De JSerra a 9 de Junho de 2008 às 02:40
Também sou professor e nunca colocaria os meus filhos no privado.
De Anónimo a 9 de Junho de 2008 às 18:51
A ideia é mesmo essa. Como não vai haver dinheiro suficiente para pagar o ensino particular e o ensino público estará "completamente de rastos", o povinho ficará ainda mais ignorante,de modo a que não tenha nem a mínima competência para ler o título deste post ... Se não há "conspirações", pelo menos intenções para que o resultado seja esse, há!!
Manuela
De Anónimo a 9 de Junho de 2008 às 23:09
Ignorancia... é o que demonstra este seu comentário.
Claro que tem de ser subsidiados... claro que existem serviços que são prestados em vez do estado como tal o estado deve pagar por isso... cromo
De Anónimo a 11 de Junho de 2008 às 22:54
O meu boss tem os putos no S.João de Brito. A mensalidade é 500€ por mês. Ainda recebem subsídios por isso imaginam o dinheiro que esses filhos da puta andam a meter ao bolso.
De Anónimo a 17 de Junho de 2008 às 01:14
Ora esta! Eu também tenho os meus filhos no privado e tenho de pagar para os outros terem os filhos no público. Faço-o com sacrifício mas considero-o que para quem quer ficar mais descansado com a segurança e com o nível de aprendizagem dos filhos é um investimento imprescindível.
De Anónimo a 17 de Junho de 2008 às 01:16
As escolas privadas não deviam ser subsidiadas. Os subsídios deviam ir para os pais dos alunos do privado. Não tem sentido pagarem duas vezes a educação dos filhos.
De Moriae a 17 de Junho de 2008 às 20:42
Tiago, copiaste o post da ASHA e não o comentário.
De Anónimo a 30 de Junho de 2008 às 19:21
Ensino Privado - Uma história de sucesso

EXTERNATO RIBADOURO

O Externato Ribadouro (cujo nome comercial é Alexandrino Oliveira, Silva & CA, Lda., com o número fiscal 500308560) é actualmente propriedade do casal pinheiro, ou seja, de Manuel de Vasconcelos Pinheiro e Maria da Conceição Amaral Vasconcelos Pinheiro.
O engenheiro Manuel Pinheiro era até há bem pouco tempo professor efectivo na Escola Secundária Infante D. Henrique sita no Porto, tendo estado destacado e a chefiar o Ensino Mediatizado (Telescola), ocupou o cargo de (nomeação política) DIRECTOR REGIONAL ADJUNTO DE EDUCAÇÃO DO NORTE durante o ultimo governo do PSD 2002-2005). Actualmente é Vereador sem pelouro da Câmara Municipal de Cinfães, dado ter perdido as eleições.
A Dra. Maria da Conceição Amaral Vasconcelos Pinheiro foi professora de História na Escola E.B. 2,3 Dr. Augusto César Pires de Lima sita no Porto, onde pediu licença sem vencimento de longa duração para ocupar o cargo de Directora Pedagógica do referido Externato Ribadouro.
Este casal deteve até meados de 2007 a propriedade do Externato Ribadouro em conjunto com o casal portugal (Edison A. Moreira Portugal e Maria Isabel S. Céu Moreira Portugal).
Estes dois casais desentenderam-se e depois de uma espécie de batalha campal, em meados de 2007 o casal pinheiro fez uma oferta irrecusável ao outro casal pela sua quota de 50% (sensivelmente meio milhão de contos, isto é, cerca de 2,5 milhões de Euros) para se irem embora. DE ONDE VEIO O DINHEIRO ???? SERÁ QUE OS IMPOSTOS FORAM PAGOS ???? SERÁ QUE A INSPECÇÃO DE FINANÇAS (DGCI) anda por aí ??????
O casal pinheiro entretanto (e dado este ser um “negócio da china”) comprou 50% do Externato Camões sito na Praça da Estação de Rio Tinto e 50 % do Externato da Trofa que era propriedade da Diocese do Porto.
O Externato Ribadouro é o tal que mete muitos alunos em MEDICINA (até meteu a filha do seu proprietário) e que foi alvo de uma investigação precisamente na altura em que Manuel Pinheiro era Director Regional Adjunto de Educação do Norte.
Mas não foi só a questão da entrada massiva de alunos em medicina devido ás notas, foi também o Ensino Básico Recorrente e o Ensino Secundário Recorrente que, tendo terminado em 2005 naquele estabelecimento (porque já não era rentável), foram alvo de investigação na altura em que o cavalheiro era DIRECTOR REGIONAL ADJUNTO DE EDUCAÇÃO DO NORTE e apenas por parte da IGE.
Dá vontade de RIR e é caso para perguntar quem terá sido a INSPECTORA da IGE que verificou da existência de ilicitudes!!!!!! O que viu ?????? ou seria invisual !!!!!....(o processo foi arquivado)
Este é apenas um EXEMPLO do ENSINO PRIVADO que temos. É apenas um EXEMPLO DE TRÁFICO DE INFLUÊNCIAS. É um bom EXEMPLO DE EMPRESÁRIOS DE SUCESSO.
Reparem nestas notícias:
http://fersap.no.sapo.pt/04/externato.html
http://www.jornaldatrofa.pt/index.php?option=com_content&task=view&id=2895
http://www.onoticiasdatrofa.pt/1/index.php?option=com_content&task=view&id=2642&Itemid=447
De fernanda rosa a 24 de Novembro de 2009 às 12:05
Também tenho um dos meus filhos no ensino privado,pago impostos como todos os outros que têm os filhos no ensino público e ainda tenho que pagar mais uma mensalidade,porque será?gosto de gastar dinheiro?NÃO, o problema é que infelizmente,se virem os "ranquings", o melhor ensino é o privado e não venham com as tretas das notas "dadas"pois os miúdos chegam aos exames e também têm muito boas notas, é porque os ensinam e não se alimentão das notas dos alunos como na pública porque infelizmente tudo serve para baixar a nota ao aluno ,nada serve para subir, ao menos no privado valorizam todo o esforço ,motivam-nos, não estão em guerra com os ministros, que foi o que aconteceu ano passado, em que os professores estavam mais preocupados com as "guerras"com a ministra de que com a qualidade do ensino.Não estou a falar sem conhecimento de causa pois também tenho um filho no ensino público ,somente por opção dele.Tenho muitas amigas que são professoras do ensino básico e secundário mas os seus filhos andam no ensino particular , estaram elas doidas? Não, elas sabem e querem o melhor para os filhos. Só tenho pena é que todos os pais não possam colocar os seus no ensino particular pois assim talvez Portugal tivesse pernas para andar!!!! Não quero ser injusta pois também existem belissímos professores no ensino público ,mas também anda lá muita gente que só quer o seu ordenado ao fim do mês,querem um emprego não um trabalho!
De Tiago Carneiro a 20 de Dezembro de 2009 às 17:56
O que eu concordo é que TODOS recebam um subsídio para estudos. Os pais. E depois cada um aplica como quiser na educação dos meus filhos.

Mas de uma forma controlada. Para não haver gente a fazer filhos para receber + um subsídio e não gastar nada com a educação deles.
Tinha que ser para EDUCAÇÃO.

Eu colocava no privado por duas razões:
- Adorei o Colégio onde estudei 13 anos. Excelente ensino e educação a todos os níveis. Colégio Luso-Francês (um dos TOP do ranking todos os anos).
- No público há muita gente que não quer estudar. Só quer perturbar. E continuam lá a prejudicar quem realmente quer fazer algo de bom. No privado a grande maioria quer tirar um curso superior. No privado quem não tiver educação leva com uns patins...