...este é um espaço que revela alguns "pecados" do povo tuga. Os nossos políticos são do pior... e o povo manso releva...
tags

todas as tags

17
Ago
09
POR FAVOR, É PARA LER E MEDITAR ACERCA DA FORMA COMO AS COISAS ANDAM.
NÓS, ORGÃOS POLÍCIA CRIMINAL, QUEREMOS SABER COMO AGIR.Queremos que nos digam o que esperam que façamos. Queremos que nos digam como querem que seja executada a nossa acção.Até agora corremos por nossa conta e risco. Sacrificamos a vida pessoal e familiar, sacrificamos o nosso orçamento familiar para adquirir meios que não nos facultam e agimos de acordo com a nossa avaliação dos factos com o único objectivo de manter a Ordem Pública, a Autoridade do Estado. Quando as coisas correm mal descobrimos que não era exactamente o que a sociedade pretendia e somos punidos. E se não agimos somos acusados de complacência.Em principio, o POLICA está investido de Autoridade do Estado, mas em quê que se traduz essa autoridade? Como pode fazer valê-la? Como se pode mantê-la inviolável?Fisicamente, qualquer POLICIA pode ser vencido por qualquer cidadão. Ainda não há “Super-Homens”, mas os POLICIAS também não podem usar a violência física, apenas podem defender-se da violência contra si.Alguém acredita que basta uma ordem verbal para fazer sanar um crime, por menor que ele seja? Sendo desrespeitada a ordem verbal, qual o patamar seguinte?Ignorar o crime ou manter a Autoridade Pública? A que custo? Reportemo-nos ao caso do militar da GNR condenado a 14 anos de prisão por ter disparado contra um jovem de 17 anos que lhe havia roubado um fio de ouro, causando-lhe a morte. Face à evolução da sociedade, face à queda de valores e da ordem social, este caso merece a nossa reflexão, merece por isso uma análise profunda. Aqui apenas serão lançados os dados.O POLICIA em causa foi punido, assim o ditou a justiça. Então ficamos a saber que aquela actuação foi severamente condenada, foi considerada totalmente inaceitável.No entanto alguém deveria dizer como ele deveria ter agido para amanhã os outros POLICIAS saberem como actuar, e o cenário que se põe é o seguinte:O POLICIA, identifica-se e oferece resistência. Se os assaltantes prosseguirem com o roubo, o POLICIA, fisicamente em desvantagem, permite que lhe levem o fio. Posteriormente, pede apoio policial para tentar identificá-los, com ou sem sucesso dada a enorme multidão e enorme área urbana. Não se livra da vergonha pessoal, social e profissional de sendo POLICIA, ter-se deixado roubar.No dia seguinte esse mesmo POLICIA, já fardado exerce a sua actividade na zona e passa a ser vítima de chacota social. Como pode proteger um cidadão se ele próprio tinha sido assaltado?Mesmo que fosse possível identificar os indivíduos, o POLICIA não os levaria a justiça, por uma série de razões; A Justiça é excessivamente cara , perante o seu rendimento, e não teria apoio institucional; A Justiça é lenta e seria ineficaz pois a sua Autoridade como policia já estava ferida. Restar-lhe-ia conformar-se e eventualmente mudar de zona.Como se sentiriam os assaltantes se o POLICIA tivesse sido assaltado sem consequências? Confiantes para tentar um patamar mais acima? Qual? Qualquer um!Agora, digam-nos como reagiremos se, estando sozinhos, virmos um cidadão a ser roubado ou agredido por alguém fisicamente superior a nós? Deixamo-lo agir e chamamos reforços para tentar identificá-lo a posteriori? É que só dizer que se está investido da Autoridade do Estado não chega para fazer cessar a agressão. O que poderá o agressor temer quando vê um POLICIA? Nada!Mas a estas questões há duas versões: Se quem responde for a vitima, todos os meios são aceitáveis, caso seja pai, familiar do criminoso, todos os meios são escessivos. No meio destas análises está o POLICIA que tem de tomar uma decisão sozinho!Mas o que acontece ao POLICIA se “não viu” o cidadão a ser vitima de um crime? Nada. O que acontece se reagir e essa reacção foi desproporcionada? Severamente condenado!Então em que ficamos? Que querem de nós que ainda não somos Super-Homens?Quem rouba um fio a um POLICIA também pode roubar a arma. Não?! Então, se amanhã um grupo de delinquentes abordar um POLICIA e lhe exigir a arma, como deve reagir?Fisicamente inferiorizado, usa a arma para manter na sua posse (na posse do Estado) ou entrega-a para não por em risco a vida dos delinquentes? Como agirá?Se o POLICIA usar e atingir alguém, tem destino certo na cadeia, se a entregar ainda que resista sem pôr a sua vida em perigo, pode ser expulso pela Instituição. Mas a arma roubada pode ser usada contra cidadãos comuns, qualquer um! De quem será a responsabilidade? Vejamos ainda o seguinte:Há doentes que entram com próprio pé num hospital e saem no estado vegetativo e outros já nem saem de lá vivos: Erro médico mas ninguém vai para a cadeia;Há juízes que condenam inocentes e outros que libertam criminosos que voltam a cometer crimes, muitos deles violentos, e nenhum vai para a cadeia porque não se pode beliscar a Autoridade do Estado. É que caso acontece os Senhores Juízes passariam estar condicionados no momento de decidir. É exactamente o que acontece com os POLICIAS, estão extremamente condicionados no momento de decidir porque o risco da cadeia é real e não há desculpabilização para um erro policial, ainda que seja sobre delinquentes, ainda que seja para repelir um crime!Precisamos que nos digam como deveremos agir!Não podemos manter a Autoridade do Estado por nossa conta e risco! Alguém tem que assumir essa responsabilidade: Agimos até que ponto ou simplesmente não agimos? É preciso ter presente que a voz da POLICIA apenas é respeitada pelas pessoas de bem, mas com essas pessoas não resultam problemas, queremos saber como agir perante aqueles que não obedecem e até desafiam a Autoridade do Estado? Alguém dirá, levem-nos à justiça! Mas é exactamente isso que queremos que alguém diga, como levamos alguém à justiça contra a sua vontade, quando resiste e é fisicamente forte? Como fazemos cessar uma agressão contra nós ou contra um cidadão, se fisicamente estivermos em desvantagem? Deixamos agredir e identificamo-los depois? Deixamos de ser POLICIAS e passamos a ser identificadores de criminosos?No passado, um delinquente era severamente punido pela moral social e isso, em muitos casos, era suficiente. Hoje tal não acontece.Para uma melhor qualidade da actuação policial, exige-se que os cidadãos digam o que esperam de nós, como querem que o POLICIA mantenha a Autoridade do Estado, ainda que seja contra si, mas para o bem comum. O risco é cada vez maior e tal verifica-se no aumento da insegurança.O ridículo já aconteceu:Um cidadão fugiu para uma esquadra para se proteger e foi agredido lá dentro por quem o perseguia. Alguém perguntou como é possível tal acontecer? Acontece porque o POLICIA não pode fazer nada. Essa é a realidade que ninguém quer ver! Amanhã, quando casos ridículos se banalizarem, poderá ser tarde demais! Daqui a tomarem de assalto a esquadra… pouco falta! Até por brincadeira, mas é possível. Vale a pena pensar nisto!VALE SEMPRE A PENA ACRESCENTAR, O INDIVIDUO QUE ROUBOU O FIO AO GUARDA DA GNR ERA REINCIDENTE NESTAS ACÇÕES, OS AMIGOS DO "FULANO" CERCARAM O CONDENADO E TENTARAM AGREDI-LO, NAO SE AUXILIASSE ELE DA ARMA, A PENA APLICADA (14 ANOS) FOI A MAIOR APLICADA A UM ELEMENTO DAS FORÇAS DE SEGURANÇA, POR CRIME COMETIDO EM SERVIÇO, MAS FORA DAS HORAS DE SERVIÇO, NÃO FOI TIDA EM ATENÇÃO O ESTATUTO DA GNR, C.P. PENAL E C. PENAL. EM QUE O GNR É OBRIGADO E NA PRESENÇA DE UM CRIME, (MESMO ESTANDO FORA DA HORA LEGAL DE SERVIÇO), EM AGIR.
______________________________________

Não poderia deixar de acrescentar.........

Pois entendo que a população têm que saber, e ajuda à reflexão..... espero que sim.

O individuo que entra na esquadra e agredi (deu 3 tiros) o que se refugiou (deixando este numa cadeira de rodas) fica a aguardar julgamento em liberdade. Estranho esta decisão, não é?
Mais estranho é depois ver indivíduos a serem presos por não pagarem multas ou conduzirem alcoolizados. Logicamente que são crimes que deverão ser punidos, mas...... Enfim.

Outro caso engraçado....

Guarda nocturno em serviço é contactado pela PSP e informado para se deslocar a um bar onde se encontra um grupo de 5 individuo de etnia cigana a provocarem desacatos e dados materiais no referido bar. O guarda nocturno profissional que é segue para o destino, quando lá chega começa a ser agredido pelo 5 indivíduos..... (5 contra 1)... o guarda nocturno vendo a sua vida nas mãos dos indivíduos, puxa da sua arma de dá um disparo para o ar com o objectivo de assustar os indivíduos. Sem resultado, continuou a ser agredido. Dá mais dois disparos, e...... infelizmente um dele atinge a cabeça de um dos indivíduos.
Conclusão: O guarda nocturno foi condenado a 9 anos de prisão efectiva, pois actuou com excesso de zelo e de forma desproporcionada, ...... os indivíduos não tinham armas... Enfim.

E como estas situações não passam só pelos POLICIAS, passam por todas as FORÇAS DE AUTORIDADE, (POLICIAS, GNR, GUARDAS NOCTURNOS, GUARDAS PRISIONAIS, P. JUDICIARIA, S.ESTRANGEIROS E FRONTEIRAS.....) todos os que "GUARDAM" o nosso Estado, a nossa sociedade, a população, os nossos bens.... Todos aqueles que se dedicam e muitas vezes abdicam de estar com as suas famílias para proteger a sociedade e fazer cumprir as REGRAS impostas pela sociedade, e para a sociedade. Para que possamos viver o dia-a-dia com segurança e qualidade de vida.

Não poderei de deixar aqui uma ultima nota:

TODOS ESTES HOMENS E MULHERES MERECEM APOIO.
Mas não só o apoio do Estado.
Merecem o apoio de todos nós, de todos os cidadãos. O APOIO DE TODA A SOCIEDADE.

Muitas das vezes criticamos e apontamos o dedo às FORÇAS DE AUTORIDADE (como por exemplo, acusamos os Guardas Prisionais e fazemos dos reclusos, santos), e esquecemos que são eles que lidam com aqueles, que nós cidadãos, excluímos da sociedade, aqueles que infringem/infringiram a lei e nos colocam/colocaram inseguros.

VAMOS TENTAR NÃO CONFUNDIRMOS AS COISAS, E FAZERMOS UM ESFORÇO PARA SABERMOS DISTINGUIR QUEM AFINAL É "O BOM E O MAU".

Nas próxima eleições vota nos partidos pequenos, não te abstenhas! Faz crescer os pequenos da esquerda à direita tens montes de opções e até novos partidos vamos diminuir a força dos partidos grandes que nos andam a lixar e a colocar tudo de pantanas desde o 25 de Abril! Enquanto o pau vai e vem folgam as costas e se os gajos não tiverem maiorias são obrigados a trabalhar para o povo.
publicado por TC às 14:31
De Anónimo a 18 de Agosto de 2009 às 02:39
So para informar que esse gnr que matou um rapaz de 17 anos quando este lhe roubou o fio, nao agiu em legitima defesa, perseguiu o rapaz e deu lhe 2 tiros nas costas e um no chao, com intuito de matar, quando poderia ter usado de meios mais adequados para recuperar o fio e levar o ladrao a justica. E em tribunal nao se mostrou arrependido por ter morto pelas costas um rapaz de 17 anos.
Esse email ( que por acaso nao li na totalidade) nao fala dos inumeros casos de brutalidade policial que existem, nem de como grande percentagem da policia e racista. Tb me parece ter sido escrito por algum cidadao ligado a direita, para os lados do cds-pp/pnr.
Cada vez o estado esta mais securitario, a ofender as nossas liberdades e garantias,como escutas sem mandato, controlo do trafego de internet, etc.
O mais engracado e que quem rouba um fio, merece morrer como esta subentendido nesse email, mas quem rouba milhoes e tratado como senhor doutor. Ainda recentemente o dinheiro publico foi usado para "salvar" instituicoes privadas, sem nenhuma contrapartida. AS pessas n conseguem pagar a casa ficam sem a casa que o banco ao qual contrariram emprestimo lhes penhora, esse mesmo banco que recebeu dinheiro dessas pessoas que pagam os seus impostos.
Esse email tb n fala por exemplo do Tony da bela vista que levou 2 tiros de cacadeira, um quando estava em pe outro quando estava no chao, a queima roupa, em que o policia foi ilibado porque "nao sabia que 2 tiros de cacadeira matavam".
Tb n fala do angoi, que morreu por n ter parado numa operacao stop, do Cele, que morreu com 56 tiros dos GOE, nem dos inumeros casos de policias em bairros sociais que nao respeitam ninguem.
RBG
No justice no Peace, fuck tha police
De Mentiroso a 18 de Agosto de 2009 às 16:29
Este e-mail repete alguns pontos de dois posts do Blog do Leão Pelado com grande exactidão, por vezes usando até as mesmas palavras. Essas palavras traduzem exemplarmente o estado de alma dos agentes. Absolutamente justificado. A causa é evidente e as soluções foram apontadas nesses posts, aqui (http://leaopelado.blogspot.com/2007/09/o-procedimento-da-polcia-parte-i.html) e aqui (http://leaopelado.blogspot.com/2007/09/o-procedimento-da-polcia-parte-ii.html). Nenhum governo até hoje se preocupou com modernizar, adaptar, treinar, ensinar a polícia. Armas novas? Para quê? Vão para a guerra? Chegou-se ao ponto em que a desorientação dos agentes da polícia provocada pela corrupção da canalha política atinge o auge; mas não significa isso que não continuará a aumentar, vistas as soluções apontadas pelo aborto do ministro e pelo vigarista do Paulo Portas, para dar apenas dois exemplos. As medidas diferentemente nomeadas não podem produzir os resultados necessários. Até que, por outro lado, os sindicatos da polícia, tal como os outros sindicatos, se limitam a exigir regalias que não interessam nem resolvem este problema, deixando de parte o essencial. Claro que os sindicatos mentem dizendo que sim; dizem que é no interesse público. Ora! Mesmo que a maioria das reivindicações sejam justas, essas alegações são falsas e destinam-se apenas a angariar o apoio duma população desmiolada e que por isso emprenha facilmente pelos ouvidos. O que lhes faz falta é treino, o ensino, o apoio moral e psicológico, a melhoria de vida, a ajuda no desempenho das funções e saber como proceder em qualquer circunstância. Ora nada disto ou tem sido feito ou insuficiente e o resultado está à vista.

A polícia não necessita que se lhe permita de matar criminosos e quem o fizer deve responder por isso. Não sabem como actuar, disparam sem saber como ou com intenção de matar, muitas vezes pelas costas Se não tivessem más intenções de matar disparariam de outro modo e atingiriam outras partes do corpo: este ponto é indiscutível de tão provado ter sido. Devem ser treinados a falar com as pessoas e psicologicamente ensinados sobre variadíssimos modos de actuar adaptados às circunstâncias, etc. A sua função é a de apresentar os criminosos à justiça, podre, ela também, com juízes que por pertencerem às mesmas gerações da população não podem ser melhores nem se comportam como se esse mínimo tivessem aprendido. É a arrogância dos imbecis e incompetentes, quererem ser funcionários, etc. Bela cambada.
De Mentiroso a 18 de Agosto de 2009 às 21:43
Terminou há momentos mais uma extensão do noticiário da SIC, desta vez sobre a segurança (ou insegurança), que duroucverca de meia hora e onde ouvimos rfepresentantes da polícia e dos juízes, ministro da justiça e uma vítima de assalto.

Ninguém mencionou ou abordou o problema da polícia de que o comentário anterior faz objecto.

Com o evidente desprezo a que o problema é votado por todos, inclusivamente por aqueles que pretendem ser doutoures jornalistas (que risada, que ridículo) num país onde até os mais importantes e altos cursos são considerados sem equivalência, por deficiência no ensino, nos países europeus avançados, que esperar?

Que é isso da auto-estima quando os médicos e dentistas, por exemplo, não podem exercer sob sua própria responsabilidade em países avançados sem que passem os exames nesses países?
De Anónimo a 13 de Setembro de 2009 às 01:17
Eu penso que a justiça está pelas ruas da amargura mas por causa dos polítiqueiros da treta que fazem leis da treta porque eles estão protegidos da bandidagem. Com leis justas a canalhada pensava duas vezes antes de roubar ou fazer outras diabruras. Eu criava prisões onde a bandidagem teria de trabalhar no duro primeiro para pagarem a estadia, comida, vestir, calçar, água e luz. Depois ainda teriam de pagar os roubos mas com o valor multiplicado por quatro. Quando pagassem a dívida saíam da prisão. Não trabalhavam então não comiam nem bebiam nem teriam qualquer outra coisa senão quatro paredes a guardá-los. Os que matassem sem motivo ou roubassem pessoas ou violassem era pena de morte e ponto final. Se fugissem da prisão então qualquer cidadão que os encontrasse teria autoridade e legitimadade para os matar. Garanto-lhes que passava a haver ordem e respeito e os honestos não teriam de ficar com o dano feito pelos malandros e ainda por cima sustentá-los na prisa como é agora com esta justiça de merda!

links
tags

todas as tags

blogs SAPO