De Pato Bravo a 19 de Julho de 2008 às 13:22
Os tribunais funcionam como uma rede de Franchise, cada um(juiz)gere o seu negócio à sua maneira, uns bem, outros mal e alguns ainda pior.
De mugabe a 19 de Julho de 2008 às 14:20
Só para dizer que me solidarizo com o Pai, com o Tiago e concordo plenamente com o Pato Bravo. Abraço!
De A. João Soares a 20 de Julho de 2008 às 09:36
Estão a conduzir o País para um sítio em que cada um tem de fazer justiça pelas próprias mãos. Este caso vem a seguir ao de Vila da Feira, cujos juízes, depois, e apesar de se intitularem «órgão de soberania», entraram em greve. No Distrito do Porto, Ferreira Torres insultou a juiza e ficou impune, porque ese é político. Na Quinta da Fonte, concelho de Loures, ciganos e pretos já aprenderam que têm de ser eles a garantir a própria segurança.
Por esse País fora muitos casos de justiça pelos próprios está em marcha.
Nem a lei, nem a justiça é igual para todos.
Para onde estamos a caminhar???
Abraços
A. João Soares (http://domirante.blogspot.com/)
De Tiago a 20 de Julho de 2008 às 15:29
500€ não posso dar, mas se for para ir para a frente do tribunal fazer greve de fome ou qualquer coisa que chame a atenção da TV, podem contar!

País de merda, o nosso...
De Anónimo a 20 de Julho de 2008 às 19:01
O grande problema não é dar apenas quatro anos de prisão a um violador de crianças. O problema é que não existe pena perpétua. O máximo que os juízes podem dar é 25 anos (ou seja, quando alguém mata). Ora isto faz com que TODOS os restantes crimes valham muito poucos anos. Tivéssemos a pena perpétua, e provavelmente este criminoso ficaria atrás das grades...25 anos no mínimo. Em vez de processarmos os culpados, devíamos pressionar o governo para institucionalizar no nosso país o castigo máximo. E há países da Comunidade Europeia que já a têm.

Assinado: Sandra Costa
De victor simoes a 22 de Julho de 2008 às 00:21
Tiago, não sei se o Estado poderá ser processado, mas a ser julgo que muitos de nós estariamos dispostos a contribuir. Eu, contribuiria também com o meu modesto donativo. Pensa, nisso... é lançar o desafio!
De victor simoes a 22 de Julho de 2008 às 00:26
O problema é que já se mata uma pessoa como quem mata uma galinha. Enfim, os desacatos e a exibição de armas de fogo em Loures, já diz tudo. Os Juízes, não estão acima da lei, mas são uns privilegiados e julgam-se donos do saber! É ver as borradas, que fazem em determinados casos... estará esta classe também a ficar corrompida? Já nada me admira.
De Beezzblogger a 22 de Julho de 2008 às 22:06
Bem eu nem quero me lembrar, que se um dia eu desse com um F**** da P***** dum juiz destes, desagravando desde já a mulher que se prostitui, e que fosse um pai, como esse que clama por justiça, enfiava-lhe um balázio nos cornos, disso nem precisava de doar nada, ou que me doassem, era de borla....

Abraços do Beezz
De Zé Rocha a 22 de Julho de 2008 às 22:59
é um dever de cidadania estar solidário com este pai.
De gaspar a 13 de Novembro de 2008 às 17:19
Eu pessoalmente não acredito na justiça, nunca tive nada com ela, mas posso dizer que até tenho medo de algum dia ter que me haver com a dita, não ganho para pagar aos advogados, por isso não tenho medo tenho cagaço, como dizem os Alentejanos, justiça?Como se nós vemos juizes na Assembleia como pode haver justiça? Se a houvesse quantos dos politicos e não só estariam na prisão?Mas essa só serve para o jardineiro e pouco mais,JUSTIÇA ONDE PARA? ALGUÉM SABE? Só se for noutro planeta que não Portugal