contratação do filho da ministra da Saúde, Ana Jorge.
A psicóloga em questão, Raquel Mendes, colaborava há três anos como psicóloga educacional na escola EB 2-3 Dr. João das Regras, na Lourinhã, de forma gratuita, ainda que existisse a expectativa de vir a ser remunerada.
Raquel afirma que ficou surpresa quando soube que foi contratado um psicólogo clínico para dar apoio a todo o agrupamento das escolas, incluindo para exercer as funções que esta ocupava. «Será que foi por ele ser filho da ministra da Saúde?», interroga Raquel.
O director do agrupamento de escolas D. Lourenço Vicente, Pedro Damião, justifica que a contratação de Miguel Jorge Carvalho não tem nada a ver com o facto de este ser filho da ministra da Saúde. «Não contratei o filho da ministra para ser psicólogo. Contratei um psicólogo que, por acaso, é filho da ministra», justifica.
COMENTÁRIO: Não pode ser.... Num país justo e honesto como o nosso onde não há políticos corruptos corruptos........ Não acredito ser possível...............
publicado por TC às 03:01
Imagem do Kaos

Sou uma pessoa pouco dada a falar de doenças: prefiro o Sol, o Mar, a Música e as Artes.
Só o saber que vou ter de reinvocar aqui o nome de Lurdes Rodrigues é para mim penoso, mas a noite obriga-me, por dever de cidadania, a fazê-lo.

Se me perguntassem quem contaminou, e destruiu, para sempre, o nosso Sonho Europeu, eu responderia, Aníbal Cavaco Silva.
Se me perguntassem quem escolheria para epígrafe de uma futura crónica dos Anos Negros do Chavismo Socratista, eu escolheria Lurdes Rodrigues, o busto da ignomínia de todo este período.

Desde Cavaco, a família tradicional degenerou numa coisa, em forma de alforreca, que inclui, invariavelmente, um drogado, um desempregado de longo curso, um gajo com costumes sexuais exóticos, e muitos rendimentos obtidos na Economia Paralela. Com o tempo, ou seja, com o Socratismo, depois de uma breve deriva guterrista, que foi o Ovo da Serpente, todos se converteram em pensionistas antecipados, alcoólicos, divorciados e proxenetas do Estado.

Um belo dia, por desfastio, resolveram pôr os filhos na Escola.

Como Foucault dizia, e muito bem, o Sistema de Ensino apenas tende para cristalizar as assimetrias culturais e económicas, fazendo com que os mais miseráveis perpetuem os seus miserabilismos, e os mais ricos, o vazio da sua pobre riqueza. De quando em vez, é certo, há um talento, que dá um chuto no Sistema, e, então, faz-se História, mas, pelo meio, perderam-se gerações, e o "Titanic" rasgou-se ainda mais, na ponta do seu icebergue.

Eu sei que o tema não me agrada, e também não é ingenuamente que a Comunicação Social vem agora desenterrar, simultaneamente, um suicídio de um aluno perseguido, e de um professor acossado, mas eu posso aproveitar a boleia, e dizer o que me apetece, e não o que lhes convem, e vou fazê-lo, embora sem grande vontade.

Há muito que defendo a existência de uma Carta de Procriação, tal como existe a Carta de Condução: ou passa-se, ou chumba-se, e há penalizações por pontos. A partir de um determinado patamar, o núcleo macho/fêmea é, pura e simplesmente, impedido de se reproduzir, e de lançar mais ruído humano, numa sociedade, já de si, traumatizada.
Uma larga faixa de Portugueses devia ser impedida de ter filhos, por incompetência, inexistência de padrões morais e de condições mínimas de Humanidade, e esta frase é fatal, porque vai colidir com uma das mais perniciosas instituições do Ocidente, a Igreja de Roma, coio de criminosos cúmplices do latrocínio, da intimidação, da tortura, de ditaduras, do Nazismo e da Pedofilia, entre outros pequenos luxos.
Para mim, não-cristão, alheio ao valores do determinismo do casamento, fervoroso combatente contra a procriação a todo o custo, e pagão, de emoções e razões, ponho já aqui o dedo na primeira ferida, porque todas as outras não são mais do que obscenas consequência desta.

No séc. XXI, a pior forma de poluição é, portanto, a poluição humana, e todos os discursos moralistas e ambientalistas contornam, um atrás do outro, esta frase, como se de um anátema se tratasse. Para mim, pelo contrário, nem é sequer uma hipótese, e antes se trata de um rígido axioma, no qual radica a maior parte dos problemas mundiais presentes.
Quando quiserem corrigir a crise da Contemporaneidade, comecem por aqui, e enquanto não forem por aí, não contem comigo para nada.

A Família média, portanto, tornou-se num cancro representativo social, e num obstáculo ao desenvolvimento das sociedades: é o berço e a estufa dos vícios, do vale-tudo, da proveta do desenvolvimento dos pequenos monstros, futuros analfabetos funcionais, estrangulados entre dias inteiros de televisão, jogos de violência, e padrões de relacionamento social infetado de todas as porcarias imagináveis, desde os preconceitos de hierarquização aos lugares comuns do politicamente correto sexual.

No fundo, e estava agora a recordar a recente história da Madalena e do pombo, coisa que só eu eu ela sabemos do que se trata, que piedade poderei eu sentir, perante um canalha, de 15 anos, que está, à porta da escola, entretido, a torturar um animal, e sente, como um abuso, quando a mão de uma professora, lhe tenta tirar a vítima da mão?
Objetivamente, se não estivéssemos num mundo que perdeu as defesas, era esbofeteá-lo à antiga portuguesa, com o recado de vai agora contar à tua mãezinha que te partiram, e bem, a cara, à porta da escola.

O Leandro matou-se, porque a Dona Lurdes, quando começou a apertar os cordões à bolsa, esqueceu-se de que a sua tutela era a forma de todas as almas futuras, e, quando ali cortasse nos gastos, estaria a cortar na própria Civilização, como fizeram todas as culturas, quando entraram no seu típico período de decadência.
Maria de Lurdes Rodrigues, esse monstro inominável, com as suas hipóstases, o Hipopótamo da DREN, o Caniche Valter Lemos e mais um quantos afins, pura e simplesmente, procedeu ao enterro dos derradeiros vestígios do Iluminismo, trazendo uma Idade das Trevas, que, aliás, já estava prevista no seu sinistro fácies de figura miserável, criada nos meandros de tortura e humilhação da Casa Pia, dos abandonados pelo pai.

As Escolas, por inerência, e por isso ela as odiava tanto, ainda são retaguardas de pessoas que defendem valores inalienáveis, os tais medalhados da sombra, cujos atos nunca verão a luz, mas que suportaram os embates dos abdómens de infinitos problemas diários. Como dizia o Poeta, há certas crenças e pensamentos que nenhum machado cortará, e isso era insuportável para essa Besta, pré-humana, chamada Lurdes Rodrigues.

Entre a Família, destroçada, perversa, ou inexistente, e a Cúpula Amoral do Estado, representada por Sócrates, Aníbais, Varas, Pintos da Costa, Júdices, Pedrosos e aberrações semelhantes, havia, e ainda há, uma fina barreira, em forma de filtro, que impediu que a barbárie estendesse a mão de Cima, para encontrar a garra perfilada, de baixo.

Como um chapéu de chuva protetor, em muitas escolas deste país, o jovem foi simultaneamente protegido do flagelo da Família e da chuva ácida dos maus exemplos do Estado e da Sociedade.
Para os canalhas, que nos governam, e para os cegos que, como coelhos, procriam, isto é insuportável.
A gravidade da coisa estendeu-se esta semana à mancha de óleo de outra insuportabilidade: a grande trituradora, posta em marcha por essa não-pessoa, Lurdes Rodrigues, e deixada em roda livre pela medíocre contadora de histórias, Isabel Alçada, começou a minar as suas últimas barreiras protetoras: suicidam-se os alunos, porque a coisa se lhes tornou insuportável, e matam-se os professores, a pretexto de convenientes "fragilidades psicológicas"(!).
A verdade é, todavia, outra: à falta do "Paraíso" Finlandês e do Pragmatismo Empresarial Americano, onde os gajos, quando se chateiam, agarram em metralhadoras e limpam o cenário, nós, Portugueses, vítimas de uma República decadente, de uma não-democracia cada vez mais explícita e de carrascos dos valores morais, como Lurdes Rodrigues, preferimos, país de poetas, morrer às escondidas, sozinhos, como animais encolhidos num canto, os suicidados de uma nova geração perdida, o clube dos poetas mortos deste miserável Portugal do início do séc. XXI, que será, no Futuro, lido como um dos períodos mais vergonhosos da nossa História.

(Quarteto de sombras, no "Arrebenta-SOL", no "Democracia em Portugal", no "Klandestino" e em "The Braganza Mothers")
publicado por TC às 02:05
links
tags

todas as tags

blogs SAPO