De Helder Barros a 10 de Outubro de 2008 às 23:58
Excelente latada de luva branca ao petulante MST, ao lembrar a memória de sua mãe, uma verdadeira senhora!
Essa sabia do ofício da escrita, do ensinar, do tolerar... o filho é um afanado do regime!
De touaki a 11 de Outubro de 2008 às 00:35
Gente! Cuidado! Creio que MST nunca afirmou tal! A carta da Ana MAria Gomes é genuína, mas foi despropositada uma vez que MST nunca disse o que se afirma.
Mais! Creio mesmo que a Ana MAria já reconheceu o erro e piblicou uma carta de desagravo ao MST.
Não publiquem tudo à toa! Dá mau nome e aspecto à blogosfera e à própria luta!
De Beezzblogger a 11 de Outubro de 2008 às 15:07
Meu caro Touaki, de facto a ser verdade, o que diz, o que corre na net é bem diferente, e o amigo sabe disso. Nunca ouvi de MST o que quer que fosse em sua defesa perante este caso, e se o amigo tem alguma coisa desta senhora professora a emendar esta carta, faça o favor de a fazer chegar até nós. Não se trata de dizer só que ela o fez, e que ele não o disse, trata-se do contraditório com provas.


Abraços do Beezz

PS: e eu assumo o texto aqui publicado, pois circula na net para quem quiser ver, até pelo próprio.
De touaki a 11 de Outubro de 2008 às 20:46
Pois meu caro Beez!
Nem tudo o que vem à NET é peixe. Deixo-lhe aqui (é um pouco longo, desculpe) o cerne da questão, já oublicado em tempos pelo Paulo Guinote no seu blogue (creio que será garantia de qualidade). Aqui vai então e no final o link para confirmar:
cuidado, deve ler-se:
http://educar.wordpress.com/2008/04/30/sobre-a-carta-a-miguel-sousa-tavares/
Sobre A Carta A Miguel Sousa Tavares
Posted by Paulo Guinote under Carta

Porque me foi solicitado que publicasse…
No dia 20 de Março de 2008 foi publicada neste blogue uma carta minha intitulada "Sobre os professores - a Miguel Sousa Tavares". Em relação a essa carta, sinto-me no dever de fazer um esclarecimento.
Referi que: "É do conhecimento público que o Sr. Miguel Sousa Tavares considerou os professores "os inúteis mais bem pagos deste país". Quando escrevi "É do conhecimento público (…)", fundamentei-me naquilo que ouvi vários colegas dizerem, e não apenas da minha escola, e ainda naquilo que li na Internet, nomeadamente no blogue www.ramiromarques.blogspot.com, do qual imprimi um texto que tenho em minha posse.
Vivo num país democrático e julgo ter o direito de manifestar a minha opinião sobre aquilo que considero, ou não, correcto. Esse direito tenho-o.
Já o direito de tornar públicas declarações que pudessem ter sido proferidas ou escritas pelo próprio, sem que eu própria as tivesse ouvido ou lido, esse direito não o tenho. Efectivamente, não ouvi o comentador Miguel Sousa Tavares proferir sobre os professores a frase "os inúteis mais bem pagos deste país", nem li a mesma frase escrita pelo jornalista Miguel Sousa Tavares - e que o próprio desmente terminantemente alguma vez ter dito, escrito ou sequer insinuado.
Admito que cometi dois erros. O primeiro foi ter-me fundamentado no que me transmitiram e no que li na Internet. Como pessoa de boa fé que sou, acreditei que tal fosse verdade, tanto mais que, por esses dias, alguns jornalistas escreveram sobre os professores comentários nada abonatórios, que me indignaram. O segundo foi ter dado importância ao que ouvi e li. Considero-me uma pessoa útil à sociedade no exercício da minha profissão.
Exerço-a por vocação e com paixão. E, "Quem não deve não teme", por isso nem sequer me devia ter indignado. Mas as emoções, em determinadas circunstâncias, são difíceis de controlar." Errare humanum est."
Reconheço, pois, que me precipitei, que errei, e, como cidadã responsável de um país democrático, tenho também deveres, por isso, esclarecida que está a situação, quero retractar-me e pedir desculpa a Miguel Sousa Tavares. Assim, retiro tudo o que disse na minha primeira carta, e que o possa ter lesado na honra e bom nome.
Ana Maria Gomes
Escola Secundária de Barcelos
por lm, 2008.10.05 18:34:24
http://smartforum.educare.pt/index.php?id=69009
De Beezzblogger a 12 de Outubro de 2008 às 12:59
Ora pois, Caro amigo, que publicarei no devido lugar este seu comentário. O tal, que prova que a dita professora estava enganada.

Cts

Beezz